As estratégias da Azul para manter o cliente por perto durante a pandemia

Investindo em tecnologia, a companhia aérea inovou no atendimento ao cliente com o objetivo de fazê-lo sentir-se em casa

O mercado de transportes aéreos foi um dos mais afetados pela pandemia. Com o isolamento social, as reuniões de trabalho passaram a ser feitas de forma online e as viagens de lazer foram canceladas. O impacto foi tão grande que, segundo a Embraer, o tráfego global de passageiros só deve retornar ao nível pré-pandemia em 2024. Diante desse cenário, as empresas do setor precisaram agir, e a Azul soube inovar para manter os consumidores por perto.

Com foco na experiência do cliente e intuito de transmitir o sentimento de segurança, a companhia aérea brasileira investiu em tecnologia para inovar no atendimento. Uma novidade que pôde ser vista nos aeroportos ainda em 2020 foi o Tapete Azul, um conjunto de projetores e monitores, que, por meio de realidade aumentada, formam um tapete virtual colorido e móvel no chão, indicando ao cliente o momento certo de embarcar de acordo com seu número e assento.

Tapete Azul. Foto (captada antes da pandemia): Divulgação.

“Queremos que nossos clientes se sintam em casa e desejem chegar aos seus destinos preferidos à bordo das aeronaves da Azul. Estamos preocupados em oferecer um serviço que encante e atenda às necessidades do cliente de ponta a ponta. As inovações, além de ampliarem a experiência de voo, otimizam os processos operacionais e de logístico. O Tapete Azul, por exemplo, gerou uma diminuição de cerca de 25% no tempo de embarque do passageiro. Na pandemia, a tecnologia ajudou na manutenção do distanciamento social necessário”, conta Marco Barbosa, diretor de experiência do cliente da Azul.

Outras inovações foram a bancada digital para despacho da bagagem, na qual o cliente pode despachar a bagagem por conta própria usando o QR Code do check-in feito no celular, e a ferramenta de rastreio de bagagem, que monitora o caminho das malas desde o despacho até a entrega no destino final. Usando o aplicativo da Azul, o viajante pode acompanhar todo o trajeto dos seus pertences em tempo real.

Conectar o Brasil

Para Marco Barbosa, mesmo em um cenário tão adverso como o da pandemia, a manutenção dos serviços e as novidades trazidas fizeram o papel da companhia: conectar o Brasil proporcionando o melhor para os viajantes. “Nossa malha aérea foi essencial para transportar profissionais da saúde, medicamentos e equipamentos médicos. Gradualmente, de maneira segura e responsável, fomos colocando nossos aviões nos ares novamente. E, com muito orgulho, fomos a empresa aérea que mais voou em 2020 de toda a América Latina, segundo levantamento da Cirium”, diz o executivo da Azul.

Ainda no sentido de prestar um serviço para a população – e, consequentemente, mostrar valor para os consumidores -, a companhia anunciou que vai transportar de graça as vacinas contra a Covid-19 que forem aprovadas pela Anvisa. “Vejo isso como um grande legado, além de todas as inovações tecnológicas que criamos e vieram para ficar”, afirma Marco.

Como resultado de todas as ações, a companhia espera agora superar a operação do início de 2020, quando mantinha 900 voos diários. A Azul se mostra confiante na retomada do setor e tem o objetivo de seguir em ritmo de expansão, ampliando a oferta de voos e atingindo a meta de servir 200 cidades em todo o Brasil.


+ Notícias 

O que podemos esperar do turismo no Brasil? 

O que é necessário para construir uma jornada de experiência eficaz 

 






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 262: O consumidor é phygital

CM 261: O respeito ao cliente é o caminho para 2021

Anuário: A omnicanalidade em todo lugar

VEJA MAIS