Vendas de cerveja da Ambev no Brasil aumentam 25%

Flexibilização da quarentena impulsionou o consumo de cerveja no Brasil

O terceiro trimestre de 2020 foi positivo para a Ambev e trouxe uma boa surpresa para os investidores. A cervejaria anunciou que a venda de suas cervejas cresceu 25,4% no período, em comparação ao mesmo trimestre do ano passado. Foram comercializados 23,75 milhões de hectolitros.

A Ambev acredita que o resultado tenha sido impulsionado pelas medidas do governo: flexibilização das medidas sanitárias impostas para impedir o avanço do coronavírus, como o fechamento dos comércios, e o auxílio emergencial. Outro ponto levantado pela cervejaria foi a retenção dos reajustes dos preços – o planejamento é que isso só aconteça depois do fim da pandemia, seguindo a inflação.

“O terceiro trimestre da Ambev foi marcado pela contínua recuperação em formato de V impulsionada pela estratégia comercial da companhia, à medida em que inovação, flexibilidade e excelência operacional ganharam momentum”, afirma a empresa no balanço do terceiro trimestre.

No período de julho a setembro, a receita do segmento de cervejas foi de R$ 6,65 bilhões, um aumento de 25,2% em relação ao mesmo período de 2019. Os números animam, mas a empresa ainda sofre com a queda sofrida nos meses mais intensos da pandemia: no acumulado de 2020, o lucro da Ambev com as vendas de cervejas no Brasil é de R$ 8,96 bilhões, uma queda de 8,1%.

Não à toa, a empresa afirma estar de olho no comportamento do consumidor que, por exemplo, aumentou o consumo de Skol nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Pode ser que mais uma marca, que fique entre o básico e o premium, seja lançada em breve.


+ Notícias 

Confiança de serviços cai após cinco meses de altas

5 tendências de consumo para o fim do ano






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS