O papel dos líderes na construção da segurança psicológica da equipe

Condição é primordial para a inovação e produtividade da equipe, aponta estudo

Um ambiente positivo e de confiança para trabalhar pode ser o segredo de uma equipe engajada e criativa. Parece óbvio? A ideia pode até ser, mas, na prática, pesquisas mostram que o dia a dia das empresas ainda está longe de proporcionar esse nível de segurança psicológica para as equipes.

Pesquisas realizadas pela McKinsey mostram que promover um ambiente de trabalho mais positivo ainda é prática da minoria dos líderes, mas, quando acontece, os resultados podem ser melhores e a equipe, muito mais engajada e produtiva.

“Segurança psicológica é ter confiança para falar o que pensa, apresentar contrapontos, inovar e, também, errar”, afirma Roseluci Ramos, professora da Fundação Dom Cabral e Mestre em Administração com ênfase em inovação e competitividade. Ela explica que a segurança psicológica é um conceito criado pela professora Amy Edmondson, da Universidade de Harvard, que estuda o impacto da confiança no ambiente de trabalho.

“Os estudos dessa pesquisadora mostram que o caminho para a segurança psicológica é promover esse ambiente de confiança. Quando isso é feito, as pessoas conseguem ter mais autonomia no trabalho e mais coragem de se posicionarem, criando uma equipe muito mais engajada, com espaço para cooperação”, afirma.

Falar sobre criar um ambiente positivo no trabalho pode não ser algo novo, mas, segundo Roseluci Ramos, é um conceito renovado, que também foi acelerado por conta da pandemia. “O assunto já é conhecido, mas não estava sendo aplicado de fato. Hoje vemos um movimento maior das empresas para fomentar essa confiança dos colaboradores, até porque ficou mais claro, no último ano, a necessidade do trabalho em equipe com segurança psicológica”, diz.

Sobre isso, temos um exemplo simples e claro, segundo a professora: com o trabalho remoto, líderes tiveram que confiar que sua equipe está realmente trabalhando, mesmo sem estar vendo isso acontecer, o que é uma relação de confiança.

Além disso, Roseluci Ramos afirma que a confiança está intimamente relacionada com a produção, pois a partir de um ambiente com segurança psicológica, as pessoas tendem a se tornar muito mais engajadas, trazendo inúmeros benefícios para a equipe e a empresa.

O que as pesquisas mostram

A McKinsey realizou inúmeras pesquisas sobre segurança psicológica, relacionando também com outros dados do que estava acontecendo dentro das empresas durante a pandemia de coronavírus. De acordo com os dados, apenas 43% das pessoas entrevistadas relataram haver um clima positivo em sua equipe.

Outros números mostraram que o ambiente positivo e de confiança tem um efeito benéfico para pessoas que estão passando por mudanças intensas no trabalho remoto. Dessa maneira, ao trabalharem à distância, promover o clima positivo pode ser o melhor caminho para manter a produtividade, por exemplo.

Para conseguir isso, os participantes da pesquisa apontaram que o fator mais importante da segurança psicológica é exatamente esse clima positivo, com a valorização das contribuições de todos, o que promove a voz ativa e mais autoconfiança na hora de desempenharem suas funções.

Com isso, a segurança psicológica é vista como um pré-requisito para uma performance adaptativa e inovadora.

Os benefícios da confiança no mundo do trabalho

Tanto as pesquisas quanto a professora Roseluci Ramos mostram um benefício claro da segurança psicológica: uma equipe mais engajada, com produtividade maior e muito mais inovação.

Isso porque, segundo a professora, um ambiente com segurança psicológica promove a confiança, sendo um local em que o indivíduo não tem medo de errar, de falar seu ponto de vista (mesmo quando é de discordância) e consegue, assim, se engajar muito mais em seu trabalho. “Quando a pessoa tem essa liberdade de colocar suas opiniões, de discordar de seu líder em algum momento, por exemplo, ela tende a se engajar muito mais em suas funções, pois sente que seu trabalho e opiniões têm valor. Isso é benéfico para toda a equipe e empresa”, aponta.

Dessa maneira, os benefícios que podem ser conquistados com a segurança psicológica são:

  • Mais confiança da equipe;
  • Mais produtividade.
  • Ideias mais inovadoras;
  • Um ambiente positivo;
  • Intercooperação da equipe;
  • Uma equipe mais engajada;
  • Maior produtividade e resultados.

 

Como promover a segurança psicológica

“A liderança é o principal ponto disso. Seja o exemplo do que você diz e do que você quer que as pessoas sejam”, aponta Roseluci Ramos. Segundo a professora, quando um líder mostra que sabe lidar com outras opiniões, discordâncias, pensamentos diferentes do seu, também deixa claro para a equipe que todos podem estar abertos a isso.

Dessa forma, é a partir do comportamento do líder que os limites do que pode ou não são determinados, e isso desenha todas as outras relações da equipe. A professora da Fundação Dom Cabral salienta ainda mais a importância do posicionamento de liderança em casos de erros.

“Em um ambiente de opiniões e inovação, o potencial de erro existe, é preciso considerar isso. Quando se castiga esse erro sem levar em conta o processo, isso mina a confiança daquele indivíduo e de todos ao redor, que passam a ter medo de cometer qualquer tipo de erro, que acontecem, uma hora ou outra”, explica.

De acordo com os dados da McKinsey, líderes que conseguem criar o ambiente positivo da equipe catalisam e habilitam toda a equipe, inclusive os demais líderes, até mesmo aqueles sem autoridade formal, mas com potencial de motivar os outros. Para isso, dados mostram que é preciso, primeiro, criar um clima positivo e, depois, desafiar a equipe. “Sem um clima positivo como base, comportamentos desafiadores não têm efeito significativo”, aponta artigo da consultoria americana.

A partir das pesquisas, a McKinsey aponta alguns caminhos práticos para promover a segurança psicológica:

1. Desenvolvimento de liderança em escala

De acordo com a McKinsey, os treinamentos de líderes são muito mais positivos quando estão inseridos em um processo maior. Por isso, além das capacitações já conhecidas, é preciso desenvolver mecanismos em toda a empresa que incentivem a segurança psicológica, como promover o diálogo aberto entre todos os níveis, colocar reforços comportamentais, entre outros pontos.

2. Desenvolvimento de liderança a partir de experiências emocionais e inspiracionais

“Experiências de aprendizagem imersivas e envolventes permanecem na memória com mais clareza e por mais tempo”, afirma a McKinsey. Segundo a consultoria, é preciso promover treinamentos que foquem também em estimular a autoavaliação dos líderes. Isso pode ajudar a mudar crenças, suposições e emoções desses indivíduos dentro das relações em equipe e, dessa forma, contribuir para a segurança psicológica.

3. Construir mecanismos que tornem o desenvolvimento parte do trabalho diário dos líderes

Além dos treinamentos, é preciso colocar líderes em um ambiente imersivo de segurança psicológica, fazendo com que seu trabalho diário busque sempre esse ambiente positivo para toda a sua equipe. A partir do exemplo, as outras pessoas também passarão a desenvolver mais confiança dentro do ambiente de trabalho.

Para Roseluci Ramos, a segurança psicológica é o caminho para empresas que desejam ter ideias mais inovadoras e equipes mais engajadas com os propósitos da empresa. “Por isso, os valores da empresa também precisam estar alinhados a isso. Dessa maneira, o papel dos líderes em serem exemplos disso passa a fazer mais sentido ainda”, diz.


+ Notícias 

A chave para alcançar uma vida equilibrada é a mudança de hábitos 

Como ser um bom líder em um mundo cada vez mais dinâmico 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS