Tech

Gêmeo Digital e mapeamento tridimensional é tendência tecnológica para 2022

Da medicina à construção civil, da automação veicular ao metaverso, o gêmeo digital permite que as empresas simulem cenários, antecipem problemas e otimizem os processos de melhorias em diversos mercados.

O termo, traduzido do inglês digital twin, nada mais é do que captar os dados físicos de um objeto ou ambiente, recriar essas informações em um ambiente digital para então testá-lo em cenários diversos e antecipar todo tipo de problema e melhoria que seja necessária. Sendo assim, o gêmeo digital foi criado para simular e melhorar projetos de engenharia, ainda em ambiente digital, antes mesmo de se produzir esses objetos fisicamente.

Por exemplo: até alguns anos atrás, o teste de impacto veicular era feito com o próprio objeto físico. O carro era fabricado e, então, testado. Com o gêmeo digital, é possível criar o espelho digital do produto real e testá-lo em um ambiente virtual, obtendo os mesmos resultados, sem gastar material, tempo e dinheiro.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Como é o processo de criação do gêmeo digital

Outro exemplo de uso do gêmeo digital são os testes aeronáuticos, que podem ser feitos em ambiente virtual, gerando os mesmos dados e resultados esperados, sem que haja a necessidade de realizar um teste real com aviões ou foguetes.

No entanto, para realizar essa cópia digital e fidedigna de um foguete real, o recriando dentro de um computador, é preciso mapeá-lo digitalmente, e para isso, um scanner tridimensional é fundamental para se realizar esse processo com precisão e rapidez.

Segundo Guilherme Stella, fundador da TrackFY, empresa especializada em soluções de mapeamento digital para os segmentos médico, de construção e mineração, os sensores presentes nos scanners, além de aferir distâncias, também conseguem medir volumes com precisão e rapidez, por meio de seu laser.

O sensor pulsa e capta uma média de 300 mil a 1 milhão de pontos por segundo. O feixe de luz laser rebate na superfície à sua frente e o sensor 3D de luz pulsada, o LiDAR (Light Detection and Ranging) cria um mapa digital tridimensional do ambiente ou objeto escaneado.

“Os sensores 3D LiDAR são essenciais para a digitalização e construção dos gêmeos digitais, pois permitem mapear o mundo físico com precisão milimétrica e uma rapidez que o trabalho humano não permitia até então. Com eles é possível coletar dados estruturais em poucos segundos, criar ambientes digitais idênticos aos reais e realizar testes e experimentos em ambiente controlado antes mesmo do produto ser construído”, explica Guilherme Stella.

A era da Indústria 4.0

Odair Maciel, especialista no tema e escritor de livros sobre softwares de engenharia (AutoCAD e AutoCAD Plant 3D), pela editora Ciência Moderna, lembra que o gêmeo digital é um dos elementos que forma a chamada Indústria 4.0, uma nova fase da indústria que amplia tanto a qualidade dos processos na construção de plantas industriais, quanto no acompanhamento à distância da parte automatizada, que pode, assim, receber incrementos e melhorias em pleno funcionamento.

“O Gêmeo Digital, facilitado pelos scanners LiDAR de mapeamento digital, ajuda na manutenção fabril, a prever possíveis problemas e possibilita que sejam feitos novos layouts ou ampliações necessárias, sempre com testes antes no ambiente digital”, explica Odair Maciel.

Para ele, os gêmeos digitais serão fundamentais nos próximos 10 anos para a ampliação das indústrias no mundo inteiro, não apenas em países como EUA e Canadá, que hoje já somam 36% do mercado mundial da tecnologia.

Além disso, os gêmeos digitais garantem um futuro mais limpo: “menos resíduos, menos gastos, mais foco e melhor desempenho. Essa é a receita que a tecnologia LiDAR oferece para que os gêmeos digitais aconteçam em cada vez mais mercados”, lembra Guilherme Stella.

“Além disso estamos entrando em uma era 100% digital e segmentos como agricultura, varejo, energia, urbanismo, saúde, infraestrutura, transporte e segurança necessitam de maior precisão em análises de dados, por isso o mapeamento e o gêmeo digital serão fundamentais nesta transição”, finaliza o fundador da Trackfy.

Segundo o relatório Mercado Digital Twin – Crescimento, Tendências, Impacto Covid-19 e Previsões, do Mordor Intelligence, o mercado de gêmeos digitais deverá testemunhar uma taxa de crescimento anual de 35% nos próximos cinco anos.

A tecnologia a serviço do cliente

A promessa dos gêmeos digitais está em melhorar a colaboração e os fluxos de trabalho em diferentes tipos de grupos, como design de produto, vendas e equipes de manutenção e disciplinas de engenharia.

O gêmeo digital também vem ajudando na melhoria dos modelos e processos de atendimento atual, como simulando cenários adversos para que o sistema ou atendentes possam praticar e aprender como agir em situações desafiadoras reais, através dos resultados desses testes. E a pandemia também forneceu novas oportunidades de aplicação para o mercado.

A tecnologia de gêmeos digitais está ganhando impulso nos diagnósticos de saúde, por exemplo, que estão mudando o sistema de saúde tradicional ao modelar as condições e atributos de um determinado paciente e usando dados de aprendizado de máquina agregados a uma variedade de pacientes.

Por falar em aprendizado de máquina, uma das principais vantagens da utilização dos gêmeos digitais é a possibilidade de conexão com dispositivos de Internet das Coisas (IoT, em inglês). Isso porque os sensores IoT criaram um espaço potencial para os engenheiros testarem e se comunicarem com os sensores integrados aos produtos operacionais, proporcionando, assim, funcionamento do sistema em tempo real e manutenção oportuna.

Ainda de acordo com o relatório da Mordor, a América do Norte, especialmente EUA e Canadá são os principais usuários dessa tecnologia, sendo responsáveis por 36% da fatia do mercado. A previsão de crescimento nos próximos cinco anos para a América do Sul, em relação aos outros continentes, ainda é baixa no mercado de gêmeos digitais, segundo o relatório.

Contudo, em um mundo globalizado e com acelerada demanda tecnológica, essa tendência, que é considerada uma das mais importantes da área de TI, certamente ganhará cada vez mais espaço e ganhará novos mercados.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

Quem são as 18 pessoas mais importantes no setor de tecnologia no Brasil em 2021

O metaverso é o futuro: as experiências digitais que marcaram 2021

Miriam Bollini

Postagens recentes

Mão de obra em TI: qual a chave para melhorar este cenário nos próximos anos?

Especialista alerta sobre a escassez de mão de obra especializada em TI para os próximos…

14 horas ago

7 startups que inovaram na experiência com o cliente

Serviço de assinatura para viagens, mercados que vendem produtos "feios, porém deliciosos" e até lojas…

15 horas ago

Consumo consciente é suficiente? Qual a responsabilidade das empresas

Olhar para as questões provocadas pelo excesso de consumo com responsabilidade, esse é o nosso…

18 horas ago

É hora de investir no CX das lojas físicas: saiba como

A Camicado transformou o ponto de venda em local de experiências

20 horas ago

Criou, hitou, lucrou: o poder do TikTok na viralização de conteúdos e no sucesso das marcas

Desde o sucesso de Envolver, de Anitta, os hits no TikTok ganharam ainda mais destaque…

21 horas ago

Esse website utiliza cookies.

Mais informação