Defesa do Consumidor

Procon SP notifica Extra pela venda de carne em bandeja vazia

Nesta terça-feira (19), o Procon São Paulo (Procon-SP) notificou o supermercado Extra sobre a venda de carne em bandejas vazias em lojas da rede em São Paulo. A situação foi exposta por diversos consumidores em redes sociais no último fim de semana, muitos deles da zona sul da capital paulista.

Segundo os consumidores, a loja entregava a bandeja vazia com o valor a ser pago no caixa do supermercado. A carne somente seria entregue após o consumidor efetuar o pagamento. O assunto chamou a atenção da imprensa, que identificou condutas parecidas em outras lojas da rede.

Crédito: reprodução do Facebook

Em nota, o Procon informou que os procedimentos de segurança devem ser implementados de maneira generalizada e sem fazer distinção entre um local e outro, as medidas de proteção devem ser impessoais e objetivas, com a mesma regra para todos.

Explicações

O órgão ainda informou que as explicações deverão ser prestadas pelo supermercado em até sete dias. As informações vão embasar o processo administrativo que será aberto pelo Procon paulista.


Assine a nossa newsletter e fique por dentro das principais notícias sobre os Procons


“Não há dúvida que a conduta do Extra é discriminatória. O que precisamos entender é se foi uma decisão pontual da gerência da loja ou uma determinação global para podermos calcular a multa”, explica o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez, que explicou que pediu informações sobre quando o procedimento teve início, a justificativa para sua implementação, quais tipos de produtos foram vendidos a partir dessa conduta e se houve mudança após a divulgação do fato.

“O problema da segurança deve ser enfrentado por meio de câmeras de vigilância e reforço na segurança de pessoal, por exemplo. Mas não se pode admitir impor uma regra a determinados consumidores em detrimento de outros. O uso de redes e alarmes nos produtos não caracteriza prática abusiva, mas a discriminação, o uso de critérios distintos conforme o bairro ou região, sim”, afirma o diretor executivo do Procon-SP.

Extra

Em nota, o Extra destacou que a prática não “não faz parte de sua política de atendimento” e que se trata de “uma falha de procedimento”. A empresa declarou ainda que toda a rede “tomou providências para que a prática fosse imediatamente descontinuada”.

Ivan Ventura

Postagens recentes

Experiência phygital na prática: Americanas inaugura loja tecnológica

A loja conta com sensores, balanças, câmeras, inteligência artificial e outros recursos para providenciar uma…

1 dia ago

Iniciativa ajuda a recolocar mulheres refugiadas no mercado de trabalho

Além de apoio socioemocional, o Projeto Reinventar oferece capacitação profissional para mulheres refugiadas e se…

1 dia ago

Saúde mental: as marcas precisam lidar com o conceito no pós-pandemia

A saúde mental – em todas as pontas do consumo – será um tema extremamente…

2 dias ago

Como o setor de moda trabalha o valor do respeito ao cliente?

Multicanalidade, propósito além da venda e foco na experiência são o que fazem diferença no…

2 dias ago

Como empresas de logística podem driblar desafios do período de altas demandas

Com o aumento das vendas do varejo no fim do ano, é essencial que as…

2 dias ago

Empresas com função de venda madura estão prontas para o futuro; como ser uma delas?

Pesquisa da Accenture mostra que as vendas podem servir como um catalisador para a transformação…

2 dias ago

Esse website utiliza cookies.

Mais informação