Como empreender com legado e propósito social

Negócios de impacto social, como a Makeda Cosméticos, geram renda e ascensão social para pessoas de vulnerabilidade social, além de movimentarem a economia

Está cada vez mais evidente que as pessoas não querem mais apenas consumir sem propósito. Ao mesmo tempo, indivíduos buscam cada vez mais trabalhar em empresas com culturas e valores que tragam significado para a sociedade.

Nesse sentido, muitos empreendedores também não desejam alimentar negócios vazios, e o passado pode servir de inspiração na criação de um novo futuro. Um grande exemplo de negócio que surgiu para trazer valor ao mundo é a Makeda Cosméticos, da empresária paulistana Sheila Makeda.

Empoderamento feminino

Ela contou em seu painel “Empreender: legado e propósito!”, no CONAREC 2020, que sua mãe, ex-empregada doméstica, foi quem a ensinou que não havia limites para sonhar. Assim, Sheila criou uma linha de cosméticos focada no empoderamento feminino, a Makeda Cosméticos ― nome que presta homenagem a uma antiga rainha africana.

“O meu empreender vem das minhas ancestrais, das mulheres que cozinhavam, bordavam e costuravam. São mulheres que reverencio e empreendo por inspiração delas e do legado que me deixaram”, conta.

Quando tinha sete anos de idade, Sheila aprendeu com a mãe, que na época vendia bolos, a empreender, a como tratar os clientes e a fazer a organização do trabalho e do dinheiro. De 1995 a 2004 a empresária teve um salão de beleza e começou a desenvolver cosméticos para cabelos afro.

Mais tarde, no teatro, Sheila conta que conheceu o empoderamento negro, e passou a entender a sua imagem de forma diferente ― o que a levou a desenvolver um novo tratamento capilar que não era baseado em alisamento e progressiva. “Criei uma linha para cabelo cacheado, uma vez que esse tipo de produto ainda não existia no mercado, que era voltado totalmente para alisamentos”, explica.

Após bater de porta em porta tentando lançar sua linha de produtos, recebeu muitas negativas, mas Sheila perseverou, até uma fábrica aceitou ajudá-la, dando início à marca Makeda. “Todos os ‘nãos’ que recebi na vida, que pareciam empecilhos, me levaram a um ‘sim’, que acabou se tornando uma porta muito maior que se abriu na minha vida”, diz.

Negócio de impacto

O primeiro evento que a Makeda Cosméticos participou como marca foi a feira preta, em que venderam todo o estoque. Ali, Sheila entendeu que a Makeda tinha um grande potencial.

Em 2017, ela decidiu montar uma loja com sua família, sem investimento algum, em um shopping no centro de São Paulo. Em 2019, participou da aceleração do Itaú Mulher Empreendedora, programa que foi criado para dar um plano de crescimento com impacto social, para mulheres periféricas e empreendedoras.

“Queremos ver mais mulheres que não acreditam no próprio potencial empreendendo e transformando as suas vidas e de outras mulheres negras, através de geração de renda, ascensão social e resgate da sua ancestralidade” – Sheila Makeda, sócia da Makeda Cosméticos.


+ CONAREC 2020 

A tecnologia como solução para inovar em meio à crise

Insights transformadores provocados pela pandemia

A necessidade de entender o perfil do consumidor para obter resultados






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS