Quando a pandemia vai acabar? Plataforma digital crava o dia da imunização dos brasileiros

A plataforma ainda aponta o dia da imunização de cada estado. Será que Dória vai distribuir vacinas para todos os adultos até o fim de outubro?

Fonte: Pexels

Uma plataforma digital desenvolvida por um consórcio de universidades brasileiras, inclusive com a participação da USP, tem ganhado notoriedade por projetar o dia exato que os brasileiros serão imunizados da Covid-19. E a julgar pelo resultado, o resultado não é tão próximo, segundo propagam alguns políticos.

Chamado de Painel de Vacinação-Covid-19 ou apenas Vacinômetro, a plataforma é uma iniciativa do Laboratório de Estatística e Ciência de Dados da UFAL e faz parte do projeto ModCovid19, grupo de trabalho no combate ao vírus formado pelo consórcio de universidades.

De acordo com o Vacinômetro, a população brasileira será totalmente imunizada no dia 9 de junho de 2023.

Como é feito o cálculo

A data, no entanto, muda com certa frequência. No início de maio, por exemplo, a previsão era 25 de dezembro de 2022.

Isso está relacionado ao complexo cálculo que leva em conta os dados disponibilizados pelo governo federal para obter o ritmo da vacinação em cada cidade e, com isso, projetar quando toda a população já terá recebido todas as doses necessárias do imunizante.

Nos cálculos, foi considerado o ritmo de vacinação dos últimos 30 dias (sempre que ocorre uma nova atualização, o sistema leva em conta os últimos 30 dias passados). Essa previsão é atualizada de acordo com a chegada de novas vacinas, com o aumento ou a diminuição do ritmo de vacinação, além de outros critérios que impactam a aplicação do imunizante, como a falta de insumos (IFA – insumo farmacêutico ativo) para produção de vacinas, número de postos de vacinação e o desejo da população em se vacinar.

Crédito: reprodução do site Vacinômetro

Para a projeção de 9 de junho de 2023, foram utilizados dados coletados até o último dia 6 de junho. Conheça o site AQUI.

São Paulo: a promessa do governador será cumprida?

A plataforma ainda permite projetar a imunização da população em cada estado e aqui a pergunta é inevitável: é possível comprovar ou desmentir a promessa de imunização feita por políticos como o governador de São Paulo, João Dória?

Dória afirma que a população adulta (ou acima dos 18 anos) será totalmente vacinada até o fim de outubro. “São Paulo vai concluir toda a vacinação da sua população vacinável até o dia 31 de outubro. Originalmente, a nossa previsão era até 31 de dezembro. Agora nós estamos afirmando que até 31 de outubro todos os brasileiros que residem em São Paulo serão vacinados”, afirmou Doria.

De acordo com informações do site VacinaJá, mantido pelo Governo de São Paulo, até o último dia 10 5,931 milhões de pessoas receberam as duas doses de vacinas como Coronavac, Pfizer e Astrazeneca. Ou seja, desde que a enfermeira paulista Monica Calazans inaugurou o calendário de vacinação, no dia 17 de janeiro deste ano, foram seis milhões de pessoas vacinadas em quase seis meses.

O número não representa nem 30% do total de pessoas com mais de 18 anos de São Paulo. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), São Paulo registrou 33.040.411 de eleitores (ou pessoas com mais de 18 anos) na última eleições Eleição Municipal de 2018. Ou seja, descontando as seis milhões de pessoas já vacinadas, sobrariam outros 27 milhões até o fim de outubro.

A projeção feita pelo Vacinômetro para São Paulo afirma que a imunização total dos 44.840.384 de paulistas (incluindo os menores de 18 anos) vai ocorrer no dia 7 de abril de 2023. Embora a plataforma não separa maiores ou menores de 18 anos, não é difícil estimar o ritmo mensal de vacinação considerando os 22 meses restantes até a data da projeção do Vacinômetro: seriam 1,2 milhão de vacinados por mês.

Ou seja, pela promessa do governador, São Paulo precisaria vacinar os 27 milhões de adultos restantes em um ritmo 4,5 vezes maior do que foi feito nos primeiros semestre deste ano.

Impossível não é

Conforme já dito, a projeção do Vacinômetro é baseada em fatores que mudam o tempo. A plataforma indica que mais de 18 milhões de doses distribuídas – o que inclui pessoas que tomaram uma ou as duas doses das vacinas.

O cálculo da plataforma varia conforme mudam as notícias sobre a vacinação do coronavírus. E somente esta semana tivemos dois fatos novos.

A primeira é que o governo de São Paulo antecipou em 15 dias a vacinação dos grupos que ainda não foram imunizados. Além disso, também esta semana, a gestão Dória incluiu no ciclo de vacinação pessoas com mais de 18 anos com comorbidades, o que permitiria alcançar a distribuição de 1 milhão de doses somente nesta semana.

Por outro lado, a plataforma tem base científica sólida e até faz críticas até mesmo a gestão da base de dados de vacinação – e uma delas é crucial e pode resultar em diferenças significativas no número de vacinados.  A expectativa é que novos fatores influenciem, sim, o cálculo da plataforma e que a meta de Dória seja alcançada. Não há razão para torcer contra a promessa de Dória.


+ Notícias

Lei do superendividamento é aprovada. Veja o que muda para o consumidor

Telemedicina: quase 3 milhões de consultas foram feitas em um ano, segundo a Abramge






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS