Como transformar dados financeiros em insights para os negócios

Usar todas as informações que se têm disponível pode ser um triunfo para as empresas, e isso inclui os dados financeiros

Foto: Shutterstock

Os dados financeiros têm cumprido, cada vez mais, um papel estratégico nas empresas: o de guiar e amparar decisões de extrema importância para os negócios. Assim, inicialmente, é preciso que as informações estejam bem organizadas para que possam ser interpretadas.

Para Luiz Nóbrega, consultor em compliance, um bom gerenciamento dos dados é fundamental para extrair melhor as informações e aplicá-las de forma inteligente no negócio. “Uma organização precisa de um bom controle interno para assegurar os dados e uma boa contabilidade, inteligível, bem classificada, a fim de poder subsidiar os gestores com qualidade e segurança”, explica.

Contudo, esse gerenciamento nem sempre é fácil para que as empresas coloquem em prática. Segundo uma pesquisa feita pela KPMG Capital, 99% dos entrevistados acreditam que analisar informações com base em grandes volumes de dados é importante para a tomada de decisões. No entanto, 85% têm dificuldades para analisar e interpretar com cuidado os dados e apenas 25% aplicam os insights revelados por meio dos estudos.

Leia também: Advanced Analytics: qual é a importância e como é utilizado no Brasil 

Insights com dados financeiros: caminhos possíveis

Os dados financeiros costumam ter bastante volume dentro das empresas, e saber entendê-los é um caminho importante para o desenvolvimento de produtos e serviços. Atualmente existem inúmeras ferramentas de automatização para diferentes propósitos, mas é preciso automatizar processos complexos do core de seu negócio.

Com isso na cabeça é possível escolher a melhor opção de software. Há ofertas no mercado que, por exemplo, oferecem acesso aos dados financeiros mais importantes praticamente em tempo real, gerando relatórios de indicadores principais de desempenho e incluindo demonstrações financeiras. Tendo as informações estruturadas em mãos, e sem perder tempo, fica mais fácil ter produtividade e alcançar insights valiosos.

Empresas que se utilizam desses mecanismos costumam experimentar maior redução da carga de trabalho contábil e se beneficiar de KPIs (indicadores-chave de desempenho) e percepções que são essenciais para atingir seus objetivos de negócios. A partir disso, é possível reformular o modelo de negócios e estratégia.

E isso não é um privilégio para alguns. Para o consultor em compliance, o que foi caro e inacessível no passado hoje não é mais, e assim, o acesso a bons softwares de gestão financeira estão disponíveis para todos os tipos de empresas.

“Digo isso para demonstrar que as empresas hoje, querendo, têm todos os caminhos para construírem informações de natureza financeira, contábil e econômica para subsídio na gestão e consequentemente na tomada de decisões”, atesta.

Estar com dados acessíveis de forma instantânea dá a mobilidade necessária para a equilibrada tomada de decisões que podem ser fundamentais para validar ou sustentar insights de negócios.

Análises estratégicas

Os dados financeiros são apenas um braço dos vários setores que abrangem uma empresa. Os departamentos operacional, comercial e até o marketing podem fazer parte do leque de informações geradas por uma companhia. Não há uma regra única, tudo depende da organização.

Para a gestão de todos esses dados, empresas recorrem ao Business Intelligence (BI) para a organização metodológica da análise desses dados, incluindo métricas e comparabilidade, a fim de ser uma bússola, um direcionador eficiente e tempestivo para a melhor tomada de decisão dentro das empresas.

O consultor em compliance destaca que de nada adianta captar grandes volumes de dados se estes ficarem desorganizados e apresentados sem ordem e coerência.

“Importante dizer que a informação hoje é amplamente oferecida em diversos canais e plataformas, muitas destas inclusive gratuitas. Ocorre que informação desorganizada não vale nada. O grande diferencial é a organização sistêmica destas informações, a fim de se transformarem em conhecimento e este ser o balizador de decisões e rumos nas empresas”, destaca Luiz Nóbrega.

Por isso, o consultor em compliance elenca três pontos importantes para que uma empresa consiga não somente extrair, mas interpretar os dados com mais assertividade:

  • Bons controles: estes garantirão a assertividade das informações;
  • Bons sistemas: bem parametrizados, poderão trazer as informações organizadas;
  • Boa assessoria: aonde serão feitas a análise de dados e sugeridas as diretrizes e aconselhamentos técnicos.

Fazendo a gestão de riscos

Após a análise criteriosa dos dados, o próximo passo é colher os frutos desse estudo. Para a área financeira, um dos maiores benefícios do Business Intelligence é o chamado Risk Management, ou gestão de riscos.

Cruzando vários tipos de dados, obtidos a partir dos softwares, é possível fazer análises preditivas a respeito do setor financeiro, rastreando facilmente os dados que está usando e monitorando-os.

Informações desse tipo são cruciais para a construção de uma carteira de crédito e investimentos de uma empresa, por exemplo.

Assim, a tomada de decisão sobre investimentos financeiros, cessão ou tomada de crédito, aquisição ou parceria com outras organizações torna-se mais segura e embasada.


+ Notícias 

Solução Aspect Via chega ao Brasil e facilita adoção da tecnologia em nuvem 

Data-driven market: a importância do fator humano no processo de uso de dados 






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 262: O consumidor é phygital

CM 261: O respeito ao cliente é o caminho para 2021

Anuário: A omnicanalidade em todo lugar

VEJA MAIS