A prática de esportes pode impactar na sua gestão

Hábitos adquiridos com treinamentos influenciam a maneira de encarar a vida profissional, afirma ex-atleta olímpica

Você pratica esporte? Isso pode impactar na sua gestão

Quando se fala em esportes, é comum se pensar em duas características: o trabalho em equipe e a disciplina. E essa ideia não está errada. De acordo com Adriana Samuel, duas vezes medalhista olímpica e empreendedora do ramo esportivo, essas características dos esportes fizeram com que ela passasse a enxergar a vida profissional de uma maneira diferente. Isso contribuiu para sua gestão e maneira de se relacionar com as outras pessoas.

Para ela, a prática de esporte pode ter papel importante para aqueles que querem melhorar sua postura no trabalho e na forma de gerir um time.

O esporte na formação do ser humano

A prática de esportes é vista, para a maior parte das pessoas, como uma forma de cuidar da saúde, mas aqueles que fazem parte desse universo conseguem enxergar benefícios que vão muito além disso.

Não à toa, é comum que pais coloquem seus filhos desde criança para praticarem algum tipo de atividade física ou esporte. Para Adriana Samuel, isso acontece pois o esporte não é apenas uma forma de exercitar o corpo, mas também de se relacionar com outras pessoas.

“O esporte é transformador. Ele educa de forma não convencional. Acredito que, por isso, deveríamos começar cedo a praticar algum tipo de esporte, para colaborar na construção do caráter do aluno, do cidadão de maneira prática. Pode ser que a criança não se torne uma grande atleta, um ídolo ou conquiste títulos, mas só a experiência e a vivência do esporte que se leva para vida já tornam o processo importante”, afirma a atleta do vôlei de praia.

Ela percebe isso em sua vida profissional. “Não tenho a menor dúvida, de que a experiência da vida de atleta me ajuda muito na minha segunda carreira, como eu costumo falar. O esporte contribuiu na minha formação como pessoa, principalmente com valores como a disciplina, respeito e perseverança. Me ensinou lições preciosas como saber perder e levantar a cabeça para continuar depois de uma derrota”, conta.

Hoje, a atleta e medalhista olímpica brasileira de vôlei de praia ainda trabalha com esportes, como gestora de atletas, e promove projetos sociais que incentivam a prática desde a infância, acreditando no potencial da disciplina, liderança e trabalho em grupo podem ter no futuro dos pequenos.

Esportes e gestão, qual a relação?

Engana-se quem pensa que apenas atletas como Adriana Samuel podem sentir os efeitos da prática de esporte na vida profissional. Inúmeros CEOs de grandes empresas, como Mark Zuckerberg, do Facebook, Tim Cook, da Apple, e Elon Musk, da Tesla e SpaceX, já afirmaram em entrevistas que praticam esportes e atividades físicas regularmente.

Segundo a agora empreendedora, isso tem motivos claros: quando uma pessoa se exercita ou pratica algum esporte, é possível desenvolver muito mais disciplina, visão de liderança e de trabalho em grupo. Além disso, ganha muito mais autoestima e autoconfiança, para saber lidar com as pressões e responsabilidades exigidas para ser um bom gestor.

“Você pode ser fera na gestão sem praticar esporte, mas com certeza a atividade física te coloca em vantagem. Por isso, encontre o seu exercício motivador, porque vai te motivar a vencer os seus desafios”, opina.

● Resiliência e busca por soluções
Deparar-se com desafios na vida profissional é algo corriqueiro e que todos precisam enfrentar, buscando soluções e aprendendo a lidar com a pressão de se fazer um bom trabalho. Assim como nos esportes. Essa é uma das relações que Adriana Samuel encontra quando o assunto é vida profissional.

“Esporte é isso. Você não tem como ficar lamentando uma derrota, porque na semana seguinte você já tem outra competição, ou no mesmo dia. Eu carrego esse poder de reação e muitas outras lições do esporte. Talvez, uma das lições mais valiosas que trago para a vida como gestora, seja diante de uma situação difícil, conseguir virar a chave rapidamente para encontrar uma solução”, exemplifica, contando sua experiência.

● Liderança
A liderança, algo imprescindível em cargos de gestão, é outro ponto que a medalhista olímpica acredita ser muito desenvolvido pelo esporte, principalmente para aqueles que já tem traços de personalidade que indiquem essa aptidão, que nem sempre é para todos.

“Existem pessoas mais introspectivas e outras que mostram esse poder agregador. Um capitão, por exemplo, veste uma braçadeira de capitão, mas há outros líderes no time que não precisam da braçadeira. Esta é a liderança que eu mais admiro: a liderança pelo exemplo. Líderes não medem esforços para evoluir e melhorar. Isso inspira a outros”.

Como inserir o esporte em sua vida

Seja para melhorar o desempenho no trabalho de gestão ou cuidar da saúde, os benefícios dos exercícios físicos são mais do que comprovados pela ciência. “A atividade física é fundamental, e isso ficou nítido na pandemia. O exercício nos ajuda a passar por esse período difícil. A corrida, desde o ano passado, me ajudou muito a diminuir a ansiedade e sair da angústia decorrentes das incertezas de não saber o que vai acontecer no futuro”, conta Adriana Samuel.

Começar a praticá-los, entretanto, nem sempre é fácil para muitos, pois exige determinação e consistência. A medalhista olímpica deu algumas dicas para quem quer entrar para o mundo das atividades físicas.

● Pratique 30 minutos por dia
“Melhor fazer trinta minutos todos os dias, do que pensar ‘já que vai ser só trinta minutos, eu não vou’. Trinta minutos todo dia é perfeito, não precisa mais do que isso”, indica.

Segundo Adriana Samuel, colocar a meta de fazer meia hora de exercício por dia também ajuda a criar disciplina, algo fundamental para a vida profissional. “Você encontra o hábito e praticando regularmente, te ajuda a ser mais organizado na vida profissional”.

● Encontre o esporte ideal
Outra dica para quem quer começar a se exercitar e tem dificuldade em manter a frequência, é encontrar uma atividade que lhe dê prazer em fazer, algo que chame sua atenção e que você tenha interesse em praticar. “Não faça algo que se sinta obrigado, encontre uma atividade que seja boa para você”.

● Não espere até ter vontade para começar algo
“Eu sou super disciplinada, mas óbvio que eu não acordo todos os dias pensando o quanto quero sair e correr. Às vezes eu chego em casa exausta e estaria mentindo se dissesse que eu estou louca para entrar em uma academia. Mesmo assim, não espero ter essa vontade, ter esse desejo. Faço exercícios diariamente porque eu sei que é importante e faço curtindo. A sensação no final é maravilhosa”, finaliza Adriana Samuel.


+ Notícias

Tinder revela quem mais conquistou os consumidores no RJ

O que te tira o sono? Técnicas para relaxar antes de dormir






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS