Por que é um bom momento para usar o Kwai

O crescente investimento da companhia aliado à aderência do público no Brasil gera caminhos animadores para a produção de conteúdo na plataforma

Concorrente do TikTok, o Kwai é um dos aplicativos que mais cresceram no Brasil nos últimos dois anos, segundo pesquisa da Kantar Ibope Media. Além disso, a plataforma atualmente conta com uma média mensal de mais de 34,7 milhões de usuários ativos no país, o que a coloca no centro das atenções quando o assunto é conteúdo audiovisual on-line. Mas como as marcas podem utilizar tudo isso a seu favor?

O investimento do Kwai no país

O Kwai é um app que tem a China como sua terra de origem, por meio do Kuaishou Technology, que atingiu 1 bilhão de usuários mensais ativos em todo o mundo. Por isso, o foco no momento é alcançar o mercado brasileiro, que é muito atraente não só pelo tamanho, mas também pela relação que a população tem com a internet, principalmente as redes sociais.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das principais notícias sobre CX

“O Kwai está em plena expansão e queremos estar cada vez mais próximos das pessoas e fazer parte do seu dia a dia, inserindo o app na cultura do país. Os brasileiros podem desfrutar de uma grande variedade de conteúdo em nossa plataforma, criar vídeos curtos e fazer transmissões ao vivo de maneira simples e sem grandes produções”, afirma Mariana Sensini, diretora do Kwai no Brasil.

De acordo com a executiva, o desejo é que o aplicativo seja tão bem-sucedido em terras tupiniquins quanto é na Ásia, uma vez que o país vem demonstrando potencial para tal. Sendo assim, a companhia está investindo em produção de conteúdo segmentado, mais especificamente em esportes. Os destaques vão para:

● Série de lives com As Dibradoras sobre a Copa América;
● Parceria com a editora Panini para criação de um álbum digital dentro do app;
● Comemoração dos 50 anos do Brasileirão;
● Filtros, desafios, placar de jogos, lembretes de lives sobre futebol e Copa América;
● Jogadores da Seleção Brasileira respondem perguntas dos fãs;
● Parceria com o Brasileirão até 2022;
● Parceria com o Novo Basquete Brasil (NBB).

“Entre junho e julho, realizamos inscrições para o nosso Programa de Criadores de Esportes, que tem o Fred, do Desimpedidos, como embaixador. O programa terá duração de 12 meses a partir do ano que vem e quer encorajar criadores de conteúdo original voltado a esportes de todas as modalidades a desenvolverem o tema em vídeos curtos, crescendo como criadores no Kwai. Durante o próximo ano, vamos investir US$ 10 milhões para apoiá-los com um programa de monetização, workshops e um time dedicado para guiá-los no processo para se tornarem criadores profissionais”, comenta Mariana Sensini.

Os diferenciais da plataforma e os próximos passos

Lançado com o propósito de ser democrático e atender a todos, o Kwai conta com pontos atrativos que o colocam em uma posição diferenciada, segundo a diretora da companhia no Brasil.

● Comunidade de conteúdo única, com usuários extremamente criativos e ativos;
● Algoritmo inclusivo, o que proporciona uma melhor distribuição do conteúdo em comparação àqueles realizados por usuários que já têm um grande número de seguidores;
● Forte equipe de pesquisa e desenvolvimento, responsável pelo mecanismo de recomendação personalizado que fornece aos usuários uma ampla gama de criadores de conteúdo, motivando-os a criar continuamente vídeos novos e exclusivos;

Quando se trata da evolução da presença da marca no país, o objetivo relatado por Mariana Sensini é o de tornar o aplicativo cada vez mais relevante em vídeos curtos e entretenimento no país. E os times estão sempre estudando e adicionando novos recursos e funcionalidades.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das principais notícias sobre CX

“Trabalhamos para oferecer uma experiência incrível ao nosso público e despertar a curiosidade de potenciais usuários para a plataforma. O investimento em pesquisa e a versatilidade de testar novos modelos significa que o Kwai também pode considerar a expansão para áreas em que somos fortes na China, como o livestream e-commerce, que está em nossos planos no Brasil. Como parte da estratégia de crescimento, avaliamos constantemente as necessidades do mercado para definir o melhor momento e as melhores práticas a serem implementadas localmente”, completa.

Como as marcas podem se aproveitar desse fenômeno

O crescente investimento do Kwai no Brasil faz com que o hoje se torne um bom momento para a produção de conteúdo voltado à plataforma. Dessa forma, é natural que os gestores se perguntem como explorar esse potencial em ações de estratégia de marca.

“A era dos vídeos veio para ficar. As pessoas consomem conteúdo muito rápido e, por isso, o formato acaba sendo a melhor opção para o crescimento das redes sociais, do engajamento orgânico e da distribuição entre os usuários. O Kwai, especificamente, usou uma estratégia de monitorização-indicação para crescer muito no Brasil. Todas as lojas estão se adaptando a esse tipo de vídeo e conteúdo viral, engraçado, divertido, atraente para conseguir alcançar novos clientes”, explica Diego Santana, especialista em tráfego para e-commerce e CEO da E-Commerce Rocket.

Para o especialista, o melhor uso possível dessa rede social é a criação de conteúdo que faça sentido ao público de diferentes idades e que consiga alcançar as pessoas de forma estratégica e rápida. Alguns exemplos de vídeos nesse sentido, que já se mostraram capazes de atingir um alto número de visualizações, são as famosas TAGs e dancinhas intercaladas com informações. Desse modo, é possível conquistar novos clientes e novas vendas. Ultimamente, os perfis dos segmentos de moda, decoração e viagens têm ganhado espaço.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das principais notícias sobre CX

“Cada vez mais os apps de vídeos estão ganhando espaço e relevância no mercado, e conquistando os seus usuários com algo novo, moderno e diferente do que eles já estavam acostumados a ter. Isso faz com que a produção de conteúdo e a forma de vender e buscar novos clientes mude constantemente, o que requer a atenção dos executivos”, expõe Diego Santana.

O inegável potencial das redes sociais

As redes sociais são as plataformas queridinhas dos brasileiros, tanto que suas horas diárias de consumo, em comparação com os outros países do globo, ficam atrás apenas da Filipinas e da Colômbia, de acordo com relatório da We Are Social em parceria com o Hootsuite.

Além disso, o uso da internet no país chegou a 152 milhões de pessoas entre 2020 e 2021, atingindo 81% da população, segundo pesquisa do Cetic.br, apoiada pela Unesco e pelo Cgi.br. Ao atrair públicos de diferentes faixas etárias, inclusive idosos – durante a pandemia de Covid-19 – a presença online das marcas vem sendo discutida há tempos. Afinal, no universo digital é possível se posicionar, interagir, vender e atender os consumidores.

Ademais, as redes sociais viabilizaram a criação e mapeamento de campanhas mais segmentadas, com análise de dados de alcance, retenção e retorno, o que muitas vezes não era possível nos meios de comunicação tradicionais. Na China, onde o debate sobre meios de pagamento, tecnologia, marketing de influência e prova social está mais avançado, as redes sociais assumiram o papel dos marketplaces – o chamado social commerce. Há espaço para crescimento, e se atentar aos diversos movimentos que utilizam as plataformas digitais como palco disso tudo é o primeiro passo.

Mais um canal de atendimento à disposição

Além da produção institucional de vídeos, o Kwai pode ser uma plataforma promissora em termos de atendimento ao cliente. Como ocorreu com o WhatsApp, no início de seu uso, ninguém poderia imaginar que a aderência do público brasileiro seria tamanha. Atualmente, diversas empresas já substituíram o atendimento telefônico pelo aplicativo de mensagens.

Afinal, atualmente as marcas devem estar onde seus clientes estão, seja para aferir a repercussão de estratégias de marketing ou como mais um canal de aprimoramento do customer experience (CX) a fim de entregar as melhores experiências.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das principais notícias sobre CX

É também através dos canais de atendimento digitais que o público procura solucionar os problemas encontrados durante uma jornada de compra, por exemplo. Ou seja, não há mais espaço para as empresas que não estão em sincronia com os seus consumidores. Já que os clientes, ao não serem atendidos prontamente, provavelmente irão procurar o melhor produto ou serviço em outro lugar.

Desse modo, viver na mesmice não é uma opção. E começar a pensar em como trabalhar no Kwai é uma alternativa para sair na frente, uma vez que as companhias oferecem autoatendimento, chat em tempo real, troca de mensagens por redes sociais, mensagens em aplicativos, bots ou comunidades de usuários.

Unindo isso ao fato de que 73% das empresas com maturidade acima da média em CX têm desempenho financeiro melhor que seus concorrentes (cerca de 44% maior que as empresas menos maduras), para artigo da Redweb, está mais do que na hora de suprir essa lacuna.


+ Notícias

Por que o WhatsApp está revolucionando o atendimento ao cliente?

Quais redes sociais mais combinam com sua marca?






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS