O que fez o aplicativo Telegram ser o mais baixado do mundo em janeiro?

Conheça o aplicativo que ganhou visibilidade após o anúncio das novas políticas de privacidade do WhatsApp; ele é realmente mais seguro?

Foto: Shutterstock

O anúncio das novas políticas de privacidade do WhatsApp deu o que falar, e muitas pessoas correram para buscar uma alternativa mais segura em relação aos dados. O reflexo disso está em um relatório que mostra que o aplicativo Telegram foi o não relacionado a jogos mais baixado do mundo em janeiro de 2021, com mais de 63 milhões de instalações.

Os países que mais baixaram o aplicativo de mensagens foram a Índia, com 24%, seguida pela Indonésia, com 10%. As estimativas de download de aplicativos são da plataforma Store Intelligence, da Sensor Tower.

Política de privacidade

A nova política de privacidade do WhatsApp, anunciada em janeiro, consiste no compartilhamento de dados de usuários com empresas parceiras do Facebook, proprietário do WhatsApp, assim como do Instagram e do Messenger. Por isso, muitos usuários viram no Telegram uma alternativa de aplicativo de mensagens mais segura.

Após uma enxurrada de críticas, o WhatsApp recuou com a mudança na política de privacidade, apostou em uma campanha de comunicação com seus usuários e estendeu a data limite para a aceitação dos termos para 15 de maio de 2021.

Mas aí já era tarde, e o app de mensagens mais famoso do mundo viu seu concorrente, o Telegram, decolar.

Como funciona o aplicativo Telegram

Com início das operações em 2013, o Telegram foi fundado pelos irmãos russos Pavel e Nikolai Durov.

O aplicativo oferece aos usuários o envio e recebimento de mensagens de texto, áudio, imagem e vídeo, além de arquivos de diversos formatos, de forma gratuita, assim como seu principal concorrente, o WhatsApp.

Segundo dados da própria companhia, o Telegram é um mensageiro baseado em nuvem com sincronização contínua. Isso significa que o usuário pode acessar mensagens de vários dispositivos ao mesmo tempo, incluindo tablets e computadores, e compartilhar um número ilimitado de fotos, vídeos e arquivos (doc, zip, mp3, etc.) de até 2 GB cada.

Em relação à privacidade, a empresa atesta que sua prioridade é proteger as conversas e os dados de seus usuários.

“O objetivo do Telegram é criar um mensageiro verdadeiramente livre, sem os contrapontos habituais. Isso significa que, em vez de desviar a atenção do público com configurações de baixo impacto, podemos nos dar ao luxo de nos concentrar nos problemas reais de privacidade existentes no mundo moderno”, diz um trecho de sua política de privacidade.

O aplicativo Telegram e suas funcionalidades

Ao desenvolver o app de mensagens, os irmãos russos tiveram bastante preocupação em criar ferramentas para dizer, no mínimo, inovadoras, que remetem o usuário comum a filmes de ação ou ficção científica.

Isso porque o aplicativo tem funcionalidades bastante interessantes para aqueles que desejam se comunicar sem deixar rastros. Entre elas estão os chats secretos, que usam criptografia de ponta a ponta (ela garante que somente você e a pessoa com quem você está se comunicando possam ler ou ouvir as mensagens trocadas), além de não permitir que tais mensagens sejam encaminhadas.

E quando um dos usuários apaga as mensagens do seu lado da conversa, o aplicativo do outro lado do chat secreto será solicitado a apagá-las também.

Além do mais, é possível configurar as mensagens, fotos, vídeos e arquivos para autodestruição em um determinado período depois que elas foram lidas ou abertas pelo destinatário. A mensagem simplesmente desaparece de ambos os dispositivos.

E, para provar que é realmente segura, a plataforma oferece 300 mil dólares de recompensa para aqueles que conseguirem decifrar mensagens do aplicativo. Mas não para por aí: todos os envios que resultarem em uma mudança de código ou configuração são elegíveis a recompensas de até 100 mil dólares, de acordo com a gravidade do problema.

O que é a criptografia de ponta-a-ponta?

A criptografia de ponta a ponta funciona nas conversas pelos aplicativos de mensagem, e garante que somente os interlocutores – quem envia, e quem recebe – possam ler ou ouvir as mensagens trocadas.

Diferentemente do WhatsApp, os chats do Telegram não possuem criptografia de ponta-a-ponta por padrão, sendo que o recurso só está disponível nos chats secretos.

Como os chats secretos são salvos apenas nos dispositivos dos participantes do chat, eles não podem ser acessados de outro aparelho – e desaparecem quando você sai ou exclui o aplicativo.

Essa funcionalidade está disponível no aplicativo Telegram nos dispositivos iOS, Android e macOS. A versão da Web e o aplicativo do Windows não oferecem suporte a chats secretos, portanto, não podem garantir o armazenamento seguro de chats no dispositivo.

E foi nesse quesito que o WhatsApp aproveitou para alfinetar o seu principal concorrente, em um comunicado em seu site, após publicar explicações sobre a futura mudança de compartilhamento de dados do aplicativo: “Sabemos que alguns dos nossos concorrentes afirmam que não podem ler as conversas de seus usuários. É importante lembrar que se um aplicativo não oferece criptografia de ponta-a-ponta por padrão, isso significa que ele pode ter acesso ao conteúdo das suas mensagens”, sugeriu.

O Telegram pode ser considerado um plano B?

Na batalha de aplicativos, Telegram e WhatsApp se esforçam o tempo todo para demonstrar que são seguros, rápidos e funcionais.

No quesito funcionalidade, a principal vantagem do WhatsApp em relação ao concorrente era o recurso de chamadas em grupo, para voz e vídeo – serviço que foi incorporado ao Telegram recentemente, deixando a disputa com o concorrente acirrada.

Fora isso, o Telegram tem a vantagem de oferecer canais, que funcionam como grandes comunidades com milhares de participantes. Por fim, o aplicativo dá ainda maior liberdade para apagar mensagens e envios — opção que fica indisponível no WhatsApp após uma hora.


+ Notícias 

Juntas, Big Techs somam quase US$ 150 bilhões  em aquisições 

Quais os golpes mais comuns na Amazon? 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS