Uma dupla transformadora: inovação e propósito para potencializar energias de mudança

A busca pelo novo e pelo diferente leva empresas a mostrarem o melhor de si. Basta vincular essa busca a um compromisso genuíno. Entenda

Foto: Shutterstock

Inovação e propósito caminham juntos quanto mais desafiador é momento da história humana. Enfrentamos, nos últimos meses, certamente o período mais atribulado, incerto e volátil das últimas décadas. As organizações podem considerar reduzir ou repensar as iniciativas de pesquisa e desenvolvimento ou de serviço ao cliente, mas vale a pena repensar essa abordagem. O SXSW Online reuniu líderes de inovação de três segmentos distintos, representando organizações em crescimento para mostrar como investimentos inabaláveis ​​no novo e no diferente, aliados a compromissos e propósitos bem fundamentados e relevantes impulsionam o crescimento e engajamento.

O debate reuniu Melanee Hannock, Chief Innovation Officer do St. Jude Children’s Hospital; Jesus Chavez, Managing Partner do Black//Brown; e Wade Allen, Vice-Presidente Sênior de Inovação da Brinker International para compartilharem suas experiências.

Momento de mudanças

Jesus Chavez diz que a inovação é parte integrante de cada atividade da empresa, porque a Black//Brown se dedica a mostrar como empresas podem atingir novos mercados e a desenvolver negócios em diferentes comunidades. A chegada da pandemia provocou ondas sísmicas que abalaram as bases de negócio e criaram condições para discutir modelos e estratégias, o que potencializou os negócios da Black//Brown. Era urgente pensar em novas formas de atingir novos grupos de clientes a partir de estratégias inovadoras.

Wade Allen, à frente da Brinker International, rede global de casual dining, um dos setores mais atingidos pela desconstrução provocada pela pandemia, comentou que tão logo a empresa percebeu a força disruptiva da Covid-19, a busca por alterações e adaptações no modelo de negócio tornou-se evidente. E assim, a inovação foi essencial para manter o negócio vivo. Mas a inovação sozinha não era a resposta, ela dependia de um propósito claro, que desse sentido para qualquer nova ideia a ser desenvolvida, capaz de fazer com que os colaboradores se sentissem especiais e, dessa forma, fizessem clientes também especiais.

O papel do propósito

Nesse sentido, questiona Melanee, a criação de inovação deve ser direcionada ao propósito? Na opinião de Jesus, o ano de 2020 foi extremamente emocional, com famílias fragilizadas, perdas físicas combinadas com um futuro muito incerto, um contexto que tornou necessário identificar razões mais elevadas para estimular o consumo, baseadas na prática intensiva da conversação, do diálogo e envolvimento com as comunidades.

Engajamento dos colaboradores, impactos positivos nas comunidades de entorno, disposição para entender e se envolver com a vida e as aflições das pessoas. Essas habilildades, associadas à autenticidade, a valorização da missão corporativa e uma jornada de apoio à diversidade são propósitos que funcionam como indutores para a criação de inovação. Jesus diz que a consultoria BCG mostrou claramente um estudo que atesta que a partir de um determinado nível de diversidade, a inovação de valor torna-se mais evidente nas empresas. E o ano de 2020 pôde trazer essa perspectiva a muitas empresas, que anotaram resultados significativos.

Essa busca por diferentes experiências de vida é componente crítico da inovação. Mas quantas empresas estão realmente dispostas a aceitar e a adotar essa diversidade de visões? Criar mecanismos para que as ideias sejam reconhecidas, de forma a fazer a diversidade evoluir para além do discurso e permeie as atividades, dê suporte a missão e estabeleça identidade com o propósito é crucial.

Alinhar propósito à produção de inovação torna as empresas melhores, verdadeiras agentes de transformação e capazes de auxiliar pessoas em toda parte. “Tudo está na missão, quanto mais focada ela for, maior o impacto massivo que ela pode gerar, inclusive além das fronteiras do país de origem”, diz Chavez, da Black//Brown. Para ele, não importam quantas sessões e metodologias existam para produzir inovação, se ela não evidenciar propósitos reais, que encontrem eco nas comunidades, terá alcance limitado.

“O conceito de sucesso profissional vai além da ascensão na carreira, está vinculado na capacidade de fazer alguma diferença para as pessoas com o próprio trabalho”, finaliza Wade.


+ Notícias 

Dados e momentos: um papel para o design em um mundo hiperconectado 

A inovação que tememos é uma história mal contada 






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 262: O consumidor é phygital

CM 261: O respeito ao cliente é o caminho para 2021

Anuário: A omnicanalidade em todo lugar

VEJA MAIS