Para anunciar emissão de CO2, iFood cria floresta digital em campo de futebol

Por meio de uma projeção no estádio da Neo Química, iFood mostra investimento no bioma amazônico

Foto: Shutterstock

Seguindo na linha de diminuição da pegada de gás carbônico, o iFood criou uma ação para conscientização nacional sobre o efeito estufa e demonstrou para o público que está comprometido em ser mais sustentável. Nesta quarta-feira (30), a empresa comunicou que 100% de suas entregas terão compensação antecipada em CO2 de um jeito diferente: durante a transmissão da partida de futebol entre o São Paulo e o Corinthians, no Campeonato Brasileiro, na TV Globo.

A exibição aconteceu durante o intervalo do jogo e mostrou uma projeção digital dentro do campo de futebol. Nela, o telespectador viu uma floresta projetada no espaço, demonstrando todos os recursos que serão destinados à preservação da Floresta Amazônica. De acordo com a empresa, a ação foi produzida pela agência Suno e teve duração de aproximadamente dois minutos.

Em comunicado à imprensa, Gustavo Vitti, vice-presidente de Pessoas e Soluções Sustentáveis no iFood declara que a empresa está mais que disposta a contribuir para a sustentabilidade e ecologia em prol do planeta. “A pandemia nos apresentou novas responsabilidades. Precisávamos usar ainda mais nossas ferramentas, nosso potencial de inovação, e promover soluções transformadoras que revertam os impactos socioambientais típicos de uma operação de delivery”, explica.

A união da sustentabilidade à tecnologia dentro do iFood

Segundo dados disponibilizados pela empresa, o iFood já compensou todas as emissões de entregas que serão feitas até o final de 2021. Durante a ação no estádio da Neo Química Arena, o aplicativo já informou que a compensação foi feita por meio da compra de créditos de carbono de projetos auditados na Amazônia, feita pela empresa Moss.Earth.

“Sabemos que apenas a compensação não é suficiente. É preciso pensar em formas inovadoras de reduzir as emissões de CO2. Em outubro do ano passado, lançamos o iFood Pedal, em parceria com a Tembici, um projeto desenvolvido exclusivamente para entregadores que oferece planos acessíveis para o aluguel de bikes elétricas.  Atualmente, mais de 2 mil entregadores estão cadastrados e compartilham 1.000 bikes elétricas em São Paulo e no Rio de Janeiro, além do caráter educacional que a iniciativa contempla. Com os bons indicadores de adesão, nosso plano é expandir gradativamente o projeto, levando-o para outras cidades e, assim, aumentar nosso percentual de entregas limpas”, ressalta o Vitti no comunicado.

Além da redução atual de carbono, o iFood também pretende incluir novas maneiras de transporte que sejam mais sustentáveis, sem emissão de gases nocivos. Para tanto, a empresa fez parceria com a montadora Voltz, especializada em motos elétricas. O projeto de testagem começou em abril e pretende continuar em expansão até 2022.

Todas essas ações pautadas na agenda de ESG da empresa fazem parte do iFood Regenera, um programa focado em metas sustentáveis até 2025. Entre essas metas, uma diz respeito a ter pelo menos 50% das entregas feitas a partir de transporte sustentável e que não emita carbono.

“Sabemos que temos um longo caminho pela frente, mas confiamos que junto a importantes parceiros e esse conjunto de iniciativas, além de outras que estão em desenvolvimento, será possível melhorar o cenário da geração de plástico e impacto de CO2 no meio ambiente. Nossa relevância e presença na vida das famílias brasileiras reforça a ainda mais a importância destes compromissos ambientais para o planeta”, finaliza Vitti.


+ Notícias

iFood testará drones para aumentar a eficiência do serviço

Por que o iFood lançou um cartão físico do iFood Benefícios Elo?






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS