Novas metas para telecomunicações obrigam investimentos em fibra óptica

Decreto com metas para o setor foi publicado no Diário Oficial nesta quinta-feira

Foto: Shutterstock

O novo Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU V) para o setor de telecomunicações foi publicado no Diário Oficial nesta quinta-feira (28). O decreto, aprovado no ano passado pela Anatel, é válido para o período de 2021 a 2025 e traz metas que devem ser cumpridas pelas concessionárias do setor.

O texto coloca como obrigação o investimento na implantação de redes de fibra óptica em 1,5 mil municípios brasileiros que ainda não possuem a estrutura. A estimativa é de que, até 2024, as redes de alta capacidade e velocidade de internet alcancem 5.500 municípios do País, ou seja, uma cobertura de 99%.

Agora, a Anatel tem três meses para selecionar aos municípios que serão contemplados. Todos os custos relacionados com o cumprimento das metas serão de responsabilidade das concessionárias.

Leia também: Você sabe o custo de cada gigabyte consumido no Brasil? 

As novas metas vão de encontro com a realidade atual, na qual as pessoas estão passando mais tempo dentro de casa, dependendo muitas vezes da internet para entretenimento, estudo e trabalho. A demanda por banda larga aumentou e, por isso, os investimentos serão direcionados para aumentar a cobertura.

Para além do decreto, outra preocupação das operadoras em relação à banda larga deve ser com a qualidade do serviço oferecido. Isso porque no balanço de reclamações de 2020 divulgado pela Anatel, a banda larga foi o serviço mais criticado, com aumento de 31,6% nas reclamações em comparação ao ano anterior.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS