ARTIGO: Será que você já é cringe para a Geração Z?

O termo, reconhecido como “vergonha alheia”, já está na boca dos adolescentes e descreve alguns dos hábitos dos Millennials

Foto: Shutterstock

Nos últimos dias, o papo das diferenças entre gerações ficou mais proeminente nas redes sociais. E isso aconteceu por uma diferença importante: os millennials oficialmente já escalonaram, na visão da Geração Z, para uma idade na qual já não são mais considerados jovens. Hoje, são vistos pelos adolescentes e jovens adultos como pessoas mais velhas que tem certos costumes que já estão fora de moda — ou, como a Geração Z gosta de falar, os millennials são cringe.

Se você nunca ouviu falar sobre essa expressão, sinto dizer: a Geração Z já te considera ultrapassado. A gíria significa algo que é um mico, uma vergonha alheia, e descreve alguns hábitos característicos dos millennials, como usar calça jeans skinny e sapatilha. É claro que não são apenas esses costumes que tornam os novos adultos cringe, mas eles já exemplificam bem a diferença notória entre as gerações: um novo estilo de vida nasce daí e ambas as gerações procuram por produtos distintos.

Por que é importante acompanhar as tendências geracionais?

Embora a discussão pareça fútil, o tema tem inflado as redes sociais e dividido opiniões. Assim, boa parte das estratégias de marketing tem seguido por essa linha, uma forma também de conhecer melhor o consumidor de ambas as gerações.

Vale destacar que a Geração Z se estabelece como os novos jovens e tem para si uma identidade bastante estabilizada — e o mesmo ocorre, agora, com os millennials. Essas são estratégias valiosas para que as empresas reconheçam os costumes e preferências de seus clientes, algo fundamental para garantir uma experiência do cliente satisfatória e personalizada.

Importante lembrar também que as novas palavras que entram em alta têm um impacto forte para atingir o público. A hashtag #cringe já alcançou mais de 23 milhões de publicações no Instagram e alguns dos vídeos com a mesma palavra, publicados no TikTok, já ultrapassaram a marca de 10,5 bilhões de visualizações. A busca pelo termo no Google também aumentou pelo menos 70% ao longo dessa semana.

Mas, afinal, o que é considerado cringe?

A diferenciação, de acordo comum com os nascidos entre 1995 e 2010 (a famosa Geração Z) está em alguns hábitos que vão além do vestuário. Para eles, os millennials (que nasceram entre 1980 a 1994) já estão tão fora de moda e com hábitos tão ultrapassados quanto os Baby Boomers (1946 a 1964).

Ou seja, da mesma forma como os jovens adultos hoje acham que usar o Facebook e não saber interagir bem com a tecnologia e redes sociais é “coisa de velho”, a Geração Z enxerga que alguns dos hábitos dos millennials são os novos micos. Entre os costumes considerados cringe estão uma série de hábitos: tomar café da manhã — e, de fato, gostar muito de café, mesmo sem açúcar —, usar o cabelo dividido de lado, sapatilhas, calça skinny, falar sobre boletos o tempo todo, gostar da Disney, Harry Potter e Friends, preferir um estilo minimalista, tomar litrão (não cerveja!) e, acima de tudo, não saber o significado da palavra cringe (se você pesquisou o que ela significava, eu tenho uma triste notícia para te contar…).

Todos esses hábitos já são considerados, para essa nova geração, ultrapassados. E isso ressalta a grande diferença geracional, visto que a Gen Z se destaca por costumes bastante diferentes: usam calças mais largas, cabelo dividido ao meio, são adeptos do energético Monster, escutam cantoras mais novas — Olivia Rodrigo é um exemplo —, são ávidos usuários do TikTok, fãs de K-pop e readaptaram algumas das gírias comuns.

Zennials e o equilíbrio entre os lados, onde se encaixam?

Embora no papel as gerações estejam diferenciadas por anos de nascença, algumas das pessoas que estão entre as gerações se veem perdidas com sua identificação: foram apelidados de Zennials (nascidos normalmente entre 1996 e 2001). Adultos, já com seus 20 e poucos anos, essas pessoas se reconhecem com ambos os hábitos dos millennials e Geração Z: são ávidos usuários do TikTok e podem até mesmo gostar das músicas da cantora Olivia Rodrigo, mas já tem mais responsabilidades por atingirem a maturidade.

Assim, é necessário que as empresas também estejam de olho nos Zennials: essa geração do meio termo pode desenvolver uma identidade em um período próximo. Dessa forma, vale ficar atento aos próximos capítulos dessa discussão acalorada da internet.

O que vale, por agora, é: será que você já é considerado cringe pela Geração Z?

 


+ Notícias

Estratégias de marketing para a geração X

Geração Baby Boomer, X, Y ou Z: entenda onde você se encaixa






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS