Cultura do one stop shop muda estratégia de lojas

Praticidade para o cliente e aumento de vendas para as marcas são resultados esperados da estratégia

Foto: Shutterstock

Comprar tudo o que deseja em um só lugar: esse é o conceito do one stop shop, uma estratégia antiga de mercado, mas que vem ganhando cada vez mais força entre os consumidores. Afinal, encontrar os produtos em um só lugar garante economia de tempo e traz muito mais praticidade para o dia a dia – uma característica cada vez mais valorizada na jornada.

Soma-se as circunstâncias da pandemia, onde, com medo da contaminação pelo coronavírus, os consumidores optam por visitar menos locais e comprar em maior quantidade quando precisam sair de casa para o consumo básico.

O que é “one stop shop”?

O one stop shop nada mais é do que a possibilidade de um consumidor comprar diversos itens em um único lugar. Como a tradução livre sugere, é realizar todas as compras em uma “única parada”. Ou seja, consiste no fato de as lojas oferecerem o máximo de produtos ao cliente em um só lugar, favorecendo, principalmente a experiência desse consumidor, que consegue ter mais comodidade na hora de realizar suas compras. Isso aumenta a satisfação e traz inúmeros benefícios para as lojas e marcas.

A praticidade, entretanto, não é uma moeda nova no mercado. As lojas “que vendem de tudo” já são bastante comuns, já que a ideia existe desde a primeira metade do século XX.

Os formatos, por sua vez, foram se adequando às novas realidades. Hoje, é possível pensar no one stop shop tanto no âmbito físico quanto no digital.

Além disso, a estratégia ainda pode ser aplicada em vários mercados: varejo, marcas e B2B.

  • Varejo: há diferentes maneiras das lojas promoverem o one stop shop, como focando em apenas um segmento, ampliando seu leque de produtos relacionados ou oferecendo itens de diversos setores em um só lugar. Isso também vale para vendas online, já lojas que diversificaram seu leque de produtos têm a possibilidade de vender muito mais.
  • Marcas: também podem aproveitar a ideia do one stop shop para conseguir mais resultados em seus pontos de venda. Nesse caso, é preciso desenvolver produtos relacionados com os já expostos, pensando em como agregar a vida do consumidor, tornando a compra desse novo item mais fácil de acontecer.
  • Empresas B2B: quando uma empresa B2B oferece um sistema com várias funcionalidades, ou todos os produtos necessários para tal negócio ou apresenta análises de soluções diversas, tudo isso em um só lugar. É a estratégia de one stop shop aplicada a esse mercado, já que traz mais facilidades para a empresa contratante.

Pensar em uma estratégia de one stop shop nada mais é do que promover mais facilidade e comodidade ao seu cliente, independente do mercado em que ele atua. Tendo isso em mente, fica mais fácil pensar em inovações e soluções que se enquadrem nesse formato.

Por que a estratégia vem ganhando força?

Apesar de ser uma ideia antiga e já recorrente, as empresas que oferecem esse tipo de experiência simplificada acabaram ganhando mais destaque com a pandemia de coronavírus, que mudou inúmeros hábitos de compra.

Um deles foi a busca por locais que vendem o máximo de itens que eles necessitam, sem ter que entrar e sair de inúmeras lojas, pegar filas e passar mais tempo do lado de fora. Isso porque sair de casa se tornou uma preocupação, além de exigir um preparo e uma atenção maior desse consumidor.

Encontrar uma loja com variedade de produtos ou diversos produtos de uma marca que se complementam, lado a lado na prateleira, foram pontos que ganharam destaque.

Segundo Cristian Arriagada, diretor de negócios do grupo de consumo da 3M no Brasil, o potencial é alto na venda e especialmente na rentabilidade do varejo.

“Essa estratégia ganhou muita força, porque o cliente não está querendo visitar muitos pontos de vendas, e o varejo quer explorar a oportunidade de dar mais acesso aos seus consumidores, para melhorar a experiência e fidelizá-los ainda mais”, diz.

O diretor, que participou da aplicação da estratégia na 3M, salienta que repensar os pontos de vendas de seus produtos e considerar o one stop shop durante a pandemia foi essencial. Pensando dessa maneira, a empresa conseguiu controlar os impactos negativos da pandemia.

Dessa forma, a estratégia de one stop shop traz como benefícios:

  • Aumento do tícket médio de compra;
  • Aumento das vendas em locais one stop shop;
  • Preferência do público pela marca ou loja;
  • Experiência do cliente mais positiva;
  • Contenção de danos da pandemia.

Como aplicar a estratégia one stop shop

Para montar uma estratégia de one stop shop, independente do mercado de atuação da empresa, é preciso avaliar alguns pontos, percebendo o que pode ser melhorado em cada caso para tornar o dia a dia do cliente mais prático e cômodo.

De acordo com Cristian Arriagada, “é possível aplicar o one stop shop apenas explorando espaços dentro da loja que são complementares à sua característica original. Por exemplo, os supermercados podem ampliar os produtos da linha de papelaria escolar e escritório (por causa do home office), dos cuidados com o lar, na linha de faça você mesmo”, indica.

Alguns pontos de merecem atenção na aplicação da estratégia de one stop shop são:

  • Análise da experiência do consumidor;
  • Análise do espaço físico da loja;
  • Sistemas de recomendação para e-commerce;
  • Desenvolvimento de produtos;
  • Publicidade sobre a facilidade;
  • Percepção das necessidades do cliente;
  • Percepção da mudança de comportamento de consumo;
  • Busca por adaptação em momento de pandemia.

Investir em publicidade e comunicação também são indicações do diretor de negócios da 3M. Segundo ele, é preciso que as pessoas saibam da facilidade que sua loja ou marca está oferecendo e lembrem-se disso quando sair de casa.

Aplicar a experiência de one stop shop, portanto, não é algo complicado, mas exige análises da situação do mercado e do comportamento do público da empresa. “Não é necessário mudar as lojas, apenas reavaliar o uso de linhas complementares e criar programas de comunicação frequentes para aquele mix, por exemplo”, indica o diretor.

E se você ainda não está convencido sobre a importância de pensar no one stop shop em seu negócio, saiba que a tendência vai continuar mesmo após a pandemia.

“Nós acreditamos que mesmo com o fim da pandemia, o comportamento da busca por diferentes produtos em um mesmo lugar veio para ficar, uma vez que torna o processo de compra das pessoas mais cômodo. Por isso, as empresas precisam se adaptar para oferecer a melhor experiência aos consumidores”, finaliza Cristian Arriagada.


+ Notícias 

Pandemia impulsiona ofertas de atendimento em domicílio 

Compra online: 74% dos consumidores decidem primeiro pelo preço 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS