O que os algoritmos sabem e dizem sobre o comportamento dos consumidores?

Painel do CONAREC discute o alcance e aplicabilidade dos algoritmos nas empresas e aborda a importância do mapeamento do perfil do consumidor

Inteligência artificial, algoritmos que antecipam escolhas, a diminuição entre a busca pelo produto e o clique da compra já não são avanços em curso, mas processos presentes no dia a dia de todos – consumidores e empresas. Mas de que maneira os algoritmos atingem o nosso sistema cognitivo? O que está em jogo do ponto de vista humano nesse processo de refinamento tecnológico de atendimento?

Para responder a questões como essas, o CONAREC 2020 recebeu Carla Tieppo, uma das mais brilhantes estudiosas de neurociência do Brasil. Em apresentação, ela falou sobre o quanto os algoritmos têm ganhado relevância no campo dos negócios. Empresas vêm utilizando esses recursos para endereçar conteúdos e publicidade aos consumidores. O processo é aplicado através de mapeamento de dados do perfil dos usuários.

Para a especialista, autora do livro “Uma viagem pelo cérebro: a via rápida para entender Neurociência” e CEO da Illumme Consultoria, o uso de algoritmos deve ser aplicado sob uma visão consciente, tendo em vista, a preservação de conceitos que permeiam as conexões entre empresa e consumidor. “Quanto mais os algoritmos são elaborados e trabalhados em uma dinâmica do consciente, mais vamos precisar ter cuidado para que as relações entre marca e cliente possam passar pelas barreiras morais e éticas que regem nossas relações”, afirma.

Tieppo analisa o processo de automatização na tomada de decisões do consumidor que se apresenta cada dia mais exigente. “O processo de automatização colabora com a aceleração da tomada de decisão”, explica. E os algoritmos, mais do que nunca, têm funcionado com uma ciência decisiva para os negócios das empresas.

É por isso que, como afirma a especialista, neste momento podemos ver verificar a transformação de inúmeros processos mercado afora. Para que elas sejam precisas, porém, é preciso entender as jornadas. Isso também faz parte de todo este processo de readaptação. Nesse sentido, a especialista pontua de que maneira essas jornadas podem trazer benefícios na conexão entre empresa e consumidor. “Há uma necessidade de jornadas que agreguem efetivo valor para as pessoas, que captam atenção”, afirma. Naturalmente, com isso, ao algoritmos ajudarão as empresas a direcionarem a comunicação certa para o usuário certo.

 






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS