Por que o iFood lançou um cartão físico do iFood Benefícios Elo?

Sem taxas a pequenas e médias empresas, cartão alivia dor dos negócios que não conseguem oferecer benefícios ao colaborador e aumenta a relevância de seu ecossistema

Fonte: Shutterstock

Se na pandemia as pessoas com cartões de vale-refeição e vale-alimentação passaram a fazer seus pedidos no iFood, o Brasil pós-pandemia terá o app de entrega oferecendo seu próprio vale em um verdadeiro “novo normal”. Está lançado o cartão do iFood Benefícios, com bandeira Elo.

A medida, que visa ampliar a rede de atendimento e conseguir chegar a um número maior de estabelecimentos, faz o alcance de lugares que aceitam o iFood Benefícios ganhar fibra para atingir 4 milhões, conforme os cálculos da empresa.

Esta é uma percepção de comportamento de consumo que resulta em uma expansão agressiva, já que o iFood aumenta a relevância de seu ecossistema oferecendo um cartão corporativo único a ser usado como vale-refeição e vale-alimentação. Sim, o cartão serve para compras em supermercados, restaurantes físicos, e na internet.

Até então, a operação do iFood Benefícios que existe desde em julho de 2020 funcionava por QR Code e no delivery.

“Estamos sempre buscando novas soluções para facilitar a vida dos nossos consumidores e investindo em inovações que beneficiem todo o nosso ecossistema. A aceitação do iFood Benefícios possibilita a melhor usabilidade e melhores oportunidades de venda para os estabelecimentos”, comenta Paula Rabelo, diretora do iFood Benefícios.

O iFood Benefícios utiliza a tecnologia da fintech paySmart para o processamento de transações físicas com cartões e transações digitais, com celulares. Um dos diferenciais é um API que trata pagamentos, independentemente do canal, de forma simples e transparente.

De acordo com Daniel Oliveira, CEO da paySmart, existe uma forte tendência de operadores de benefício buscarem bandeiras de ampla aceitação para maximizar a quantidade de estabelecimentos na rede. “Há um movimento no mercado onde bandeiras e benefícios mais e mais se conectam em arranjos abertos. O desafio é fazer isso de forma simples e segura.”

No caso dos cartões do iFood Benefícios, o usuário também pode gerar um cartão virtual para segurança — uma solução própria de tokenização da paySmart.

Como funciona

Para usar o cartão iFood Benefícios, as empresas entram em contato por meio do site do serviço para cadastro prévio seguido de um contato feito pelo iFood. Não há restrição para cadastramento de empresas — basta apenas que tenha um CNPJ.

Depois que a empresa contrata o iFood Benefícios, seus colaboradores já estão aptos a fazer o download do aplicativo, que é independente do aplicativo do iFood Delivery, no qual poderão fazer seu cadastro e gerenciar seu saldo. A partir daí, os colaboradores usam o benefício.

De acordo com o serviço, não há taxas de pequenas e médias empresas — uma dor das empresas que não conseguem oferecer benefícios por conta dos custos.

Tampouco há taxas para o usuário.

As novidades não param

Além do cartão iFood Benefícios com a bandeira Elo, foi anunciada recentemente no mercado a parceria da empresa de delivery com a Blackhawk Network Brasil para a venda de gift cards, nomeados de iFood Card.

Disponível para compras em grandes redes varejistas do país, como Lojas Americanas, Carrefour e Grupo Avenida, o iFood Card é mais um forma de acesso aos serviços da empresa. Pode ser dado como presente para uma pessoa querida ou usado como meio de doação, bem como facilitar a vida de pessoas que não têm cartão de crédito ou não querem utilizá-lo no aplicativo.

Os valores para o gift card do iFood operacionalizados pela Blackhawk Network variam entre 20 e 200 reais, de acordo com o canal de compra, e a validade é de três meses.


+ Notícias

GPA e iFood anunciam parceria para vendas online

Programas de fidelidade premium chamam a atenção de varejistas






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS