Personalização: um bom começo para acelerar suas vendas digitais

Para a Zoly – especialista em aquisição e aceleração digital que integra o clã Mutant – chances serão cada vez menores para as marcas que não optarem por trazer um diferencial no relacionamento com o cliente durante a jornada de vendas digitais

Entender o que o cliente busca para a entrega de uma comunicação assertiva no momento e canal mais adequado, com transparência e zelo é essencial. “Não vai existir amanhã para quem não souber aliar esses valores a customer experience e usar os dados de maneira estratégica para entregar personalização”, diz Fábio Sayeg, Co-CEO da Zoly.

Seu desejo é uma ordem

Os conceitos de growth e aceleração de vendas digitais estão diretamente conectados com o entendimento do perfil do consumidor, suas necessidades e dores. Por isso, o mapeamento de personas e jornadas digitais são fundamentais para o sucesso de qualquer estratégia digital.

É com essa premissa que a Zoly aposta em tomar riscos, trazendo para o mercado um modelo inovador de remuneração: a empresa só ganha com o sucesso efetivo das operações desenhadas para seu portfólio de clientes.

“A gente fala muito em transformação digital, mas é hora de falarmos em evolução digital. Todo ser humano quer se sentir querido e especial. As pessoas desejam uma experiência personalizada, mas a grande maioria das empresas ainda peca por não saber humanizar esse processo, deixando de entregar valor ao cliente”, explica o executivo.

Avalie o contexto

O especialista reitera que o novo consumidor entende seu poder na tomada de decisão e não quer ser impactado por comunicações que não façam sentido para ele.

“Essa pessoa precisa de alguém preparado para entender suas dores e necessidades, não alguém que queira empurrar qualquer produto ou serviço apenas para vender. Por isso, o fracasso está reservado para quem gerar frustração ao entregar ofertas que não se encaixem no contexto do consumidor”, complementa.

Seja empático

Neste processo de humanização, a empatia é uma peça-chave. Colocar-se no lugar do cliente facilita a criação de soluções inovadoras e experiências transformadoras.

“Tudo é sobre pessoas e seus comportamentos. Através da tecnologia, temos acesso a dados que podem trazer insights bem relevantes sobre as preferências e sentimentos das pessoas. Isso faz toda a diferença, porque a partir desse entendimento, conseguimos definir qual o melhor momento para conversar com o cliente e como fazer isso. A gente consegue impactar no momento certo, com uma comunicação adequada”, finaliza.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS