WhatsApp Pay começa a funcionar; saiba como configurar

Recurso permite envio de até R$ 1 mil por transação, com limite mensal de R$ 5 mil

Foto: Shutterstock

Está liberado o recurso de pagamentos entre pessoas físicas pelo WhatsApp Pay. Agora, os usuários que tiverem cartões dos bancos Inter, Itaú, Nubank e Sicredi nas bandeiras Mastercard, Visa e multibandeira Cielo podem enviar e receber dinheiro de familiares e amigos em tempo real. Outros parceiros bancários deverão ingressar no programa em breve.

A novidade, que traz comodidade aos usuários sem cobrança de taxas, já é pré-aprovada pelos brasileiros. De acordo com uma pesquisa sobre pagamentos em tempo real realizada pela Mastercard, cerca de 75% dos brasileiros querem fazer pagamentos em tempo real, independentemente do prestador de serviço financeiro, enquanto 53% querem pagar por meio de aplicativos de mensagens ou de redes sociais.

“Essa parceria ilustra nossa capacidade de oferecer maneiras inovadoras de enviar e receber dinheiro no Brasil, tendo as necessidades de nossos clientes no centro de nossa estratégia de negócios. Até 2030, 55% dos brasileiros esperam que todas as transações financeiras sejam feitas em tempo real (com os recursos disponíveis imediatamente). Para isso, continuaremos trabalhando no desenvolvimento de soluções e padrões interoperáveis com foco na eficiência e na experiência do usuário”, comenta o presidente da Mastercard para o Brasil e Cone Sul, João Pedro Paro Neto.

Paulo Caffarelli, presidente da Cielo, lembra o quanto o recurso inovador também é útil à vida financeira do brasileiro. “Os brasileiros, já tão acostumados a utilizar o WhatsApp para trocar mensagens, terão no aplicativo uma ferramenta rápida, simples e segura para realizar transferências. Temos certeza de que a função de pagamentos no WhatsApp contribuirá para a inclusão financeira de milhões de pessoas e para o aumento da formalização da nossa economia.”

Segurança

De acordo com a Mastercard, a transferência feita no WhatsApp é protegida por múltiplas camadas de segurança. Isso porque a tokenização protege as informações do titular, substituindo o número do cartão original por um número alternativo exclusivo, o “token”, que está associado ao cartão de débito individual do usuário e não funciona em nenhum outro lugar.

Para pagar, o usuário cria o token e depois insere a senha de segurança do Facebook Pay ou a biometria do dispositivo sempre que desejar fazer uma transação.

Ainda que as transações sejam seguras, vale alertar que o WhatsApp é um dos apps mais visados por criminosos para golpes financeiros com o Pix, de acordo com a Federação Nacional dos Bancos (Febraban). Por se tratar de uma rede social, a chamada engenharia social permite que cibercriminosos agem por meio de abordagens persuasivas, fazendo com que o usuário dê informações de acesso. Além disso, há também a clonagem do perfil, pela qual criminosos entram em contato com a vítima fingindo ser vendedores da empresa onde ela tem cadastro, pedem o código de segurança do WhatsApp. Em seguida, eles abrem a conta da pessoa em seus próprios aparelhos para pedir dinheiro a terceiros.

Como usar

Para enviar dinheiro pelo WhatsApp, basta entrar em “Configurações” e selecionar a opção “Pagamentos” — que podem ainda não estarem abertas a alguns usuários. Em seguida, é necessária abrir uma conta no Facebook Pay e criar uma senha a ser usadas em todas as transações pelo WhatsApp. Por fim, o usuário preenche seus dados pessoais e insere o número do cartão de débito, pré-pago ou múltiplo.

Assim, o pagamento está habilitado no app na opção “Pagamentos” que fica no mesmo menu que permite o envio de imagens e documentos.

O usuário pode enviar até R$ 1 mil por transação, com limite de 20 transações por dia e máximo de R$ 5 mil no mês.

Os pagamentos só podem ser feitos no Brasil e em reais.


+ Notícias

Como o consumidor mudou a forma de realizar pagamentos

Veja ferramentas que dificultam fraudes em pagamentos

 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS