Como se preparar para uma entrevista de emprego por videochamada

Formato chegou para ficar e merece tanta atenção quanto às dinâmicas presenciais na hora de buscar uma vaga no mercado

Foto: Shutterstock

O momento da entrevista de emprego é sempre cercado de preocupações para quem busca colocação no mercado. Como se portar, o que falar, como responder às perguntas do recrutador, são algumas das dúvidas clássicas dos candidatos a uma vaga. Mas, no último ano a pandemia da Covid-19 trouxe um agravante: como fazer tudo isso em uma videochamada?

Para recrutadores, o formato chegou para ficar, já que evita desgaste de tempo e dinheiro do candidato e permite obter as informações necessárias para a tomada de decisão sobre uma contratação. Por isso, saber se preparar para uma entrevista de emprego por videochamada é algo indicado não só para o momento atual, mas para o futuro.

As mudanças nas relações de trabalho

O isolamento social necessário para contenção da pandemia mudou diversas relações sociais e profissionais. Muitas empresas, principalmente as de grande porte, passaram a trabalhar à distância, o que também transformou as relações entre seus funcionários.

A mudança foi vista como benefício para muitas organizações que decidiram, inclusive, seguir em regime home office ou híbrido mesmo após o fim do período de pandemia. Ajinomoto, Nubank e XP Investimentos, para citar alguns exemplos, já afirmaram que irão manter o formato híbrido, com equipes trabalhando de casa.

Ou seja, quem quer se recolocar ou entrar no mercado de trabalho atualmente precisa estar preparado para lidar com esse novo formato, que exige competências e habilidades (soft skills) também direcionadas para essa nova forma de trabalhar.

Algumas das habilidades que passaram a fazer toda a diferença com o trabalho remoto foram:

  • Comunicação eficaz no ambiente online;
  • Organização para trabalhar sozinho;
  • Saber lidar com incertezas;
  • Ter pensamento estratégico ao organizar demandas;
  • Proatividade para trabalho solo.

 

Todas essas são soft skills importantes em qualquer ambiente, mas que no ambiente físico, acabavam tendo o apoio das outras pessoas ao redor. Em casa e à distância, sem essas habilidades, o trabalho pode se tornar mais estressante e menos produtivo.

Entrevistas de emprego durante e após a pandemia

Considerando que muitas empresas continuarão em home office, a análise dessas competências passou a ser feita durante a entrevista de emprego também, ainda mais por videochamada.

Para Paula Motta, psicóloga e especialista em recolocação, “Esse tipo de entrevista otimiza o tempo de todos os envolvidos, por isso acredito que a entrevista online chegou para ficar e vai ser cada vez mais utilizada. Os profissionais precisam estar preparados para esse formato, que tem alguns pontos de atenção específicos”.

Segundo a especialista, muitas pessoas relutam em fazer uma entrevista de emprego por videochamada pois acreditam que no presencial têm mais chances ou estarão mais preparadas. Para a psicóloga, mudar esse pensamento mostra, inclusive, essa capacidade de buscar pela adaptação frente aos obstáculos.

“A ideia de que a entrevista presencial é mais eficaz não existe mais. É possível fazer ótimas entrevistas mesmo à distância. Mas o candidato precisa se preparar”, afirma.

Como se preparar para uma entrevista de emprego por videochamada

Além de estar atento ao comportamento e respostas, o formato remoto também pede atenção para detalhes técnicos, como conexão, luz e som. Isso porque a conversa torna-se muito mais fluida e satisfatória quando esses elementos estão funcionando bem. Por isso, mesmo sem os melhores equipamentos, é importante buscar por essas melhorias na hora de conversar com o recrutador.

Para a hora da entrevista, Paula Motta indica algumas maneiras de se preparar.

1. Pesquisar sobre a empresa antes

Se isso já era importante antes da pandemia, tornou-se ainda mais pelas videochamadas. Isso porque é preciso chegar ao momento da entrevista sabendo como está sendo o formato de trabalho da empresa, qual seu posicionamento frente à pandemia, o que dizem e acham seus funcionários, entre outros detalhes. Além disso, claro, as informações já velhas conhecidas, como valores e objetivos do negócio.

2. Verificar conexão, luz e som

A especialista em recolocação salienta ainda mais a importância de buscar a melhor forma de se comunicar com o recrutador. “Verifique se sua conexão está estável. Sente-se de frente para a luz para que a imagem fique com qualidade, nunca se sente de costas para a janela. Além disso, opte sempre por usar um fone com microfone, pois o áudio fica mais direcionado e o som ao fundo não é percebido”, indica.

3. Vestir-se para o cargo que deseja

Essa é uma dica que a especialista em recolocação aponta ser muito importante tanto para a entrevista de emprego presencial quanto online. “Vista-se para o cargo que deseja. Escolha a roupa com atenção, que seja mais neutra, sem elementos chamativos. O mesmo vale para os acessórios, maquiagem e afins. Homens precisam estar com a barba feita e cabelo arrumado também. Na tela, esses detalhes chamam muito a atenção daqueles que estão lá para analisar o comportamento”, explica.

4. Ter postura durante a entrevista

Prefira sempre estar sentado em frente à uma mesa, com o fundo mais neutro possível. Caso não haja esse espaço, utilize as ferramentas de fundo para tirar a atenção do recrutador para o que está acontecendo ao redor. Isso ajuda em seu foco e no dele. A indicação, portanto, é portar-se como em uma reunião ou entrevista presencial, com a postura reta, mostrando interesse e atenção ao que está sendo falado.

5. Olhar para a câmera e estar atento à conversa

“Essa é uma questão de treino, mas que faz toda a diferença. Treine sempre para olhar para a câmera em vez de olhar para a tela”, indica Paula Motta. Isso aumenta a conexão, torna a conversa mais confortável e mostra maior atenção ao que está sendo falado, pontos positivos para quem está sendo avaliado por um recrutador.

6.   Tomar cuidado com os gestos e movimentos

Na frente das câmeras pode ser difícil manter as mãos paradas ou, até mesmo, acabar colocando-as embaixo da mesa ou fora de visão. No primeiro caso, a movimentação pode atrapalhar a conversa e, no segundo, a sensação transmitida é de insegurança, uma coisa que ninguém quer passar em uma entrevista de emprego.

Todos esses comportamentos já eram importantes também antes da pandemia, mas foram colocados em maior exposição nas câmeras, sendo detalhes bastante avaliados pelos recrutadores. Se o cargo desejado também precisa realizar reuniões e conversas com equipe, se sair bem nessa comunicação virtual exige ainda mais atenção. Por isso, preparar-se antes para a entrevista de emprego por videochamada é sempre a melhor indicação.


+ Notícias 

7 carreiras impulsionadas pela corrida do uso correto de dados 

Conheça dos benefícios da Daily Scrum, a reunião diária de 15 minutos 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS