Como usar o LinkedIn a fim de se destacar no mercado de trabalho

A rede social do mercado profissional precisa ser encarada como mais do que um espaço para cadastrar o currículo

Foto: Shutterstock

Criado em 2003, o LinkedIn construiu sua reputação como a rede social do mundo corporativo e do mercado de trabalho, com o intuito de mostrar as habilidades e competências técnicas dos seus usuários e, principalmente, promover networking entre eles.

De lá pra cá, entretanto, o LinkedIn mudou formatos, acrescentou possibilidades e se tornou um ambiente que oferece muito mais do que conexões, mas que também valoriza a troca de experiências. Por isso, quem está no mercado de trabalho e não sabe como usar o LinkedIn, está perdendo um grande canal de promoção.

Hoje, a plataforma – que desde 2016 pertence a Microsoft – é a maior rede profissional do mundo, com 660 milhões de usuários ativos e não para de crescer.

Muito além do currículo

Se antes o LinkedIn era visto apenas como um “depósito” de currículos e informações sobre competências técnicas, hoje é o principal canal de interação de quem se encontra no mercado de trabalho. A plataforma oferece diferentes meios de publicação de conteúdo, de obtenção de informação e também de engajamento da sua audiência.

A 5ª edição do Guia de Marketing Sofisticado do LinkedIn, publicado em forma de e-book pela própria plataforma, afirma que o mais importante no momento é estar ativo no LinkedIn, conversar com as pessoas e contribuir produzindo conteúdo.

Publicar na rede social, seja no feed ou na aba de artigos é indicação do Guia para quem deseja ter um perfil bem posicionado e, assim, ser encontrado. Isso porque o LinkedIn valoriza aqueles que movimentam o site, entregando e indicando o perfil dessa pessoa para mais gente.

O conteúdo no LinkedIn, na verdade, é visto como o grande objetivo pela própria rede social. Por isso, para saber como usar o LinkedIn, é preciso entender também a importância de produzir e consumir conteúdo por lá.

LinkedIn é sinônimo de conteúdo?

Quando surgiu, o LinkedIn não possuía um feed de publicações. Entretanto, seguindo a ideia de outras redes, foi implementado o espaço para postagem de pequenos textos e, posteriormente, de artigos maiores. Hoje, há inúmeras possibilidades de produção de conteúdo na rede social, desde newsletters até eventos, passando por vídeos e stories.

Em uma das funcionalidades pagas da plataforma, é possível até mesmo fazer cursos rápidos (que compõem seu perfil depois!). É um conteúdo mais qualificado, mas que faz parte da rede social. Ou seja, quem quer se destacar, precisa estar presente por lá, mesmo que de vez em quando.

De acordo com o Guia de Marketing Sofisticado do LinkedIn e também o blog da plataforma, é possível conseguir inúmeros resultados postando conteúdo na rede. Por exemplo:

  • Movimentação do perfil;
  • Destaque na busca orgânica;
  • Indicação do perfil para pessoas da mesma área;
  • Mais networking;
  • Possibilidade de se posicionar como referência na área;
  • Fortalecer a marca pessoal dentro do setor;
  • Fazer o social selling (conseguir clientes a partir da rede, interessante principalmente para empresas B2B).

 

Ou seja, ao falar sobre aprender como usar o LinkedIn, falar sobre o conteúdo é essencial. Mas que tipo de informação é bem-vinda por lá? De acordo com guias e materiais da própria rede social, é interessante focar em:

  • Experiências e desafios que já passou;
  • Aprendizados pelo caminho;
  • Trajetória dentro do setor ou de uma empresa;
  • Insights sobre a área de atuação;
  • Mostrar o trabalho no dia a dia, com fotos os vídeos;
  • Contribuir de alguma forma com as outras pessoas;
  • Falar sobre competências técnicas e soft skills.

