Medo do fracasso? Saiba como transformar o sentimento em bons frutos

A maneira como o profissional enxerga suas ações faz toda a diferença para combater a insegurança

Foto: Shutterstock

Atire a primeira pedra quem nunca se sentiu inseguro em algum momento da carreira. O medo do fracasso é um sentimento que pode ser bastante comum durante a vida profissional. Mas suas razões e, principalmente, a maneira de lidar com esse medo merecem atenção, já que podem transformar a rotina da pessoa em algo maçante, além de afetar todos os âmbitos da vida.

Mas como identificar esse medo? Como acabar com essa insegurança? E como transformar o medo do fracasso em um potencializador da sua carreira? Confira!

Medo do fracasso na carreira

O medo é um dos sentimentos inerentes aos seres humanos. Muito mais do que nos deixar desconfortáveis com nossa vida profissional, essa sensação foi muito útil para toda a sobrevivência humana. Ou seja, sem ela, nem estaríamos aqui.

Mesmo sendo uma sensação inevitável, viver com o medo constante prejudica inúmeros âmbitos da vida, tanto pessoal quanto profissional. Quando o medo é exacerbado, pode, inclusive, se tornar uma ansiedade, que também mina o bem-estar mental dos indivíduos.

Leia também: Alienar-se tem o seu valor para dar um respiro à mente? 

O medo do fracasso na vida profissional é um desses “tipos” de medo bastante comuns e que preocupa aqueles que querem melhorar seu trabalho, suas ações e, consequentemente, sua vida.

Para Ana Chauvet, especialista em recrutamento e seleção e consultora de carreira, o medo do fracasso está muito relacionado com o receio de ser descoberto como uma fraude e sofrer consequências por isso.

“Muitas pessoas têm medo de errar porque acham que vão ser mandados embora, que as pessoas vão perceber que ele não é bom naquilo que faz. Mas você só vai aprender sobre a dinâmica de uma empresa ou uma nova função fazendo, errando. O problema é que algumas pessoas acreditam que é o fim do mundo errar, mas não é. Estamos em uma eterna vida de aprendizado, não tem como não errar”, afirma a especialista em carreira.

Entender os erros como algo normal da vida profissional é o primeiro passo para aprender a lidar com o medo do fracasso na carreira. Para Ana Chauvet, é importante lembrar que na vida ou no trabalho, tudo é aprendizado, inclusive os erros.

Por isso, saber melhores formas de utilizar esse sentimento para impulsionar seu trabalho é possível – e essencial.

Medo do fracasso e síndrome do impostor

Esses são dois sentimentos que andam lado a lado na vida profissional. Enquanto o medo do fracasso refere-se ao medo de errar na carreira profissional e nas atividades do dia a dia, a síndrome do impostor é sobre o sentimento de que nada do que se faz é bom o suficiente. E que, quando os outros perceberem isso, perderá o emprego, a posição ou será exposto como um mau profissional.

“A síndrome do impostor é um termo criado para falar sobre ações que a pessoa tem que vão além do medo do fracasso. É achar que nunca o trabalho está bom, sempre achar que não vai dar certo, achar que tudo o que faz não tem valor ou é suficiente. A pessoa se diminui, se vê pequena perto dos colegas de trabalho”, explica a especialista.

Esse sentimento, de acordo com a psicóloga, é responsável por minar a confiança do profissional, o que aumenta ainda mais seu medo de fracassar na carreira, tornando-se um ciclo de inseguranças.

Isso porque, na visão da profissional de carreira, o medo não está exatamente no erro, mas nas consequências que a pessoa pensa que terá caso erre. “Essa é a maior preocupação para as pessoas, não o fracasso em si”, afirma.

Para Ana, o mais importante de tudo é entender o que está sendo aprendido com o erro específico ou com esse medo. Assim, é possível tornar o medo do fracasso em um impulsionador para a carreira.

Transformando o medo do fracasso

“Quando a gente erra e não deixa o medo tomar conta, a gente passa a se arriscar mais, consegue ter novas ideias, percebe novas possibilidades e passa a entender os próprios comportamentos. Com isso, aprende a lidar também com as dificuldades e com a sensação de fracasso”, afirma Ana Chauvet.

Para ela, a maneira como o profissional lida com essas frustrações é mais importante do que o próprio medo. Isso porque a atitude muda a forma como a pessoa enxerga a situação e a coloca em nova perspectiva, como um aprendizado, e não como um erro que vai minar toda a sua carreira (pensamento comum entre as pessoas com síndrome do impostor).

Mas para fazer isso é preciso, primeiro, ter uma vida equilibrada. Ana explica: “quando falamos da Pirâmide do Crescimento Profissional, falamos de trabalho, carreira, missão e propósito. Em cada ponta da pirâmide, há os pontos corpo, alma e mente. Se não houver equilíbrio entre as três pontas, a vida estará totalmente estressante. Quando você lida bem com esses três fatores, você consegue enxergar a carreira de uma maneira muito melhor. Conforme você se conhece e se entende, você aprende a lidar muito melhor com o medo do fracasso e os resultados do futuro”, diz.

3 passos para acabar com o medo do fracasso

Mesmo sabendo da importância de ressignificar o sentimento de medo, nem sempre é fácil colocar isso em prática no dia a dia, principalmente em meio a rotinas estressantes e atarefadas.

Segundo Ana, o principal ponto para começar a enxergar a carreira como uma eterna “escola” é, antes de tudo, ter autoconhecimento. Confira as dicas da profissional!

1. Conhecer seus pontos positivos e negativos

Saber no que você é bom e reconhecer suas dificuldades é essencial para diminuir inseguranças e entender qual caminho você deve seguir. Conhecendo as habilidades que tem, o profissional passa a confiar no seu trabalho, diminuindo a sensação de que irá fracassar naquela carreira.

E, sabendo quais as maiores dificuldades, é possível definir um plano para melhorá-las e deixarem de ser um “problema”. Tendo esse controle do que é preciso ser feito para aprimorar cada aspecto, o profissional consegue ter mais confiança no seu trabalho e diminuir o medo do fracasso na carreira.

2. Traçar planos de ação para aprimoramento

De acordo com Ana Chauvet, é essencial que, depois de fazer uma reflexão de autoconhecimento e definir suas habilidades e dificuldades, seja traçado um plano de ação para aquilo. Isso vai desde se qualificar em alguma tarefa específica, até mesmo a trocar de carreira.

“Por exemplo, se você é uma pessoa que tem falta de atenção e trabalha em uma área analítica, há muito mais dificuldades. Quando você entende que seu perfil não se encaixa nisso, percebe que está no caminho errado, o que causa estresse e medo, e tem a possibilidade de mudar para o caminho certo. E se você tem uma outra dificuldade específica, mas que não tira seu perfil daquela área, você pode tomar decisões para se desenvolver e não errar mais, trazendo mais segurança”, explica a profissional de carreira.

3. Enxergar os erros como aprendizagem

O medo de fracassar na carreira pode ser paralisante, pode mudar, inclusive, traços da personalidade do profissional e alterar toda a percepção dele com o mundo.

Para alterar esse ciclo, a especialista diz que o principal é entender que qualquer erro é um aprendizado e que cometê-los não significa ter fracassado na carreira. Além disso, o medo de estar no caminho errado pode fazer com que a pessoa perca sua capacidade de se adaptar e mudar.

Segundo ela, é importante avaliar qual é o medo, se houveram erros ou não e encará-los como uma aprendizagem, utilizando-os para formular um plano de ação para melhorar as dificuldades e ganhar mais confiança.

Com essas dicas, o medo do fracasso na carreira pode ser melhor controlado e deixa de atrapalhar a confiança do profissional em seu trabalho, tornando-se um ciclo de desenvolvimento e crescimento para a vida profissional.


+ Notícias 

Caminhos para reconstruir a barreira entre trabalho e vida pessoal 

Autogestão: como desenvolvê-la na vida pessoal e profissional 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS