A hora de repensar a exploração dos dados é agora

Os limites éticos do uso dos dados foram rompidos

Foto: Shutterstock

A economia de dados, ou datanomics, impôs transformações profundas no nosso modo de viver e de fazer negócios. Se por um lado ampliou as formas de comunicação e criou novas oportunidades, por outro trouxe dilemas gigantescos para as relações humanas.

As big techs, protagonistas desse novo mundo, souberam utilizar os dados estruturados para fazer mais negócios e se consolidar. Empresas como Facebook, Amazon, Microsoft, Google e  Apple, designadas sob o acrônimo FAMGA, fizeram, por meio de seus algoritmos, verdadeiras radiografias dos hábitos, dos gostos e das ideias de seus clientes, a partir da coleta de dados pessoais processados em sofisticados sistemas de inteligência artificial.

Limites éticos foram rompidos e, sem regulação, essas companhias se tornaram bilionárias na última década, dominando o cenário corporativo global com uma concentração de poder econômico e político jamais vista na história do capitalismo. Exatamente por questões como a polarização, já passou da hora de repensar a forma como os dados são explorados.

Quais são os caminhos para isso? Confira em artigo publicado na revista digital Consumidor Moderno.


+ Notícias 

As melhores formas de usar o CRM nas empresas 

Afinal, o WhatsApp vai ou não impor que os usuários compartilhem dados com o Facebook? 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS