O importante papel das startups para a transformação digital nas empresas

Estar sempre atento e em contato com startups e hubs de inovação se torna essencial para o crescimento das empresas

Foto: Shutterstock

Não é de hoje que a transformação digital é uma medida vital para as empresas. A chegada do mundo online e da internet aconteceu de forma acelerada, impulsionou novos formatos de negócios e colocou em situação delicada as empresas que não conseguiram inovar rapidamente.

Durante a pandemia, isso se intensificou ainda mais. A necessidade de sair do ambiente físico levou muitas empresas a perceberem a importância de uma presença digital forte e bem estruturada para continuar crescendo e trabalhando, mesmo em tempos de crise. Possuir canais de atendimento online e vender pela internet, em um momento no qual a Covid-19 ainda obriga muitos negócios a permanecerem fechados, é essencial e as empresas estão correndo atrás do prejuízo.

Nesse cenário conturbado, mas de constante evolução, as startups – empresas nascidas com o DNA da inovação – têm um papel importante na busca de soluções que podem fazer com que organizações tradicionais repensem seus modelos de negócio e explorem melhor todo o potencial tecnológico que hoje está disponível.

“O empresário precisa estar atento. Quando falamos de tecnologia, muitas coisas já existem e são aprimoradas. O phygital (a experiência física e digital, ao mesmo tempo), por exemplo, já existia e está sendo aprimorado, mas aqueles que saem na frente no phygital foram os que perceberam primeiro que tinha alguma coisa ali”, exemplifica Carlos Coutinho, sócio líder de varejo e consumo da PwC Brasil.

Startups e a transformação digital

Estar atento a todas as novidades tecnológicas e de inovação, entretanto, não é algo tão simples. É preciso entender de tecnologias e aprimorar conhecimentos sobre marketing, jornada do cliente e muitos outros.

“Alguém tem que estar atento e conseguir crescer em função disso. Outra coisa é estar atento a como o mercado está andando, conhecendo as tecnologias e os usos que elas podem ter para alavancar seu negócio”, explica Carlos Coutinho.

Por isso, pequenos negócios podem acabar ficando para trás enquanto grandes empresas contam com departamentos inteiros apenas focados nisso.

Nesse momento, as tecnologias podem ajudar. Segundo o sócio líder da PwC, um dos grandes pontos positivos das tecnologias é que, quanto mais o tempo passa, mais barata e eficiente elas ficam. Isso dá a possibilidade de negócios menores também terem acesso a elas.

As startups entram exatamente nesse ponto: geralmente focadas na inovação, conseguem ajudar negócios de diferentes tamanhos a pensarem em novas oportunidades e, principalmente, a colocar essas novas ideias em prática.

Como as startups podem ajudar?

As startups são empresas novas no mercado que nascem com o propósito de desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio e, por isso, acabam promovendo mudanças significativas dentro do setor em que atuam.

Hoje, existem startups para a maioria dos setores do mercado, dos menores aos maiores, e sua presença é tão forte que abala, inclusive, grandes organizações já estabelecidas. Por outro lado, as descobertas e inovações que elas trazem podem ser copiadas ou inspirar empresas mais antigas em processo de transformação.

De um modo geral, as startups têm como características:

  • O uso de tecnologia para impulsionar os negócios;
  • Estratégias criadas a partir de análise de dados;
  • Foco em pensar inovações para o mercado;
  • Soluções para empresas de todos os portes;
  • Potencial para mudar o comportamento dos consumidores;
  • Presença digital maciça;
  • Soluções que facilitam métodos de trabalho;
  • Processos que diminuem os custos internos.

 

Por isso, quem ainda não acredita no poder das startups, precisa rever esse pensamento. “Tem muita coisa legal acontecendo nesse ambiente. Minha indicação é sempre entrar em hubs de inovação, participar, ver o que estão fazendo”, diz Carlos Coutinho.

Como e porque as startups conseguem isso

O pensamento disruptivo é um dos diferenciais das startups. Enxergar oportunidades em um mercado já bem estabelecido (como de varejo, financeiro ou educacional, para citar alguns exemplos) é o que torna essas empresas tão jovens em negócios potentes.

Mas como é possível empresas tão novas conseguirem tanto espaço no mercado e, ainda, ajudarem a transformação digital nas empresas?

Alguns pontos tornam isso possível:

  • Modelos de receita baseados em novos comportamentos dos consumidores;
  • Modelos disruptivos chamam atenção de investidores;
  • Oferta de serviços que impulsionam outros negócios (mercado B2B);
  • Tecnologias com custo mais baixo;
  • Foca em inovação aberta (colaboração entre as empresas);
  • Oferta de serviços diferenciados.

 

Essas características são apenas algumas que tornam as startups cada vez mais importantes para o mercado. Hoje, existem startups que valem tanto quanto ou mais do que empresas antigas de um determinado setor.

As startups unicórnios, por exemplo, são aquelas que valem mais de R$1 bilhão no mercado. De 2018 até o momento, o mercado brasileiro ganhou 15 startups deste porte: 99, Nubank, Arco Educação, Movile, Stone, Gympass, Loggi, Quinto Andar, Ebanx, Wildlife, Loft, Vtex, C6 Bank, Creditas e MadeiraMadeira. Esta última adquiriu o status durante a pandemia, em janeiro deste ano.

Dessa forma, fica claro que as startups podem ajudar a promover a transformação digital nas empresas a partir do pensamento inovador e que oferecem tecnologias para aqueles negócios que ainda patinam no mercado, por exemplo. Por isso, se tornaram impulsionadores da economia, não podendo ser ignoradas nesse sentido.

Para Carlos Coutinho, buscar o trabalho dessas empresas é indicado para qualquer empresa. “Tem muita coisa legal que já foi feita e tem muita gente boa pensando em inovação dentro das startups”, finaliza.


+ Notícias 

O aumento dos investimentos em ferramentas de automação de marketing 

As mudanças que a computação em nuvem pode trazer para os negócios 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS