Uso da Inteligência Artificial tem gerado mais receita para as empresas

Resultados de uma pesquisa global realizada pela McKinsey sugerem que as organizações estão usando cada vez mais a IA como uma ferramenta para gerar valor

Quando pensamos em Inteligência Artificial, logo nos vem à mente a ideia de tecnologias extremamente evoluídas, que nos remetem praticamente a um filme de ficção científica. Mas a IA está cada vez mais presente nas pequenas coisas do dia a dia, e tem sido mais utilizada pelas empresas que desejam concentrar seus esforços em pilares estratégicos, deixando a tecnologia cuidar do que é mais operacional.

Esse uso da Inteligência Artificial tem feito com que as empresas gerem cada vez mais receita, de acordo com um levantamento realizado pela consultoria McKinsey. Veja a seguir os principais destaques do estudo.

Adoção e impacto da IA

De acordo com o levantamento, apesar de os dados não mostrarem um aumento na adoção de Inteligência Artificial, muitas empresas estão gerando receitas e reduções de custos com o uso da tecnologia. Metade dos entrevistados disse que suas organizações adotaram IA em pelo menos uma função, com destaque para os setores de alta tecnologia, telecomunicações e automotivo.

Entre as principais funções de negócios nas quais as organizações adotam IA, destacam-se as operações de serviço, desenvolvimento de produto ou serviço e marketing e vendas. Nesses casos, de acordo com os entrevistados pela McKinsey, a IA ajudou no aumento da receita para otimização de estoque e peças, preços e promoção, na análise de serviço ao cliente e na previsão de vendas e demanda, gerando aumento da receita em ⅔ dos casos. Quem optou por usar a IA para otimizar o gerenciamento de talentos, automatizar contact centers e estoques relatou, ainda, uma redução nos custos.

O uso de “deep learning” – tecnologia de aprendizado de máquina que usa redes neurais para fornecer melhores resultados – também foi abordado na pesquisa, mas apenas 16% dos entrevistados disseram que suas empresas avançaram nesse sentido. Mais uma vez, as companhias de alta tecnologia e telecomunicações lideram o ranking.

Os resultados da pesquisa da McKinsey sugerem que poucas empresas reconhecem os muitos dos riscos do uso de IA, e que menos  ainda estão trabalhando para reduzi-los. O único risco que a maioria das organizações considera relevante continua sendo a segurança cibernética. A preocupação com a segurança nacional e física também cresceu em relação a 2019.

Leia também: Organizações exponenciais: 3 caminhos para melhorar os resultados 

Reflexos da pandemia

Os desafios econômicos impostos pela pandemia do novo coronavírus não impediram as empresas que enxergam maior valor na IA de continuar investindo em tecnologia. De acordo com o relatório, muitas organizações, inclusive, aumentaram o investimento em IA em resposta à pandemia.

A maioria das empresas de alto desempenho (61%) aumentou seus investimentos em IA em meio à crise do COVID-19, embora as mudanças variem por setor. Os segmentos mais propensos a aumentar os investimentos em IA nesse período foram automotivo e de montagem, serviços de saúde e produtos farmacêuticos e médicos.


+ Notícias 

10 tipos de inovação para transformar os negócios em tempos de mudanças exponenciais 

Como o analytics pode transforma o relacionamento 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS