Transformação ecológica: a empresa francesa que se dedica, realmente, a fazer o bem

Conheça a Veolia, uma companhia devotada à transformação ecológica que trabalha para alcançar um futuro melhor para todos. É possível?

Estelle Brachlianoff. Certamente você não ouviu falar dessa executiva ou da empresa que ela comanda, a Veolia. Esta empresa francesa atua no tratamento de água, redução do desperdício de energia e economia circular. Enquanto a maior parte das empresas do mundo pensa e busca a transformação digital, a Veolia é devotada à transformação ecológica. No Viva Tech, evento global de inovação e tecnologia que acontece anualmente na França, Estelle falou sobre os planos e a atuação de sua empresa e o que eles significam para o planeta e o mercado.

A executiva francesa comanda uma empresa global com mais de 178 mil colaboradores, com foco na gestão otimizada de resíduos para promover o desenvolvimento sustentável de comunidades e indústrias. Em meio à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, a Veolia procurou manter seu compromisso e para isso teve de ser resiliente.

Nas palavras de Estelle Brachlianoff, o momento pediu persistência: “Nunca desistir. Na Veolia temos milhares de pessoas dedicadas a manter os serviços sempre em ação, recolhendo resíduos, efetuando o tratamento, mantendo a reciclagem ativa”, comentou. Em meio à pandemia, manter o compromisso de recolher o lixo, encará-lo como questão de saúde pública foi um exercício de resiliência.

Segundo Estelle, a Veolia tem muito orgulho de seus colaboradores e a população francesa também manifestou seu apreço e admiração pelo trabalho incansável do time da empresa. Milhares de crianças enviaram desenhos que retratavam a atividade incansável dos catadores como forma de expressar sua gratidão. Em vários dias ao longo dos últimos meses, o time da Veolia era aplaudido às 20h, heróis urbanos que estavam assumindo uma tarefa essencial para manter a saúde do restante da população.

A empresa buscou aumentar sua escala e capacidade de inovação, promoveu uma fusão com uma concorrente histórica, a SUEZ, para lançar as bases de uma empresa distinta, uma campeã da “transformação ecológica”. A Veolia encara o aquecimento global e a mudança climática como elementos disruptores do planeta e vê muitas oportunidades para reduzir a poluição da água e do ar.

Em um país como o nosso, que sofre com a indigna e vergonhosa taxa de pouco mais de 50% das residências com acesso à água tratada e uma política ambiental canhestra e duvidosa, parece um tanto surreal acreditar nos compromissos da Veolia. Mas os números falam por si: mais de 95 milhões de consumidores com acesso à água tratada globalmente, 2.667 estações de tratamento de água, 49 milhões de toneladas métricas de resíduos tratados e 46 milhões de MWh de energia produzidos. Para substituir o carvão nas usinas térmicas de energia, a Veolia desenvolveu um carvão verde e não-poluente, feio à base de resíduos reciclados (boa dica para nosso país agora que enfrentamos crise energética e necessidade de ligar as térmicas para garantir o abastecimento).

A pandemia somente acelerou a necessidade de buscar soluções para os grandes desafios do planeta no rumo de uma economia autenticamente verde. A covid-19 foi um ponto de inflexão que motivou as pessoas a pensarem no essencial. Ao ver milhões de pessoas em lockdown abrirem mão de inúmeras atividades essenciais, da socialização mais básica, era inevitável pensar no que era realmente importante.

Para Estelle, durante algum tempo muitas pessoas se questionaram se haveria retorno para alguma forma de normalidade: “para gerenciar uma crise desse tamanho tivemos de proteger nossos colaboradores, defender a saúde de todos acima de tudo. Essa foi a premissa básica”, comenta. A executiva ressaltou que o componente humano, a capacidade de entender os problemas familiares, as condições específicas de cada pessoas, cuidar delas, enfim, era fundamental. Tudo isso exigiu grande capacidade de adaptação, e muita concentração para que nenhum detalhe pudesse comprometer essa tarefa.

A Veolia também se dedicou a testar a água para verificar se havia possibilidade de contágio do vírus por esse meio. “Seria possível criar uma espécie de PCR para avaliar a qualidade da água? Aprendemos muito sobre a biologia geral do vírus e da interação dele com o ambiente e como ele se dissemina em uma cidade”, explica Estelle.

No continente europeu em particular, sustentabilidade ganhou enorme evidência. A defesa da biodiversidade é uma crise emergencial que demanda mais reciclagem, mais economia circular, eficiência energética e novas soluções para resgatar a saúde do meio ambiente. Para isso, a Veolia coleta uma infinidade de dados para utilizar em aplicações digitais que aprimorem a gestão de resíduos e promovam uma economia limpa.

Toda essa expertise vai ganhar dimensão global maior. A Veolia quer ampliar seu alcance e promover a transformação ecológica por um maior número de países, amplificando os padrões mundiais de sustentabilidade, a partir de novos negócios na América e nos EUA. Vale a pena acompanhar quantas empresas com esse posicionamento ajudarão a promover uma diferença em prol do planeta, para além da tão falada agenda ESG.


+ Notícias

A incrível história da mulher que é C-level de duas empresas ao mesmo tempo

Histórias dos CEOs: as ideias do CEO de 26 anos que comanda a Tag Heuer




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS