Os caminhos para fazer uma pesquisa de mercado eficiente

Um estudo de qualidade pode contribuir com as estratégias e melhorar o desempenha das empresas

Os caminhos para fazer uma pesquisa de mercado eficiente

Uma pesquisa de mercado nada mais é do que um estudo feito para entender o comportamento de algum grupo específico, como os consumidores, empresas, líderes, entre outros.

É uma ferramenta que pode ser útil para diversos setores do mercado, pois mostra dados importantes para o desempenho de uma empresa. No caso do comportamento do consumidor, é possível avaliar inúmeros aspectos que, reunidos, são capazes de contribuir com a elaboração de estratégias de uma marca, por exemplo.

Para realizar uma pesquisa de mercado eficiente, entretanto, são vários os pontos que precisam ser levados em consideração, principalmente sobre a forma como é feita.

Entendendo as pesquisas de mercado

Conhecer os clientes é um dos principais pontos quando o assunto é montar estratégias de negócios eficientes. Com dados e informações sobre o comportamento do consumidor é possível pensar em novas maneiras da marca se relacionar com ele e ainda ter insights sobre como se posicionar frente à suas opiniões ou visões.

Uma pesquisa de mercado para entender o comportamento do consumidor pode ser feita de diversas maneiras, sendo que a escolha da forma como será realizada e até as perguntas que serão feitas podem interferir no resultado. Assim, conhecer os principais pontos da pesquisa é essencial para realizá-la da maneira correta e conseguir as informações desejadas.

Os tipos de pesquisa de mercado

Existem dois tipos de pesquisa que são utilizados para esses tipos de estudo: a pesquisa quantitativa e a qualitativa, indicadas de acordo com o que se deseja saber. Quem explica isso é Júlia Villela, head de Insights da Opinion Box, empresa especializada em pesquisa de mercado.

“A pesquisa qualitativa traz informações mais subjetivas e em profundidade. Geralmente é feita de maneira exploratória, com o entrevistador realizando uma entrevista para entender um comportamento mais a fundo, incentivando os participantes a opinarem mais livremente”, explica a profissional.

Esse tipo de pesquisa pode ser feito tanto presencialmente quanto online. Júlia Villela explica que, muitas vezes, a opinião de um entrevistado é percebida não apenas nas palavras, mas também em seus gestos e reações, o que traz mais profundidade para suas opiniões.

Entretanto, nem sempre essa profundidade colabora com a pesquisa (ou é necessária). “Em temas que são mais sensíveis, as pessoas podem ter mais receio em opinar presencialmente ou de forma mais completa. Então, talvez seja mais interessante utilizar a pesquisa quantitativa online, pois a pessoa se sente mais à vontade em responder de maneira mais objetiva”, exemplifica.

“No caso da pesquisa quantitativa, você consegue, como o nome sugere, quantificar dados coletados através de um questionário padrão, aplicado para todos de maneira igual. Posteriormente, a partir das respostas, é possível analisar essas informações, os números e porcentagens de maneira mais objetiva, trazendo informações exatas do comportamento”, explica a head de Insights. Nesse caso, também é possível fazer a pesquisa presencialmente, online ou por telefone.

O que é possível descobrir

A partir de uma pesquisa de mercado é possível descobrir informações gerais ou específicas sobre um grupo para os mais diversos objetivos, desde análise externa até análise interna (percepção dos colaboradores, por exemplo). Para cada um desses objetivos, é preciso pensar em formatos e perguntas aderentes ao esperado.

Assim, é possível descobrir:

● as tendências de consumo;
● os hábitos e comportamentos;
● a jornada de compra;
● como uma marca ou produto são vistos pelo público;
● a percepção sobre produto e precificação;
● a percepção da empresa ou de uma campanha;
● a satisfação do consumidor;
● a satisfação do colaborador (público interno);
● clima organizacional e muito mais.

Como fazer uma pesquisa de mercado eficiente

Entender os formatos de pesquisa é apenas um dos passos. Fazer de fato um estudo de mercado eficiente exige outros pontos tão importantes quanto escolher seu formato.

Saber fazer as perguntas certas e de maneira objetiva tem um efeito claro nos resultados, por exemplo. Formato, números de perguntas, o que é perguntado, como, por quem, o grupo a ser estudado… todos esses detalhes importam. Para Júlia Villela, o principal ponto é que todas essas escolhas estejam aderentes aos objetivos da empresa. A profissional aponta três aspectos que merecem atenção:

● metodologia (quantitativa ou qualitativa);
● formato (presencial, online, telefone);
● amostra (precisa refletir o público desejado pela empresa ou que seja interessante para o objetivo).

É comum gestores optarem por contratar empresas especializadas em pesquisa de mercado conseguem entender o objetivo e elaborar pesquisas mais assertivas, pois uma escolha errada ou não tão adequada pode interferir no resultado final dos dados.

Como a pesquisa de mercado pode contribuir

A partir dos dados coletados durante a pesquisa, empresas podem elaborar estratégias de negócios de maneira muito mais eficiente. Para a especialista da Opinion Box, os dados são muito importantes para uma estratégia mais assertiva e, muitas vezes, mostram comportamentos ou opiniões que não eram esperados pela empresa.

“Os dados coletados em uma pesquisa quantitativa, por exemplo, são exatos. Eles mostram numericamente o que um grupo específico tem a dizer. Criar estratégias a partir desses dados torna o processo mais assertivo, pois deixa os achismos de lado”, explica.

Por tamanho potencial no desempenho da empresa, Júlia Villela acredita que as pesquisas de mercado podem ser feitas em qualquer momento, mas ganham valor maior quando realizadas antes da elaboração de alguma estratégia.

“Quando a marca vai lançar um novo produto ou explorar um novo mercado, por exemplo, ela precisa conhecer os consumidores e o que acham daquilo. Então, a pesquisa torna-se essencial, pois a estratégia pode ser baseada em dados. Isso também vale para decisões internas”, diz.

Montando estratégias a partir dos resultados

“A pesquisa por si só não resolverá nenhum problema. A ação em cima dos resultados é o que faz a diferença para a empresa e essa análise precisa ser feita em cima de dados, levando em consideração distribuição amostral, confiança e margem de erro”, afirma a profissional de pesquisa de mercado.

A partir da análise dos dados, é possível ter uma visão muito mais certeira do que o consumidor pensa ou espera de uma marca ou produto. Para a profissional na Opinion Box, é essencial pensar nas estratégias a partir dessas informações (data driven), mesmo que não tenham sido as esperadas.

“Não adianta de nada fazer uma pesquisa bem feita, mas não considerar os resultados na hora de traçar a estratégia. Muitas empresas acreditam ou têm em mente que conhecem seus consumidores e, às vezes, a pesquisa traz um resultado diferente do esperado. É importante validar esses dados e considerá-los na estratégia”, pontua.

Por melhor e mais eficiente que seja uma pesquisa de mercado, seus resultados não duram para sempre. Afinal, a sociedade e as pessoas mudam, trazendo novos comportamentos de consumo. Por isso, Júlia Villela explica que “é essencial acompanhar os resultados da estratégia e até mesmo fazer uma nova pesquisa para ver se a estratégia realmente surtiu efeito desejado”.


+ Notícias

As jornadas (do consumidor) por caminhos tortos que nos são impostos

Os 5 fatores críticos de sucesso para a experiência do cliente




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS