Pandemia faz brasileiros comprarem mais produtos usados

Pesquisa da OLX mostra que 45% dos usuários que compram usados iniciaram o hábito na pandemia

Foto: Shutterstock

Momentos de crise econômica trazem consigo mudanças no comportamento de consumo. As prioridades mudam. E em um cenário pandêmico, com expansão da tecnologia e do e-commerce, uma das mudanças notáveis no consumo foi a maior adesão à compra de produtos usados.

É o que diz o estudo da OLX: entre 39% dos brasileiros que já compraram produtos usados, 45% deles fizeram a compra pela primeira vez durante a pandemia, o que mostra que  o mercado de produtos usados ganhou um protagonismo maior no comportamento de consumo no Brasil em 2020.

“Com a pandemia, o brasileiro precisou se reinventar e encontrou no mercado de seminovos e usados esta possibilidade, seja para comprar produtos com uma melhor relação entre custo e benefício, ou para gerar renda extra com a venda de itens que estavam parados em casa”, explica Andries Oudshoorn, CEO da OLX Brasil.

Mercado de usados vem crescendo

Os produtos usados tiveram um salto em relação aos produtos novos. Antes da pandemia, a preferência por produtos novos era maior entre aqueles que realizavam compras pela primeira vez: 60%, contra 54% de interessados por itens de segunda mão.

A pesquisa também mostra, no entanto, que os consumidores que preferem produtos novos têm uma frequência de compra maior: em média, foram ao menos 14 novas aquisições ao longo do ano passado, contra 7 de produtos usados.

“Observamos que as pessoas estão mais conscientes de seus consumos e mudando seus hábitos, vendo que um item pode ter seu tempo de vida prolongado e atender a necessidade de quem procura por produtos de qualidade e com um preço melhor”, completa Oudshoorn.

O que aproxima os produtos novos e usados, diz o estudo, é o valor do tíquete médio: R$ 561 para produtos novos e R$ 555 para os de segunda mão.

Produtos mais visados

A pesquisa ressalta que o produto usado mais consumido e buscado pelos brasileiros é o celular, mencionado por 28% dos entrevistados. Item necessário para os dias atuais, o smartphone quando novo normalmente apresenta um preço bastante elevado no mercado — com a pandemia, o valor subiu ainda mais. É por isso que o produto faz tanto sucesso no mercado de itens usados: a busca é tão alta quanto a atualização dos modelos.

Em segundo lugar aparecem roupas, calçados e materiais esportivos, com 27% das menções. Isso ocorre também porque a aquisição dos produtos a serem vendidos costuma ser mais fácil e a venda acontece normalmente de forma rápida. De acordo com o estudo, os usuários da OLX venderam, em média, 7,8 unidades em 2020.

A pesquisa destaca ainda os produtos eletrônicos, com 20% das menções, seguidos de eletrodomésticos e móveis, com 18% e 16% da menções, respectivamente.

 


+ Notícias

OLX muda branding para se adaptar aos novos comportamentos do consumidor

Duplamente sustentável: aumenta o número compras de bicicletas na OLX






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS