Veja alimentos que ajudam a melhorar o desempenho no trabalho

A alimentação saudável favorece a concentração e o raciocínio

Nos últimos meses, as pessoas passaram por uma mudança brusca na rotina. O isolamento social e o home office transformaram a casa em escritório, local de lazer e de descanso – e isso influenciou diretamente nos hábitos alimentares. Análises do NutriNet Brasil, estudo sobre alimentação realizado pela USP, mostraram aumento no consumo de alimentos ultraprocessados em algumas regiões. Por outro lado, a frequência no consumo de frutas, hortaliças e feijão também aumentou.

Com todas as mudanças de rotina, a nutricionista Gabriela Cilla alerta que manter uma alimentação saudável pode melhorar o desempenho no trabalho e em outras atividades do dia a dia. “Uma boa alimentação, em quantidades adequadas, contribui para o raciocínio e a concentração. Por exemplo, alimentos que aumentam o pico glicêmico ou que causam sonolência diminuem esses processos e influenciam negativamente no desempenho diário. Já os que trazem saciedade e possuem questões biológicas voltadas para o raciocínio são altamente recomendados”, afirma.

O cardápio ideal

Além dos alimentos que vão compor o cardápio, é preciso pensar na regularidade da alimentação. Muitas pessoas em home office relatam que, por não existir mais a hora do almoço em equipe ou a conversa para um cafézinho, acabam esquecendo de comer – o que não é saudável.

“É interessante que se tenha uma alimentação, em média, de três em três horas. Quando a pessoa mantém uma alimentação com duas a três horas e meia de intervalo, a questão energética se torna mais eficaz e a fadiga diminui”, explica Gabriela.

Mas, para que os benefícios sejam percebidos, os alimentos precisam ser adequados. A nutricionista cita alguns que devem estar no cardápio de quem deseja ter um bom desempenho no trabalho.

  • Fontes de origem de Ômega 3: nozes e peixes são ótimas opções para a alimentação do dia a dia. Isso porque o Ômega 3 presente nesses alimentos favorece a comunicação entre os neurônios, melhorando a concentração, memória e aprendizado de maneira geral.
  • Vitaminas do complexo B: podem ser encontradas em leguminosas (feijão, lentilha, grão-de-bico) e nas oleaginosas (castanhas, amêndoas). Além de melhorar a comunicação dos neurônios, esses alimentos são fonte de energia.
  • Ovo: presente na gema do ovo, a colina é uma substância importante para a produção de células nervosas, ou seja, influencia diretamente na memória e na cognição.
  • Carboidratos: de maneira geral, os carboidratos de origem integral são melhores por diminuírem o tempo de absorção e aumentarem a questão da saciedade. Além disso, são importantes fontes de energia que não causam picos de glicemia, evitando problemas como a sonolência.
  • Cafeína: café, chá verde, chá mate, pó de guaraná e gengibre são alguns dos alimentos que possuem cafeína, substância que combate a fadiga mental e deixa a pessoa mais alerta.
  • Chocolate amargo 70%: para adocicar um pouco o dia a dia, o chocolate amargo pode entrar na dieta. Ele possui cafeína e libera a endorfina, que pode ajudar a diminuir a questão do estresse associada ao trabalho.

Na lista dos alimentos para serem evitados durante o período de trabalho, Gabriella cita os gordurosos, que demandam muito energia na digestão; farinhas e açúcares refinados, que causam picos glicêmicos e, em seguida, causam fadiga e fome; e refrigerantes.

Para um resultado melhor, é importante procurar um nutricionista, que fará a elaboração de um cardápio personalizado.


+ Notícias 

Viver melhor: conheça a tendência global

5 habilidades fundamentais para se dar bem no home office






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS