Preocupações ambientais moldam consumo de embalados

Estudo da Kantar faz alertas e recomendações para conquista do mercado “em aberto”

Fonte: Unsplash

Diante da celebração do Dia da Terra no próximo dia 22 de abril, a Kantar pontua a importância da sustentabilidade para as marcas chamando a atenção para seu estudo “Who Cares, Who Does?“. Com ele, a consultoria reforça que as preocupações ambientais aumentaram nos últimos anos, influenciando cada vez mais o consumo de embalados, e, principalmente, o julgamento dos consumidores em relação à produção.

Segmentado em três categorias – “ativos”, consumidores que trabalham constantemente para reduzir seus níveis de resíduos plásticos; “considerados”, que tomam ações para reduzir seu impacto ambiental; e os “disseminadores”, que possuem pouco ou nenhum interesse -, o estudo aponta que as duas primeiras categorias cresceram na América Latina como um todo. Contudo, os números praticamente não mudaram de um ano para o outro no Brasil.

Mas de acordo com a Kantar, a oportunidade de apropriação do mercado sustentável segue aberta em toda a região. Da pesquisa feita com 80 mil pessoas em 22 países, os 8.500 entrevistados da América Latina tiveram apenas 25% capazes de nomear pelo menos uma marca que esteja fazendo algo em prol do meio ambiente. Das citadas por eles, 20% são da indústria e 16% do varejo.

As cinco marcas mais identificadas como sustentáveis foram Natura, Coca-Cola, Ypê, Bimbo e Omo, sendo Bodega Aurrera, Assaí, Walmart, Atacadão e Éxito as principais do varejo.

Consumidor alerta

Os consumidores estão de fato mais conscientes e responsáveis. Só no ano passado, por exemplo, houve um aumento de 11% deles entre os que levam suas sacolas reutilizáveis na hora de comprar, enquanto 5% a mais evitam usar plásticos e 18% a mais passaram a usar artigos laváveis ou reutilizáveis, como fraldas e cosméticos. Além disso, 9% a mais que no ano anterior evitam comprar bebidas em embalagens plásticas, e houve um aumento de 23% daqueles que optaram por sacolas de tecido ou papel ao invés das de plástico para suas frutas e verduras.

Globalmente, a maior preocupação ambiental segue sendo a mudança climática, que foi citada 16,8% dos pesquisados. Na sequência vieram os resíduos plásticos (14,8%), contaminação da água (9,7%), escassez de água (8,5%) e contaminação do ar (8,4%).

Já para os latino-americanos, a principal preocupação é com a água. Para 44% deles, os consumidores são os principais responsáveis por ela – e por isso os hábitos rotineiros estão alinhados com a principal preocupação ambiental da região. Quase 90% deles procuram economizar água na hora de lavar louça, fechando a torneira na hora de lavar os pratos e desligando o chuveiro na hora de se ensaboar.

Efeitos da pandemia

A Kantar sugere que, por conta da Covid-19, a preocupação global com a segurança alimentar teve um crescimento de 5,1% para 7% no ano. Interessantemente, o fato de não ter contato físico com os produtos tem feito com que os consumidores se atentem menos para a checagem das taxas de gordura, sal, açúcar e calorias nas embalagens.

Além disso, a Kantar ressalta que a forma de gastos dos latino-americanos com bens de consumo deve ser considerada nas estratégias das marcas. De acordo com a consultoria, os gastos representam 10% do mercado de bens de consumo embalados e são da ordem de US$ 4 bilhões.

As recomendações da Kantar para ter êxito neste mercado começam na necessidade de fazer uma parceria com os compradores, uma vez que 30% deles se sentem empoderados em mudar a situação ambiental do planeta.

 


+ Notícias

Via Varejo anuncia R$ 1 bi em debêntures para meta de ESG

B2W inicia entregas com tuc-tucs elétricos e acelera estratégias de ESG

Por dentro do S da ESG: sua importância e como colocá-lo em prática

 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS