Skin care: um mercado em ascensão na pandemia

Dados da ABIHPEC mostram que o mercado de skin care obteve crescimento de 1,1% em 2020

Foto: Pexels

Com o período de quarentena, uma série de comportamentos dos consumidores foram mudados. As pessoas passaram a se importar mais com a saúde e o bem-estar, por exemplo, muito por causa da própria Covid-19, mas também para criar momentos reconfortantes durante o período de isolamento social. Assim, cresceu a adesão ao skin care (cuidados com a pele), uma maneira leve de manter esse conforto e atrelá-lo a um senso de rotina — fatores importantes para manter a saúde mental durante momentos mais difíceis.

Toda essa movimentação a favor do skin care fez crescer o consumo de produtos faciais — o mercado do setor teve crescimento de 1,1% no ano passado. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria e da Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), houve um aumento de 92,8% no volume de vendas de máscaras faciais de janeiro a maio de 2020, em comparação com o mesmo período em 2019.

O uso da máscara é bastante eficiente para reduzir a rotina muito longa de skin care, sobretudo por unir uma série de necessidades para a pele em um único produto que normalmente tem preço mais baixo.

“As máscaras são feitas com uma concentração bem maior de ativos e mecanismos que aumentam a penetração do produto na pele e as sheet mask, como são conhecidas na Coréia, têm tecnologia para oferecer o tratamento necessário em apenas 15 minutos”, explica Diana Shin Kang, gerente da Sisi Cosméticos, empresa que traz produtos coreanos para o mercado nacional.

Uma maneira de investir em bem-estar natural

O crescimento das máscaras faciais também está atrelado ao aumento no consumo de produtos voltados ao bem-estar, um movimento comum durante o primeiro ano da pandemia, em 2020. Um estudo realizado pela Mandalah, consultoria em inovação consciente, evidencia a tendência: houve um aumento de 139% no número de novos downloads de aplicativos de meditação, além de milhares menções a skin care nas redes sociais.

Mas, para além de apenas criar uma rotina de cuidados com a pele, os consumidores também têm dado bastante atenção à origem e composição dos produtos. Visto que o skin care vem para trazer um toque mais saudável e cuidado para o rosto, há preferência por produtos mais naturais, com uso de argila por exemplo.

“O conceito que já vinha crescendo de beleza limpa ou clean beauty se consolidou ainda mais na pandemia. Os brasileiros já estavam atentos ao que consomem e este momento trouxe um olhar ainda mais cauteloso para a saúde”, completa Diana.

Benefícios do skin care

Ainda que o mercado tenha sido abastecido pela venda de inúmeros produtos, o hábito de manter uma rotina de skin care na verdade traz uma série de benefícios, tanto físicos quanto psicológicos. A parte visual é clara: ter um cronograma de cuidados com a pele auxilia a torná-la mais saudável, com menos probabilidade de ter oleosidade, cravos e espinhas.

A parte psicológica, entretanto, é mais sutil, porém igualmente importante: ter a sensação de rotina e tirar um tempo na semana para cuidar de si mesmo é capaz de relaxar a mente, além de estimular a autoestima — algo confirmado pelo estudo do Jornal Asiático de Beleza e Cosmetologia.

Por fim, de acordo com especialistas em psicologia, encaixar um momento de intenso relaxamento durante a rotina da semana, que normalmente é regida pelo trabalho e/ou estudos, pode também fazer com que a produtividade aumente.


+ Notícias

Mercado de beleza masculina deve faturar mais de U$ 75 bi em 2023

Neutrogena desenvolve máscara em 3D personalizável






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS