Biometria ou aproximação? Brasileiros optam por mais segurança para pagamentos com cartão

Pesquisa mostra que 90% dos consumidores brasileiros preferem a biometria na hora de efetuar uma compra com cartão de débito ou crédito

Foto: Pexels

Com um imenso aumento de fraudes envolvendo cartões de débito e crédito, especialmente os que usam a modalidade por aproximação, cresceu a demanda por mais segurança para essa forma de pagamento, como biometria ou outros recursos. Afinal, ainda que a estratégia acelere o processo e seja muito mais prática do que digitar a senha numérica ou lembrá-la toda vez que for necessário usar o cartão, essa praticidade tem gerado um alto custo de roubos, posto que é necessário muitas vezes apenas ter o cartão em mãos na hora de efetuar uma transação financeira.

Assim, uma alternativa que tem conquistado os brasileiros para manter a praticidade e aumentar a segurança é o uso da biometria: 90% dos consumidores aprovam o uso desse tipo de tecnologia como forma de aumentar a proteção de seus pagamentos com cartão, conforme aponta pesquisa da Dentsu Data Labs (DDL), encomendada pela IDEMIA, empresa líder mundial em identidade aumentada.

“Vemos uma tendência cada vez mais acentuada da preferência por métodos de pagamento e recursos avançados de segurança em cartões bancários. Os brasileiros são os mais entusiasmados com as tecnologias biométricas, apreciam o fato de os cartões biométricos serem tão fáceis de usar e os consideram mais seguros”, destaca Marcelo Annarumma, presidente da IDEMIA na América Latina.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das novidades sobre a experiência do cliente

Segurança e praticidade como grandes aliadas no cartão com biometria

O pagamento por aproximação cresceu por um importante motivo: para além da praticidade de não precisar memorizar senhas, o recurso também acelera os processos e faz uso da tecnologia como aliada da rotina do brasileiro. É por esse motivo que os consumidores do País consideram mais importante investir em uma outra tecnologia — de biometria, por exemplo — do que voltar a usar as senhas numéricas.

“A autenticação por impressão digital vem se tornando mais presente na vida dos consumidores em todo o mundo e não é diferente no Brasil. A população tem grande preocupação com a segurança nos meios de pagamento e com a proteção dos seus dados biométricos”, explica Annarumma.

A pesquisa destaca que 70% da população acredita que a grande vantagem da identificação digital é o fato de ser individual, ou seja, além de segura é também exclusiva. 64% também concordam que há um aumento na segurança do processo de compra e na prevenção de fraudes.

Outro ponto que a pesquisa destaca é que mais de 1 entre 3 brasileiros aprecia as tecnologias biométricas e 56% preferem o cartão biométrico ante 23% que optam pelo cartão regular.

Tecnologia sem contato como consequência da pandemia

Um dado que chama atenção no estudo é que 82% dos brasileiros preferem utilizar uma forma de pagamento totalmente sem contato — mais um motivo para o sucesso da modalidade por aproximação.

O principal motivo, além de uma clara consequência da pandemia, é o esquecimento das senhas. Ao todo, um em cada dois brasileiros já esqueceu as senhas dos cartões nos últimos 18 meses e 63% dessas pessoas pertencem a faixa etária dos 31 aos 50 anos.

Vale destacar que a pesquisa também elencou quais são as preferências de características nos cartões para os brasileiros: 32% preferem um cartão com identificação biométrica, 27% desejam um cartão feito com plástico reciclado, 21% um cartão com um número e dados pessoais visíveis, 12% com cores vibrantes e outros atrativos, como os cartões fornecidos por fintechs, e 8% um cartão de metal.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das novidades sobre a experiência do cliente


+ Notícias

Cibersegurança: como o Nubank pensa a proteção de seus clientes?
Experiência do cliente: investimento em cibersegurança gera impactos positivos durante a jornada de compra




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS