Organizações exponenciais: 3 caminhos para melhorar os resultados

Em um mundo cada vez mais digitalizado, é preciso criar uma nova mentalidade, ter atributos e um propósito transformador massivo

O mundo está mudando em uma velocidade nunca prevista. Essa rapidez é impulsionada pela convergência e junção de toda inteligência e tecnologia desenvolvidas nos últimos 300 anos – é o que os especialistas chamam de singularidade. Nesse cenário, as empresas buscam caminhos para acompanhar as mudanças e organizar o modelo de negócios de forma a, possivelmente, se tornarem organizações exponenciais, ou seja, se beneficiarem do rápido crescimento da tecnologia para desenvolverem soluções com rapidez e baixo custo, conquistando melhores resultados.

Gabriel Campillo, coach e consultor de organizações exponenciais e professor da iE Business School, explicou o momento durante palestra no Leadership Knowledge Meeting, programa desenvolvido pelo Grupo Padrão em parceria com a IE Business School de Madri (uma das cinco melhores escolas de negócios, finanças e educação executiva do mundo). “A mágica está sendo feito porque muitas tecnologias que estávamos acostumados a ver separadas estão começando a ser utilizadas juntas. A singularidade está a caminho. Um exemplo é a vacina do coronavírus, que usa nanotecnologia, biotecnologia e dispositivos de impressão 3D, tudo se juntando para produzir uma vacina global”, diz.

E como as empresas podem se posicionar diante disso para ter melhores resultados? Campillo lista três caminhos.

Nova mentalidade

Com sociedade e mercados cada vez mais digitais, é preciso pensar diferente. “Se não mudarmos nossa mentalidade vamos continuar produzindo mais do mesmo, tentando ter diferentes resultados fazendo a mesma coisa repetidas vezes”, afirma Campillo.

E quando se trata de tecnologias exponenciais é preciso ter resiliência. Marcelo explica que uma característica comum entre elas é a de que, no início, parecem não dar resultado, mas, a partir de um determinado momento simplesmente aceleram. A proficiência delas vai aumentando exponencialmente ao longo do tempo, de forma que em 30 passos, os 25 primeiros representam 3,1% do caminho percorrido e os 5 últimos 96,9%.

Portanto, para Gabriel, o segredo da “nova mentalidade” que irá levar a empresa aos desejados 10x característicos das organizações exponenciais é focar no impulso, na convergência e na singularidade das tecnologias exponenciais.

Leia também: Como lidar com o mundo VUCA trazido pela pandemia nos âmbitos pessoal e profissional 

Atributos necessários

Existem 10 atributos que oferecem um quadro de como atrair a exponencialidade para a organização. Eles estão divididos em dois âmbitos: o das ideias e o da escala. O primeiro representa tudo o que está relacionado ao gerenciamento da informação produzida pelo uso de tecnologias exponenciais. O segundo diz respeito ao que está acontecendo do lado de fora da empresa. Ambos estão diretamente ligados ao crescimento.

Dentro da parte da escala estão cinco atributos. O primeiro é o “staff e demanda”, ou seja, para a atividade que a empresa pratica com o objetivo de gerar valor é preciso contratar uma grande equipe? Serviços podem ser encontrados de outras formas no mundo conectado. Em segundo lugar está a “comunidade e multidão”, que nada mais é do que uma forma de gerar marketing atrativo se juntando a comunidades. Os outros são “algoritmos”, já que tudo pode ser automatizado, “impulsionamento de ativos”, e “engajamento”.

Quando se trata do âmbito das ideias, os cinco atributos são: “interface” com os consumidores; “painéis de controle” para gerenciar todas as informações e entender o que está acontecendo para tomar decisões; “experimentos”, oportunidades de criar e desenvolver hipóteses que precisam ser testadas no mercado; “autonomia” da equipe para lidar com a velocidade; e “tecnologias sociais” que facilitam a comunicação.

Leia também: 10 tipos de inovação para transformar os negócios em tempos de mudanças exponenciais 

Propósito transformador massivo

Por fim, para que um modelo de negócio seja exponencial, ele precisa ter um propósito transformador massivo. Como disse Simon Sinek, “As pessoas não compram o que você faz, compram o porquê você faz”. Além disso, equipes que se identificam com o propósito do trabalho diário possuem mais dedicação e entregam um produto melhor.

Gabriel Campillo afirma que a peça-chave para construir esse propósito e ser audacioso. “Não tenha medo de mirar na lua. É preciso ser audacioso para ser significante. É preciso ser transformador de uma forma que faça sentido para você, para a sua comunidade, para os colaboradores, para a humanidade. Não importa de onde você vem, precisa saber para onde está indo.”

Um exemplo de propósito transformador massivo de organização exponencial é a TED com: “ideias que valem a pena espalhar”. E, de fato, grande parte das informações relevantes do mundo passam pelos eventos da empresa, que cresceu muito nos últimos dez anos. Outro exemplo é o Google, com o propósito de “organizar as informações do mundo” – esse dispensa qualquer explicação.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS