Experiência gamer: hábitos de consumo além dos jogos fazem marcas investirem na comunidade

Público gamer cresce, movimenta bilhões por ano no segmento e ganha espaço no marketing direcionado de diferentes empresas

Experiência gamer: hábitos de consumo além dos jogos fazem marcas investirem na comunidade

Se você for buscar inspiração para decorar um quarto gamer no Pinterest, vai se deparar com alguns objetos comuns na maioria das imagens: os colecionáveis, como os toy arts, e pôsteres de jogos e cinema. Mas o que chama a atenção mesmo são os aparelhos eletrônicos de última geração, repletos de luzes de led coloridas, que os tornam característicos da comunidade gamer. Esta, aliás, já faz tempo que deixou de ser associada a um grupo de nerds que jogam por lazer e passou a ser reconhecida como uma comunidade que movimenta bilhões de reais todos os anos.

Assine a nossa newsletter e fique informado sobre as principais notícias de CX

Em 2020, o faturamento ligado ao setor de licenciamentos no Brasil alcançou R$21 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Licenciamento de Marcas e Personagens (Abral). Não só os jogos, como também séries, filmes e quadrinhos se expandiram para brinquedos, objetos de decoração, roupas, papelaria e até comes e bebes, fazendo com que o faturamento com os itens licenciados no segmento geek e pop fosse 5% maior do que o ano anterior. Já o mercado especificamente de jogos movimentou US$11 bilhões de dólares só em novembro de 2020, valor 15% maior do que o mesmo mês de 2019, de acordo com dados da Nielsen & Company.

Profissionalização da comunidade gamer abre espaço para investimento no ramo

A pandemia impulsionou o mercado gamer: a Pesquisa Gamer Brasil 2021 mostra que 46% dos mais de 12 mil entrevistados em todo o país jogaram mais durante o período de isolamento social e 42,2% deles gastaram mais dinheiro com jogos digitais. Rodrigo Russano Dias, head of PR e social media da Nimo TV, afirma que a plataforma teve um aumento de 25% de público durante a pandemia, 78% de aumento nas horas assistidas e 35% a mais de streamers que, muito além de diversão, estão buscando no game um meio de trabalho.

“Muita gente tem visto no game uma oportunidade. Os streamers têm duas opções de remuneração na Nimo TV: a primeira é com contrato de exclusividade com a plataforma, o que gera um pagamento mensal para os gamers com alto potencial; a segunda é por doações de fãs, que podem ser esporádicas ou por assinatura do fã-clube”, explica.

Assine a nossa newsletter e fique informado sobre as principais notícias de CX

De olho nesse crescimento, a Nimo TV vem se atualizando para dar o suporte necessário para os gamers. “Oferecemos todo o suporte de qualidade para o desenvolvimento dos streamers. Entendemos que, se eles crescem, nós também crescemos”, afirma Rodrigo Russano Dias, que acredita que a profissionalização dos gamers está só no início e que ainda há espaço para muita gente sair do amadorismo.

Mas não é só os desenvolvedores de jogos e de plataformas de streaming que já enxergam o potencial da comunidade gamer. Recentemente, o banco digital next anunciou a gamer Nicolle Merhy, a Cherrygumms, como nova embaixadora da marca. Cherrygumms é criadora da Black Dragons, um dos maiores clubes de eSports do Brasil.

“O impacto da comunidade gamer na economia e na sociedade é notório. Campeonatos de jogos acessíveis, como o Free Fire, geram novas oportunidades de trabalho e de vida para milhares de pessoas. O next percebeu esse potencial de transformação há mais de dois anos, e se tornou uma das mais fortes do cenário gamer”, afirma o head de marketing do next, Paulo Aguiar. Além de posicionar a marca entre as mulheres consumidoras de games, o next visa a estimular a presença feminina no cenário profissional, ocupado por apenas 10% delas, apesar de já serem maioria entre os jogadores brasileiros (51,1%).

Para a streamer da Nimo TV, Mariana Alpha, a iniciativa da next pode incentivar outras marcas a fazerem o mesmo. “A melhor palavra para isso é representatividade. É importante para que as empresas percebam que o público maior são as mulheres e que tem muitas fazendo sucesso. As mulheres ainda têm um leque grande no mercado, não só como gamers, mas como público geral”.

De olho nos hábitos de consumo dos gamers

Outros dados da Pesquisa Gamer Brasil 2021 mostram que há espaço para diferentes empresas investirem na comunidade gamer: 77,4% assistem a vídeos online sempre ou com frequência; 81,3% acessam a Netflix e 57,7% o Spotify; e 44,8% ingerem bebidas enquanto jogam games digitais. Gamers, sejam profissionais ou amadores, são potenciais consumidores e até investidores. “Outras empresas que podem agregar muito são as de educação em geral, mas principalmente financeira, já que a comunidade gamer acaba movimentando muito dinheiro”, destaca a streamer da Nimo TV.

Assine a nossa newsletter e fique informado sobre as principais notícias de CX

Sobre os hábitos de consumo, Mariana Alpha destaca que compras essenciais para os gamers são o computador em si e seus periféricos, como um bom mouse, teclado e monitor. “Mas há outros tipos de consumo que também são importantes para quem fica muito tempo em frente ao computador, como aplicativos de delivery de acessórios. Às vezes falta um cabo, um outro objeto, e ter alguém que entregue em casa facilita muito, ou até delivery de comida. Outra coisa que eu comecei a fazer muito na quarentena é exercício, então oferecer atividade física para quem fica muito tempo sentado jogando, como uma bike, uma corda, academia… Quaisquer coisas que façam bem para quem quer continuar sendo um gamer saudável”, comenta.

Pensando nesses hábitos, a Nubank, em parceria com Ambev e iFood, criou o projeto Good Game WP, que reúne conteúdo, campeonatos e experiências presenciais para quem é apaixonado por jogos, com R$200 mil em prêmios. A união entre um banco digital, uma cervejaria e um aplicativo de delivery de comida mostra que as grandes marcas estão atentas e inovando nos eventos destinados a esse público.

A Acer é uma das marcas que já oferecem produtos específicos para a comunidade gamer e, neste ano, apostou em uma equipe de peso para o marketing de influência. “A Acer sempre teve como uma de suas prioridades o segmento de jogos, por isso, em nosso time de embaixadores, temos grandes nomes do cenário, entre eles Cherrygumms, Nyvi Estephan, ninexT, Mariana Nery e Sidão do Game. É importante termos associados à marca e à comunidade essas pessoas que representam nossos valores e propósitos e nos conectam, ajudando a entender as reais necessidades de quem precisa de um bom equipamento para jogos, além de divulgar as novidades e experiência para quem gosta do universo”, diz a head de marketing da Acer Brasil, Caroline Raimundo.

Como a maioria dos jogos digitais para PC exige alta performance, a Acer possui equipamentos que podem ser usados por gamers profissionais. “Lançamos o primeiro monitor para jogos de 390 Hz do Brasil, uma taxa de atualização jamais experimentada por um jogador no país até fazermos esse lançamento. O objetivo foi oferecer uma tela que evitasse ‘rasgos’ durante o jogo e ainda tivesse taxa de atualização plenamente satisfatória, afinal sabemos que uma falha no monitor pode resultar na perda de uma partida online”, explica Caroline Raimundo.

Acessibilidade para quem está começando

Equipamentos próprios para jogos mais elaborados exigem investimento, mas quem busca apenas diversão já consegue acessar boas opções via celular. Entre os gamers casuais, 58,3% tem como plataforma favorita o smartphone, usado por 31,2% dos hardcore gamers. A Nimo TV é uma das plataformas de streaming que permitem a transmissão ao vivo por meio do smartphone – 85% do público também consome o conteúdo via celular.

Assine a nossa newsletter e fique informado sobre as principais notícias de CX

“A Nimo já nasceu com a ideia de ser mobile, pensando na democratização do uso. Hoje já não é mais necessário ter um equipamento avançado, pois as lives podem ser feitas diretamente do mobile”, ressalta Rodrigo Russano.

Para quem busca o game como uma forma de lazer, também já é possível investir em equipamentos bons e de custo menor. “Para quem quer se divertir jogando, mas não quer investir tanto, temos uma linha gamer de entrada, a linha Aspire Nitro 5, em especial, que é um dos maiores destaques de venda do mercado, já que atende às necessidades dos gamers causais e até de alguns jogos mais exigentes”, completa a head de marketing da Acer Brasil.


+ Notícias

Conexão mobile lidera preferência dos brasileiros e supera comportamento multiplataforma

O cinema do futuro: o streaming pode mudar a maneira como se consome filmes?






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS