Dicas para driblar a falta de foco e aumentar a produtividade

O cérebro humano tem a capacidade de ficar concentrado em algo por cerca de 30 minutos; mas muitos fatores podem diminuir esse tempo

Foto: Shutterstock

Manter a concentração em uma única tarefa parece ser um desafio cada vez maior atualmente. Com a pandemia e as atividades de lazer limitadas, a falta de foco passou a ser uma reclamação constante para muitas pessoas, uma consequência de uma vida com menos momentos de descanso pleno.

Segundo a psicóloga Ana Chauvet, especialista em recolocação profissional e Top Voice de Carreira do LinkedIn em 2021, hoje vivemos uma jornada tripla e dar conta de tudo nas mesmas 24 horas se tornou algo mais desafiador. São muitas distrações na internet e nas redes sociais, sem contar tudo o que acontece ao redor. “A falta de estrutura para o trabalho, por exemplo, faz a pessoa desfocar e despertar interesse por outras coisas”, explica.

Perdendo o foco

O cérebro humano tem a capacidade de ficar concentrado em algo por, em média, 30 minutos. O número também pode chegar a 90 minutos – ou nem atingir o tempo de um episódio de sitcom direito. Ou seja, há uma grande variação de tempo quando se fala em foco, pois essa medida muda de acordo com os novos formatos de vida e trabalho.

A pandemia, portanto, também tem efeito nisso. Mudanças na vida social, pessoal e profissional, todas ao mesmo tempo, além da preocupação com a situação, fazem com que o cérebro tenha que se readequar à nova realidade.

Entretanto, o que aconteceu depois de mais de um ano foi o surgimento de um cansaço pandêmico, com todas as áreas da vida interligadas e, geralmente, feitas por meio de telas – o que, por si só, já prejudica a concentração.

“Com o excesso de informações, tecnologias e adaptações, acontece uma dificuldade de absorção desse conteúdo. Nossa mente fica cada vez mais confusa. Nós possuímos um tempo de aceitação, mas uma pandemia que pensamos que iria durar um período curto, já ultrapassou um ano de duração”, explica a psicóloga.

Para a especialista, alguns pontos podem ser os maiores causadores da falta de foco:

  • Excesso de acontecimentos;
  • Agenda muito lotada;
  • Ambientes barulhentos ou agitados;
  • Estar sempre conectado na internet;
  • Estar sempre presente no meio digital;
  • Excesso de informação durante o dia.

 

Dessa forma, conseguir manter o foco pode ser um desafio para aqueles com a mente cansada, afetando a produtividade no trabalho, nos estudos e até nas relações pessoais.

A culpa pela falta de foco, porém, não é só da pandemia. Alguns hábitos também são prejudiciais ao cérebro e à concentração, como elenca Ana Chauvet:

  • Falta de rotina e planejamento: não saber o que precisa ser feito dificulta a concentração e abre espaço para a procrastinação;
  • Ambiente desorganizado: apresenta muitas informações para o cérebro assimilar, causando a falta de foco;
  • Saúde debilitada: dores, incômodos e tensões podem tirar o foco no dia a dia. É preciso cuidar da saúde como um todo, inclusive a física;
  • Sedentarismo: movimentar o corpo, regular os hormônios do cérebro, contribuindo com a concentração e bem-estar;
  • Falta de sono: dormir pouco ou mal prejudica a saúde mental e diminui o tempo de foco, já que desregula neurotransmissores do cérebro;
  • Alimentação ruim: ter um cardápio nutritivo é essencial para a saúde, mas também ajuda na disciplina e atenção durante o dia.

Como driblar a falta de foco

Segundo a psicóloga, as maneiras de vencer a falta de foco e ser mais produtivo é mudando hábitos, tendo um tempo para descanso e cuidar da saúde no geral. Essas mudanças, claro, nem sempre vão acontecer do dia para a noite. Por isso, é preciso disciplina para mudar e conquistar a concentração a longo prazo.

1.  Organize o ambiente

Menos estímulos visuais auxiliam na concentração, já que o cérebro entende que não há mais nada mais a olhar além da tarefa a ser realizada. Isso serve tanto para ambiente físico quanto virtual. Ao focar em uma tarefa específica, feche outras abas, limpe a área de trabalho e desligue as notificações de aplicativos e sites.

2. Anote tudo o que precisa ser feito

Ana Chauvet dá a dica de anotar todas as pendências a serem feitas e aquelas que surgem durante o dia, sem deixar passar nenhum – nem as mais simples. Com isso, você “organiza” seu cérebro, que não precisa mais se preocupar em lembrar dessas pequenas tarefas, pois está tudo anotado.

“Após anotar, distribua com critérios pela semana, quando será feito cada coisa e execute”, indica a psicóloga. A longo prazo, isso dá mais alívio para a saúde mental e maior sensação de uma vida organizada, o que também ajuda a combater a falta de foco.

3. Faça uma tarefa por vez

A ideia de ser multitarefas já pareceu boa em um momento, mas se mostrou prejudicial para a concentração a longo prazo. O cérebro humano gosta mesmo é de focar em apenas uma tarefa, do início ao fim, sem mudar de tema ou de ações. Por isso, focar em uma tarefa por vez diminui o cansaço cerebral e favorece a concentração a curto e longo prazo.

4. Faça pausas durante o dia

O cérebro humano tem um limite de tempo para se manter concentrado. E não adianta brigar com ele nesse sentido. Por isso, programar pausas durante o dia, além de ajudar nesse descanso do cérebro, diminui a ansiedade de saber em que momento você resolverá aquela pendência pessoal que está na lista. Programe os horários que irá parar para tomar um café e trabalhe com foco até chegar esse momento.

5. Estabeleça limites

Hora de começar e terminar de trabalhar é uma dica essencial, ainda mais para quem está em home office. Trabalhar muitas horas seguidas ou por muito mais tempo do que de costume cansam ainda mais o cérebro, que precisa do tempo de ócio para que funcione bem todos os dias. Por isso, estabeleça limites de horário e trabalho para que consiga aproveitar esse descanso.

6. Medite e cuide da saúde mental

A meditação nada mais é do que um exercício de foco. É prestar atenção em apenas um elemento (como a respiração) por um determinado tempo, até o cérebro conseguir se concentrar em algo de verdade. Por isso, seja como hábito ou quando a falta de foco atropela os pensamentos, meditar e prestar atenção na respiração profunda pode ajudar o cérebro nessa tarefa. Da mesma forma, Ana Chauvet também fala que é sempre importante reconhecer o momento de pedir ajuda profissional para cuidar da saúde mental.

Assim como a busca por ajuda profissional no caso da saúde mental é importante, a psicóloga salienta que a falta de foco pode ser um sinal de um possível transtorno de déficit de atenção. Por isso, caso o problema persista, um acompanhamento médico é indicado.


+ Notícias 

Alta da preocupação com a saúde exige novos posicionamentos do setor de RH 

A importância do desenvolvimento de competências emocionais em líderes e colaboradores 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS