TikTok testa plataforma de compras no aplicativo

De forma a concorrer com as redes sociais ocidentais e orientais, o TikTok pretende aumentar o comércio fora da China

E mais uma vez o TikTok mostra que veio para competir no grande mercado: o aplicativo da ByteDance passou a testar vendas pela plataforma. A expectativa é que a rede social compita com o Facebook e o Instagram para integrar as ferramentas sociais com interfaces de compras.

A ideia da ByteDace é replicar o sucesso do Douyin — rede social chinesa que registrou acúmulo de U$ 26 bilhões em transações de comércio eletrônico logo no primeiro ano de operação — no exterior, de forma a tornar a plataforma um exemplo de social commerce em larga escala de distribuição.

O TikTok começou a trabalhar com comerciantes do Reino Unido e a ideia é expandir o mercado em mais países, visto que a plataforma já alcança hoje mais de 800 milhões de usuários ativos. A loja Hype, que comercializa jogos, confirmou que participa do experimento.

Em comunicado, a rede social comentou que tem testado ofertas e parcerias de comércio eletrônico: “Forneceremos atualizações à medida que exploramos esses caminhos importantes para nossa comunidade de usuários, criadores e marcas”.

TikTok: Um e-commerce com grandes oportunidades

De acordo com a Bloomberg, a rede social já estava em contato com empresas europeias para usar um modo experimental de compras na plataforma. Assim, a ideia é que os criadores de conteúdo possam comercializar produtos em suas páginas, com uma aba separada para as compras — algo bastante semelhante ao que é feito no Instagram. O modelo, inclusive, vem parar concorrer com o Facebook e suas redes sociais.

Já é comum que uma série de lojas faça a divulgação de seus produtos no TikTok. A rede é bastante conhecida por ampliar as vendas de pequenos empreendedores no comércio eletrônico, especialmente quando se trata de consumidores Gen Z e Millennials.

Assim como as lojas já estão presentes na plataforma, os influenciadores do TikTok também têm atraído inúmeros novos clientes para o e-commerce. As parcerias ocorrem com links que direcionam o usuário para fora do aplicativo — e é exatamente isso que a rede social quer mudar.

Ter a plataforma de vendas dentro do próprio TikTok fará com que a rede chinesa finalmente se torne um exemplo mais palpável de social commerce popular em países ocidentais. Hoje, a Byte Dance já se movimenta para os trilhões no e-commerce chinês, com o objetivo de administrar mais de U$ 185 bilhões em comércio eletrônico anualmente até 2022, uma forma também de competir com as rivais Alibaba Group e Tencent.


+ Notícias

Chief TikTok Officer e outros cargos inspirados pela Geração Z

Por que a Riachuelo investe fichas em campanha no TikTok para o Dia das Mães






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS