Como o humor do Esse Menino está conectando pessoas e marcas

Ator e roteirista ganhou a internet após viralizar meme sobre vacina Pfizer

Foto: Reprodução

Piadas e memes fazem parte do dia a dia do brasileiro nas redes sociais e muitos deles acabam sendo lembrados por bastante tempo. Um que pode conquistar seu espaço na história dos memes no Brasil é o “meme da Pfizer”. O vídeo de cerca de três minutos (considerado algo muito longo pelo próprio criador) feito por Esse Menino conquistou a internet por falar sobre uma questão política e sanitária com humor e algumas críticas, tendo mais de 20 milhões de visualizações na publicação do Instagram.

Com tamanho sucesso, não demorou muito para que Rafael Chalub, o ator do meme e que tem seu perfil chamado, simplesmente, de Esse Menino, chamasse atenção de marcas e empresas e, hoje, produz publicidades roteirizadas, usando o storytelling como forma de divulgação.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

O fenômeno do meme

Apesar de parecer que o ator teve “sorte” ao viralizar seu vídeo, como acontece com outros memes, Esse Menino (nome criado em homenagem à sua avó) já investe em sua carreira de ator, roteirista e humorista há alguns anos, fazendo roteiros e vídeos de humor nas redes sociais de maneira consistente e com estratégia.

Em conversa para o podcast Mamilos (episódio “Humor com Esse Menino”), ele, que estuda comédia desde os 13 anos, diz que encontrou na Internet um espaço para divulgar seu trabalho, com o foco de conseguir viver de comédia. O vídeo da Pfizer, por exemplo, foi criado para conquistar alguns mil seguidores e bater sua meta de 40 mil no Instagram. Entretanto, o vídeo viralizou em diferentes redes sociais.

De acordo com o ator, apesar de pensar estrategicamente, os memes, geralmente, acontecem naturalmente, e por isso fazem tanto sucesso. “São as pessoas que decidem o que se torna um meme, uma piada, uma figurinha no WhatsApp… não temos como controlar isso, até porque cada pessoa cria uma relação diferente com o vídeo”, diz no podcast.

Os memes se tornaram algo tão relevante socialmente falando, que universidades já começaram a estudar seus efeitos e influências nos comportamentos das pessoas. O #MUSEUdeMEMES, por exemplo, é um projeto criado pela Universidade Federal Fluminense, que busca publicar ensaios, pesquisas e estudos sobre como os memes mudaram a maneira como a população se relaciona entre si, com a política, com a sociedade e, também, com a publicidade.

Esse Menino e sua relação com as marcas

Assim como acontece com outros sucessos da internet, assim que o meme viralizou, marcas e empresas passaram a procurar o comediante para campanhas. Ele, que já havia feito algumas publicidades anteriormente, viu suas propostas aumentarem do dia para a noite.

“Muitas empresas e marcas me procuraram para pedir o mesmo vídeo, mas colocando o nome da marca no lugar de ‘Pfizer’, mas não acho que essa seja a melhor maneira de fazer as publicidades. (…) No final, acabo pensando em roteiros diferentes”, contou no episódio do Mamilos.

Para Talita Lombardi, especialista no mercado de influenciadores digitais, a publicidade nas redes sociais é uma das frentes mais importantes para qualquer marca ou empresa atualmente. “Os influenciadores, como um todo, conseguem aproximar as marcas dos consumidores pois sabem a melhor maneira de falar com o público e tem proximidade com eles, o que faz com que eles confiem em sua palavra e, consequentemente, consumam o que é indicado”, explica.

No caso dos memes, o raciocínio é o mesmo. “Quando existe um meme ou algo que viraliza, o assunto é comentado, as pessoas compartilham mais sobre aquilo, então as empresas usam dessa popularidade para terem seu nome divulgado”, afirma Talita Lombardi.

“O caso do Rafael, por exemplo, ele já fazia vídeos de comédia há algum tempo, então ele já tinha o jeito de fazer, ele trabalha com roteiro… Para ele, essas publicidades em formato de esquete já era algo natural, ele foi adaptando para trabalhar com as marcas, o que é interessante”, conta a especialista no mercado.

O formato de esquete também é algo que chama a atenção. No TikTok, por exemplo, uma das redes mais influentes atualmente, é comum encontrar pessoas fazendo pequenos vídeos de humor e muitos influenciadores estão surgindo na plataforma.

“Os memes e os influenciadores têm esse poder de conectar pessoas e marcas, o que é positivo tanto para o influenciador quanto para a empresa, e não pode ser deixado de lado. A empresa, por sua vez, precisa fazer uma pesquisa, entender o público de cada influenciador, ver se ele se adequa aos valores da marca, entre outros pontos”, diz a especialista.

Para Talita Lombardi, as marcas precisam entender esse momento da criação de conteúdo ao definirem suas campanhas e, além disso, darem essa liberdade para os criadores, o que já está se tornando mais comum.

“Seguindo o briefing, as marcas podem confiar nos influenciadores. Claro, quando o criador é muito grande, há também mais controle, pois se houver um erro, os resultados negativos também são maiores para ambos os lados, o que é preciso evitar”, pontua.

Publicidade nas redes sociais

Como Talita Lombardi explica, o mercado de influenciadores é um dos mais importantes atualmente para a publicidade, principalmente pela proximidade entre marca e público. Para ela, o caso do Esse Menino é um clássico da viralização, pois um vídeo que bombou contribuiu para o crescimento do perfil dos comediantes, colocando-o como principal pessoa do momento para fazer as publicidades.

“Ele já fazia vídeos há algum tempo, hoje tem assessoria da Mynd8, que é uma agência comandada pela Preta Gil e uma equipe especializada, então você vê que hoje ele tem um suporte muito maior para fazer suas publicidades, além de contar com nomes importantes do mercado. Seu conhecimento prévio em roteirização e comédia também ajudou, claro”, aponta, acrescentando que esse formato diferente, com humor, também consegue fazer com que a publicidade atinja mais pessoas.

Segundo ela, “essa não é a única forma de chamar atenção nas redes, claro. Hoje existem diferentes tamanhos de influenciadores e até os micro e nano influenciadores têm seu espaço e conseguem fechar suas parcerias e contratos, pois conquistam uma proximidade ainda maior com as pessoas”.

Para o ator e comediante, no podcast Mamilos e também no Donos da Razão (#106), o fato de estar sendo reconhecido é muito importante para sua carreira e também financeiramente, mas seu foco é sempre continuar construindo roteiros de humor para alegrar o público e, por isso, sempre pensa em formatos diferentes em suas publicidades.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

Música e macarrão: como a Barilla revolucionou a experiência no pós-venda

Como o marketing de influência pode colaborar na experiência do cliente




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS