5 dicas para lidar com feedback negativo no trabalho

Em tempos de home office, a reunião de feedback se torna ainda mais delicada; especialistas explicam como se comportar nesse momento

A reunião de feedback é a típica conversa que todo mundo quer escapar – ainda que, muitas vezes, seja bastante necessária. Em tempos de home office, então, ter uma conversa como essa pode gerar ainda mais estresse, já que as pessoas não estão no mesmo ambiente, o olho no olho é substituído pelo “olho na câmera”.

Mas o que é feedback, afinal? “É a base de todas as relações interpessoais”, diz, Cléo Linares, especialista na área de RH com mais de 30 anos de experiência. “É o que determina como as pessoas pensam, como se sentem, como reagem aos outros e, em grande parte, é o que determina como as pessoas encaram suas responsabilidades no trabalho”, complementa Patricia Brezolini Moreira, pedagoga com especialização em gestão por competências pela FIA (USP) e Gestão do Conhecimento pela FGV. As duas são donas da Empathic Consultoria e Treinamentos, que atende empresas justamente na área de recursos humanos.

Para ajudar os profissionais que certamente devem passar pelo momento de feedback dentro do trabalho remoto – a pandemia continua por aí e a segunda onda já chegou em diversos países – conversamos com duas experts no assunto. Elas elencaram 5 dicas rápidas para se ter em mente quando chegar a “temida hora”. Acompanhe:

No home office é diferente?

O ambiente de relacionamento profissional remoto exige outra preparação para conversas de feedback que não sejam lá muito positivas. “Neste tempo de pandemia e de home office, este desafio se torna ainda maior se levarmos em consideração as possíveis barreiras da comunicação no ambiente online e as diversas situações novas que os colaboradores e líderes estão vivendo para lidar com as adaptações e ansiedades do momento”, diz Patrícia Brezolini. Para isso, as experts sugerem uma preparação: “Certifique-se de que sua conexão de internet está estável e cuide para que, nesse momento, o ambiente fique tranquilo e sem interrupções”, diz Cléo Linares. Caso contrário, a conversa pode se estender por causa da má conexão virtual ou ser interrompida o tempo todo, o que fará esse momento pouco agradável se prolongar “para sempre”.

Esteja aberto para ouvir

“Pratique a escuta ativa e tenha interesse em tudo o que está sendo falado”, fala Cléo. Sabe-se que é mais fácil falar isso do que fazer, mas presar atenção no feedback, antes de rechaçá-lo pode trazer imputs para próximas conversas sobre o relacionamento interpessoal entre você e seu gestor. Ainda que não concorde, esteja aberto a reconhecer seus erros. “Uma conversa de feedback bem feita serve para melhorar ou reforçar o processo de desenvolvimento do colaborador”, complementa ela.

Não interrompa quem está falando

Às vezes temos o ímpeto de responder imediatamente enquanto ouvimos uma crítica ou apontamento, mas essa não parece ser a melhor política durante uma conversa de feedbacks: “Por mais que o instinto seja questionar e justificar os erros apontados, resista. Aguarde e ouça atentamente o que está sendo dito – apenas depois exponha os seus pontos de vista”, ensina Patricia Brezolini. Isso facilitará  não apenas a fluidez da conversação, como também a seu interlocutor escutar melhor o que você tem a dizer.

Não faça papel de vítima

“Por mais que você possa pensar que é está sendo injustiçado no assunto, procure pensar onde está sua responsabilidade e o que pode fazer para melhorar”, diz Cléo Linares. É preciso saber que haverão possíveis discordâncias de ponto de vista entre o que seu gestor irá expor e o que você pensa a respeito de determinada situação. Ainda que não concorde com todo feedback, existem maneiras de mostrar qual foi seu raciocínio para tomar determinadas atitudes que não se achar a vítima dentro daquela situação de confronto.

 Traga soluções

Conversas de feedback são delicadas, é verdade, mas podem terminar com novas soluções para os problemas apontados. Se você já tem alguma ideia do que se trata a reunião, pode levar na manga sugestões de resolução: “Procure sempre buscar solução e trazer contribuições de melhoria”, comenta a pedagoga Patrícia. “Coloque seu ponto de vista, as razões e reflexões sobre o assunto, mantendo a calma e a inteligência emocional. O objetivo do feedback é criar acertos, então, esteja aberto ou aberta a contribuições para seu crescimento profissional e o da organização”, reforça a dupla de especialistas.


+ Notícias 

A importância do silêncio para a sua saúde mental

Quais fatores podem reduzir a produtividade no trabalho?

Perdeu o emprego na pandemia? Saiba como se recolocar no mercado de trabalho






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS