Opinião ou expressão? Qual o impacto dos consumidores ativos nas redes sociais para as marcas?

Como lidar com os consumidores que são intolerantes, impacientes, exigentes e cada vez mais ativos nas redes sociais?

Os consumidores ativistas têm cada vez mais um forte poder e liberdade de expressão nas redes sociais. Definidos por um grupo de pessoas que não necessariamente se identifica pelo seu perfil de escolha, mas, sobretudo, por dividir características como a impaciência com a perda de tempo, a intolerância com regras, burocracias e desinformação, esses consumidores estão, também, insatisfeitos com uma prestação de serviços ruim e jornadas de clientes mal desenhadas. 

Essa tendência já aparecia lá em 2008, quando a Consumidor Moderno apontou pela primeira vez o potencial desse grupo, que ainda hoje se mostra muito sólido. E para as marcas, é preciso saber construir um bom relacionamento com esses consumidores que, por vezes, exercem seu direito de liberdade de expressão de forma desmedida.

O comportamento é o assunto do novo episódio do podcast Circle Consumidor Moderno, que irá ao ar nesta quarta-feira, às 15h.

Jacques Meir, diretor-executivo de Conhecimento do Grupo Padrão, faz a mediação do programa “Opinião ou Expressão? Qual o impacto sobre as marcas de consumidores ativos nas redes sociais?”, que conta com a participação de Juliana Cury, diretora de marketing & inovação da BK Brasil, para um debate sobre as melhores práticas de como gerenciar a participação dos consumidores ativistas nas redes sociais. 

A produção desse podcast contou com o apoio da produtora soupods, da jornalista Eliane Leme. Acompanhe no site oficial as edições anteriores do podcast Circle Consumidor Moderno, ou através do seu agregador de áudio de preferência. 


+ Notícias

Brasil é o 5º no ranking mundial de crescimento na produção de podcasts

Crescimento dos podcasts: por que o formato ganha cada vez mais espaço?






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS