A notícia e o conteúdo agora ganham plataformas customizadas

Plataforma 100% nacional ressignifica o setor de produção de conteúdo com fator competitivo no mercado: a precificação em Real

O WordPress – sistema livre que abriga milhões de blogs e sites em todo o mundo – há muito tempo é uma das ferramentas mais utilizadas para conteúdo web. Mas, a depender de sua utilização, o sentimento é que alguns recursos poderiam melhorar o sistema.

Com base nas queixas identificadas por seus usuários, a Doka Comunicação entra no mercado com uma nova tecnologia aplicada à boa e velha plataforma. Desenha o próprio WordPress com as características de funcionalidade adaptadas a cada modelo de negócio de mídia digital, personalização que, além de tudo, vem sem surpresas na fatura.

A turma dos blogs, revistas on-line e marketing de conteúdo vai dizer que o “WordPress foi atualizado com sucesso” com a nova plataforma de publicação digital, a RDO Mídia, originalmente criada pela Doka Comunicação. “No Brasil, além do ineditismo, a RDO Mídia se difere por ser uma plataforma paga em reais. A gente percebe que as pessoas têm muito receio de investir em soluções pagas em dólares e euro – o que é compreensível. Identificamos uma concorrente europeia e fizemos a simulação: na conversão de reais para o euro, o investimento é, de fato, altíssimo”, diz Adriano Rodrigues, diretor da Doka Comunicação.

No pacote de customização de recursos, a economia rege a banda, enquanto a Doka cuida de toda a orquestração tecnológica da plataforma de mídia digital. “Nosso objetivo é fazer com que a pessoa não se preocupe com tecnologia para que tenha mais tempo para se dedicar ao seu próprio core business: cuidar do conteúdo da forma como quer transmitir, da maneira mais assertiva possível”, reitera o gestor.

Mais indexação

Que a notícia entregue no papel impresso não é mais uma vantagem? Fato. Mas isso deixou de ser novidade. O problema é que alguns setores da comunicação ainda apostam nos PDFs como caminho para alcançar o sonhado espaço ao sol no concorrido mundo digital. Meio duvidoso, quase sempre limitado por problemas de indexação.

“Especialmente no caso das revistas on-line, costumo indicar, mesmo aos clientes mais conservadores, que apresentem as duas versões: se quer PDF, ok. Mas nunca deixe de oferecer a opção também pela mídia on-line”, recomenda.

O gestor comparou um artigo de sua própria autoria publicado em PDF nas páginas de um congresso, com o mesmo artigo publicado na plataforma RDO Mídia. Na busca por “revista corporativa” no Google, o conteúdo postado pela Doka aparece no topo, enquanto a publicação do congresso, amarga nas páginas seguintes da busca.

“A pessoa faz texto, foto, diagrama, revisa todo o material, mas, a indexação do PDF é fraquíssima e se a revista converter em imagem, não há absolutamente nenhuma indexação mesmo. Perde-se tempo investido no trabalho, e audiência”, explica.


+ Notícias

Em tempos de hiperconeconexão, chegou a hora e a vez do slow content

Conheça a plataforma brasileira de podcasts que quer concorrer com o Spotify

Com muitos eventos online, conteúdo de qualidade vira estratégia de diferenciação


 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS