Atendimento em Libras no varejo: digital, pioneiro e transformador

Magalu quebra paradigmas, provoca inclusão e, seguindo seu propósito, lança mais um formato no relacionamento com o cliente

Dar acesso a muitos ao que é privilégio de poucos. Esse é o propósito do Magalu. Em janeiro deste ano, a empresa teve mais uma oportunidade de honrar este compromisso, desta vez por meio do atendimento. De maneira pioneira, o Magalu tornou-se a primeira varejista a oferecer atendimento na Língua Brasileira de Sinais (Libras) para surdos. O plano agora é ampliar esse modelo para outras marcas do Grupo.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem mais de 10 milhões de cidadãos com deficiência auditiva. É aproximadamente 5% da população. A maioria deles, inclusive, não compreende a língua portuguesa – mesmo escrita. Segundo a Federação Mundial dos Surdos (WFD, na sigla em inglês), 80% dos surdos do mundo têm baixa escolaridade e problemas de alfabetização. Nesse caso, a Libras é a língua correta a ser usada. E o Magalu dá um passo completo no sentido da inclusão a partir de sua iniciativa.

“Todos os atendimentos em Libras acontecem de maneira personalizada e em tempo real, com a intenção de aproximar e oferecer um atendimento cada vez mais adequado a todos os clientes,” afirma Ricardo Querino, gerente-geral de Relacionamento com o Cliente do Magalu. De acordo com as avaliações dos clientes, o nível de serviço é muito satisfatório. Para Querino, o projeto é inclusivo de ponta a ponta. “Além do serviço, estamos oferecendo possibilidades no mercado de trabalho para a comunidade surda”, explica.


+ Notícias

Magalu aparece como 24º maior varejista do mundo em lista de gigantes globais

Retomada brasileira depende de reformas, medidas econômicas e aceleração da vacinação

Magazine Luiza aproveita boom no delivery de comida e adquire AiQfome


 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS