Reformar a casa se tornou essencial no ano de 2020

CEO da Telhanorte Tumelero revela o impacto da mudança de comportamento do consumidor na pandemia e conta alguns planos para 2021

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Grupo Consumoteca, 55% das pessoas da classe A e 39% dos entrevistados da classe C fizeram alguma mudança na decoração do lar ao longo da quarentena. A quantidade de consumidores que se dedicaram a reformar a casa em 2020 certamente foi maior do que o número de pessoas que planejaram investir nisso neste ano, mas este foi mais um efeito da quarentena. Na Telhanorte Tumelero, como conta o CEO Juliano Ohta, foi fácil perceber esse movimento.

“No começo da quarentena, não estávamos vendendo muitos produtos para reformar a casa, que dependem de terceiros para serem utilizados, mas, a partir de maio, houve um aumento na venda desses itens”, lembra. Ao perceber que ficaria em casa por mais um período, o consumidor começou a investir em conforto, bem-estar e até mesmo na qualidade de vida – afinal, o lar se tornou o lugar onde tudo acontece. “Percebemos o crescimento do consumo não apenas de itens para reforma, mas também para manutenção e organização da casa”, revela.reformar a casa


+ NOTÍCIAS

CEO do Assaí faz análise sobre respeito ao cliente em ano insólito

Claro comprova que há relação entre conectividade e respeito ao cliente

Futuristas revelam como o comportamento do consumidor impactará 2021


 






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 262: O consumidor é phygital

CM 261: O respeito ao cliente é o caminho para 2021

Anuário: A omnicanalidade em todo lugar

VEJA MAIS