 

O conteúdo deve ser voltado para a vida profissional e o mercado de trabalho, mas para engajar as pessoas, a rede social indica que seus usuários sejam o mais transparentes possível e busquem contar uma história (utilizando o storytelling, por exemplo, a técnica de criar uma narrativa que envolva o leitor/consumidor da informação).

3 dicas de como usar o LinkedIn da melhor forma

Saber como usar o LinkedIn para impulsionar a carreira é algo que envolve diferentes estratégias. A rede social é bem ampla e permite diferentes usos de seu espaço. Por isso, para quem quer começar agora, algumas dicas podem ajudar a colocar o perfil em destaque na rede e fortalecer a marca pessoal.

1. Preencha todo o seu perfil

O primeiro passo para começar a usar o LinkedIn é preencher todo o perfil corretamente. No título (aquela frase que aparece bem abaixo do nome), coloque sua área de atuação ou de estudo do momento. É a partir dessas palavras-chaves que outras pessoas irão te encontrar na rede, além de saber logo de cara o que você faz.

Além das informações de competência técnica, também é preciso preencher a aba “Sobre”, contando sobre a experiência e conhecimento, sempre utilizando as principais palavras-chaves da área de atuação. Além disso, a própria rede indica que as pessoas utilizem elementos visuais, como fotos e vídeos na aba de Destaques do perfil, assim como nas publicações.

“Use recursos visuais para destacar seu perfil. Inclua apresentações, vídeos que você ajudou a criar, páginas da web e campanhas criadas por você para comprovar suas qualificações profissionais”, indica o guia.

Outra ideia é o cadastro do currículo em outra língua. Assim, não é preciso deixar o perfil traduzido, é possível criar uma versão em outra língua.

2. Interaja com as pessoas

De acordo com os guias e manuais da rede, esse é um dos pontos mais importantes para quem quer saber como usar o LinkedIn. Isso porque, por ser uma rede social, essa interação entre as pessoas é bastante valorizada. Por isso, é indicado curtir, comentar e iniciar conversas com as pessoas, seja nas suas próprias publicações, sejam nas de outras pessoas.

Além disso, publicações que ajudam de alguma forma os outros usuários (como uma dificuldade e o que foi feito para vencê-la), são as que mais engajam, sendo um ótimo espaço para troca de experiências e bate-papo.

Isso também reforça o posicionamento do indivíduo no mercado de trabalho, mesmo que indiretamente, o que é essencial para qualquer profissional, dentro ou fora da rede.

3.  Planeje seu conteúdo

Um dos pontos mais importantes quando se fala em conteúdo é publicar informações que engajem, que ajudem outras pessoas e ainda coloquem o profissional como referência naquele mercado. Para isso, é preciso pensar em que tipo de conteúdo será publicado, mas também quando fará isso.

Não é necessário publicar diariamente, apesar de isso ser incentivado pela rede. Mas mesmo para publicar de vez em quando, o ideal é pensar em quais assuntos você considera relevante para contar, escrever com antecedência e publicá-lo, seguindo os melhores dias e horários.

De acordo com o LinkedIn, a rede é acessada durante todo o dia, mas tem horários de pico nos horários do almoço e final da tarde, quando as pessoas estão fazendo a pausa do trabalho.

Saber como usar o LinkedIn é visto como essencial no mundo corporativo, principalmente quando a Internet e a conectividade ganharam ainda mais espaço. A rede social é bastante ampla em suas possibilidades, mas começar aos poucos é melhor do que não começar, como dizem os especialistas da rede social.

Uma maneira de saber se a estratégia está dando resultado é a partir do próprio ranqueamento do LinkedIn, que pode ser acessado pelo link: linkedin.com/sales/ssi. A página mede o nível de interação dos usuários e fornece uma nota de 0 a 100.


+ Notícias 

E você? O que publicou em seu LinkedIn hoje? 

LinkedIn revela quais serão as 15 profissões do futuro 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS