O poder do conteúdo em vídeo para estratégias de marketing

Formato está presente no dia a dia das pessoas e é visto ótima opção para entreter e ganhar a atenção do consumidor

Foto: Shutterstock

“Os vídeos têm o poder de encantar desde seu início, quando a televisão e o cinema trouxeram esse formato para a rotina das pessoas”, afirma Gian Martinez, CEO e cofundador da Winnin, empresa que ajuda empresas a elaborarem estratégias de marketing com vídeos. Segundo ele, essa lógica funciona até hoje. “O vídeo consegue prender a atenção através da imagem, do som, edição… É um formato que atinge todos os públicos.”

Novos formatos, mais curtos e dinâmicos, também vêm ganhando mais espaço, graças às inovações trazidas pelas redes sociais e tornando as possibilidades ainda maiores. Mas como é possível usar a popularidade e a força desse tipo de conteúdo?

O poder dos vídeos para pessoas (e para o marketing)

Os vídeos estão presentes no dia a dia de grande parte das pessoas, seja pela TV, seja pela Internet. No mundo online, praticamente todas as redes sociais apostam nos vídeos para reter usuários a partir de uma premissa: os vídeos têm o poder de prender a atenção das pessoas.

A partir dessa ideia, as marcas também enxergam no formato um potencial de atrair públicos, chamar a atenção de clientes e transformar o branding e a comunicação de uma empresa. Ou seja, o vídeo é importante formato para estratégias de marketing, já que conquista tantas pessoas.

Segundo o Think With Google, 55% das pessoas usam vídeos para determinar suas compras. Já a pesquisa YouTube: explorando o potencial da plataforma para impulsionar seu negócio, aponta que 87% das pessoas afirmam já terem feito uma compra após assistirem a um vídeo no YouTube.

Ou seja, os vídeos já estão inseridos na jornada de compra de muita gente, sem contar com a capacidade de fortalecer a marca de uma empresa, construindo, pouco a pouco, a percepção do público sobre ela.

Segundo o cofundador da Winnin, os vídeos precisam ser cada vez mais considerados nas estratégias de marketing, mas não como um substituto de outros formatos, e, sim, como um tipo diferente de conteúdo.

Por essa versatilidade, Gian Martinez afirma que diversos setores podem aproveitar estratégias de marketing com vídeos para impulsionar sua marca. “Os vídeos são uma opção para todo mercado já que são versáteis, podem ser feitos para diversos contextos. No último ano, por exemplo, vimos a ascensão do vídeo no meio educacional, algo que foi evoluindo e hoje é bastante utilizado. Temos também a possibilidade de fazer vídeos curtos, longos, instantâneos, editados… é algo muito democratizado.”

Vídeos são para todo mundo

O YouTube é uma das plataformas mais utilizadas no mundo, sendo presente na rotina principalmente das gerações mais jovens. Assim, é um canal em potencial para marcas que têm essa geração como público.

Entretanto, Gian salienta que mesmo que as gerações mais novas tenham nascido conectadas (e, por isso, apresentam uma relação maior com o mundo online), o interesse por conteúdos em vídeo não tem idade.

“As pessoas tendem a pensar isso por conta da proximidade dos jovens com a Internet, mas isso não significa que outros públicos não estão interessados. No Youtube você pode encontrar conteúdos para todos os gostos, por exemplo, mostrando que todas as idades consomem o audiovisual”, diz o CEO da Winnin.

Ele ainda dá outro exemplo, sobre o TikTok: “A rede é vista como algo de adolescente e muitas marcas deixam de olhar para ela. Mas dados da própria rede mostram que os usuários são jovens, adultos e pessoas mais velhas, ou seja, pessoas que são consumidoras. Existem, por exemplo, os ‘avós tik toks’, idosos que fazem sucesso por lá”, explica.

E o TikTok, com a premissa de vídeos curtos e divertidos, vem chamando a atenção de diversos mercados. De acordo com os dados, é possível ver uma relação entre as músicas tendência do aplicativo com as mais ouvidas do Spotify. Ou seja, o que viraliza na rede social, transborda para outros mercados, como o da música.

Uma pesquisa feita pela Winnin sobre o Tik Tok também mostra que “apesar de ser uma das plataformas mais relevantes do momento, o TikTok ainda não é aproveitado em sua totalidade pelas marcas. O aplicativo, que impulsiona a criação de conteúdo altamente replicável, tem um grande impacto na cultura online e, principalmente, na música. Assim como a indústria musical foi impactada pela força do TikTok, outros segmentos já estão passando por essa transformação”.

Os vídeos nas estratégias de marketing

Segundo Gian Martinez, o ponto principal é conhecer bem o seu público e quais tipos de conteúdo ele consome. Para fazer isso, segundo o executivo, os achismos precisam ser deixados de lado. “Muitas vezes as pessoas pensam em um vídeo ou um formato porque ele está bombando ou está na moda”, explica, dizendo que dessa maneira o resultado (se deu certo ou não), acaba aparecendo apenas depois.

É preciso compreender as tendências. E o que Gian vê trabalhando no ramo é isso: os vídeos são plurais e conseguem atingir diversos públicos, mas precisam estar alinhados com dados e informações mais consistentes na hora de montar uma estratégia de marketing.

Mas, para ele, um ponto de partida é essencial: os vídeos precisam entreter seus públicos e as marcas precisam se enxergar como creators para conquistar espaço. Isso é o que também indica o próprio site do Youtube e os artigos do Think With Google. Ou seja, é preciso criar vídeos únicos e interessantes, trabalhando conceitos de storytelling e que encantem a pessoa que está assistindo.

O fato é que os vídeos estão em alta no consumo de conteúdo das marcas e, de acordo com Gian Martinez, as marcas precisam estar atentas a isso no momento de montar sua estratégia de marketing, considerando sempre o público e seus desejos.


+ Notícias 

Estratégias para colocar o Customer Experience em prática 

Leroy Merlin investe com conexão especial com o consumidor




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS