E-commerce apresenta pequena retração (6,48%) em abril

Dados mostram que retração acompanha o momento da economia brasileira; no entanto, alguns setores tiveram alta

Foto: Pexels

O e-commerce brasileiro apresentou, desde a intensa ascensão em 2020, uma pequena queda em 2021, no mês de abril. De acordo com o Relatório de E-commerce do Brasil, elaborado pela agência Conversion, a retração, ainda que pequena, acompanha o momento da economia atual: 6,48%, em comparação com o analisado no mês anterior.

Apesar da queda, o estudo aponta que o número de acessos a ele teve crescimento: foram, ao todo, 1,70 bilhão de acessos no mês de abril, um aumento de 17% em relação ao mesmo período estudado em 2020.

Entre os setores destacados no último mês, constam Moda & Acessórios (1,18%), Itens Automotivos (1,79%) e Infantil (4,56%). “O mês de abril antecede o Dia das Mães, celebrado em maio, e uma das hipóteses para o aumento do setor de Moda & Acessórios neste mês são as compras para esta data comemorativa. Comumente, a categoria elabora campanhas e promoções dedicadas à data, incentivando a compra online e aumentando seus acessos”, destaca Diego Ivo, fundador da Conversion.

Quedas e crescimentos no e-commerce

Segundo estudo da Conversion, dos 18 setores analisados, 10 obtiveram crescimento acima de 15% de um ano para o outro. Foi o caso do Turismo (+51,12%) — em especial com a reabertura em algumas cidades brasileiras —, Importados (+83,75%), Pet (+59,75%) e Farmácia e Saúde (+39,54%).

Especificamente para o turismo, o aumento foi bastante considerável. No top 50 sites com maior crescimento anual, comparando abril de 2020 e abril 2021, nove são pertencentes à categoria, o que revela uma retomada do setor.

Para as categorias que pontuaram queda, destaque para Eletrônicos & Eletrodomésticos, com queda de -15,98% na comparação anual e -12,19% na comparação mensal. Uma das poucas lojas que se destacou dentro da categoria foi a Samsung, que aumentou seu market share em 52% na comparação anual. O setor de Comidas e Bebidas também apresentou queda na comparação anual, com -5,97%.

O estudo destaca, ainda, que o setor de Importados foi o que mais teve crescimento em participação de visitas na comparação anual: um aumento de 84%, enquanto outros setores se mantiveram estáveis. Seguido dele, o mercado Pet aparece com 60% de crescimento, à frente do Turismo (51%).

Lojas com maiores taxas de crescimento

Dentro dos setores destacados, o estudo também aponta que algumas marcas apresentaram um crescimento expressivo no comparativo anual. É o caso da Amazon Brasil, Shoppee e AliExpress, fator que mostra a presença forte das marcas asiáticas no mercado brasileiro.

e-commerce

Crédito: Relatório de E-coomerce no Brasil | Agência Conversion

A pesquisa da Conversion também destaca que o dispositivo mobile foi responsável por mais da metade (67%) das visitas totais a lojas de e-commerce, uma preferência do consumidor que tem se solidificado ao longo dos anos. Além disso, a busca orgânica segue como segundo tráfego mais importante do comércio eletrônico brasileiro (29,1%,), atrás apenas do tráfego direto (41,7%).


+ Notícias

Estratégias para marcas triunfarem no e-commerce

Focada no e-commerce, Mondelez tem melhor Páscoa dos últimos 10 anos






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS