TIM pretende levar 4G a todo o Brasil até 2023 usando antenas solares

Empresa criou antena independente de rede elétrica e estrutura simples para plano ambicioso de trazer inclusão digital em áreas sem cobertura

Nos últimos anos, o crescente protagonismo das operadoras de telecomunicações se acelerou e tornou reais aplicações que há pouco tempo eram difíceis de se imaginar. Hoje, as definições de operadora de telecomunicações estão sendo atualizadas conforme elas dão a liga a indústrias e lares com a IoT, na vertiginosa reformulação das redes de suprimentos do Brasil e do mundo. Assim, se considerado o papel delas na sociedade, suas agendas ESG tendem a se engajar àquilo que oferecem de melhor: conectar o Brasil. No caso da TIM, o desafio pessoal é levar o 4G com antenas solares, independentes de rede elétrica.

Com seu objetivo de cobrir 100% dos munícipios brasileiros com 4G até 2023, a TIM toca um ambicioso projeto ESG chamado SkyCoverage. A iniciativa com foco na inclusão digital prioriza o uso de estruturas simplificadas e energia renovável, como painéis solares para conectar torres e antenas. De acordo com a telecom que hoje chega a 4.121 cidades, o SkyCoverage tem integrado áreas remotas desde o início de 2021.

As metas incluem 1,4 mil distritos e vilas, 6 mil km de estradas e mais de 40 resorts e pontos turísticos.

“Ao levarmos a cobertura 4G por meio do investimento em milhares de sites (antenas simplificadas) a áreas mais distantes em apenas dois anos, estamos não só ajudando o Brasil na questão da inclusão digital, como ativando o potencial econômico e social dessas regiões, seja para o aumento da produtividade ou para incentivar a educação”, diz Leonardo Capdeville, CTIO da TIM Brasil.

O abastecimento de energia das antenas simplificadas é a grande sacada do projeto. De acordo com a TIM, sua agenda ESG determinou as metas de ecoeficiência e o uso de energia renovável do SkyCoverage, de modo que ela desenvolveu as antenas que se alimentam de energia proveniente de painéis fotovoltaicos. Dada a infraestrutura simplificada das antenas, com torre estaiada e de menor custo, a telecom consegue trazer maior cobertura da tecnologia de quarta geração.

De acordo com a TIM, é justamente a simplicidade que viabiliza a instalação de 4G em 700MHz em áreas remotas nas regiões mais periféricas do País, onde não há rede elétrica por perto.

No documento “TIM Brasil Day 2021 – Imagine as Possibilidade”, compartilhado com seus investidores em março deste ano, a TIM descreve o SkyCoverage como um eficiente e disruptivo novo modelo de negócios de custo extremamente baixo.

Para completar, as antenas também são multiuso, pois além da torre de telecom, trazem iluminação pública e câmeras de vigilância. Além disso, têm menor impacto visual por conta da maior harmonia com o meio ambiente.

Antena solar da TIM em General Salgado

Antena solar da TIM em General Salgado (SP)/Fonte: TIM

O projeto de infraestrutura para inclusão digital da TIM reforça o compromisso que a empresa vem mostrando nos últimos anos. Desde 2008, a operadora aparece no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3 todos os anos, além de fazer parte do recém-lançado S&P/B3 Brasil ESG, e do Índice Carbono Eficiente (ICO2), também da bolsa brasileira.

 


+ Notícias

RaiaDrogasil anuncia agenda de ESG com metas para 2030

C&A introduz tecnologia blockchain em sua produção






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS