Perguntas relevantes iluminam as decisões baseadas em dados

As análises sempre devem ser construídas com as melhores perguntas que nos intrigam no dia a dia e precisam ser somadas às análises preditivas

Foto: Shutterstock

O encanto em fazer boas análises que elucidam decisões de negócios está na curiosidade em elaborar premissas, questionar, explorar diagnósticos, dados,  raciocinar e, consequentemente, propor soluções para os diversos problemas que enfrentamos.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a experiência do cliente

Segundo Warren Berger, as perguntas ajudam pessoas e os negócios com os desafios do dia a dia e são como uma lanterna que ilumina as decisões e quanto melhores forem essas questões, mais luz teremos sobre as decisões. O autor atesta que as perguntas nos fazem organizar o pensamento sobre aquilo que ainda não sabemos sobre determinado tema. As perguntas podem nos ajudar a mapear oportunidades a serem exploradas, logo impulsionam a inovação em serviços e produtos e melhoram a performance dos negócios.

Na era da informação, as empresas contam com um aliado valioso, os dados, que suportam tanto decisões de curto prazo quanto as mais estratégias de longo prazo. Os dados se multiplicam em diversos indicadores, que devem ser monitorados e direcionam foco e investimentos das organizações. A disciplina de data analytics vem evoluindo com a adoção mais massificada da análise preditiva, que ajuda a descobrir padrões ocultos e relações entre os dados que preveem o que pode acontecer em diversos segmentos de mercado.

Leia mais: Dados, liderança e as melhores estratégias para gerir a incerteza

Em seu livro, Eric Siegel explica a aplicação da análise preditiva por meio de diversos exemplos reais e atesta que predição é poder e que as empresas garantem vantagem competitiva impressionante ao prever o comportamento dos mercados e consumidores. Ao combinar os dois ingredientes, perguntas relevantes e análise preditiva, podemos atestar que temos uma fórmula poderosa para potencializar o uso de dados com resultados mais assertivos para os negócios.

Em minha experiência trabalhei com modelos preditivos nas empresas de bens de consumo e um dos exemplos que compartilho com vocês é a modelagem preditiva para estimativas da curva de crescimento de mercado, os fatores que influenciam a demanda e as perspectivas de participação de mercado de cada marca.

Creio que as análises sempre devem ser construídas com as melhores perguntas que nos intrigam no dia a dia e precisam ser somadas às análises preditivas, que nos dão a dimensão do impacto que as decisões podem trazer aos resultados.

Para saber mais

  • Uma pergunta mais bonita: As perguntas dos criadores de Airbnb, Netflix e Google.
    de Warren Berger. São Paulo, Editora Aleph, 2016. R$ 27,99; na Amazon.

  • Análise Preditiva Uma introdução para todos.
    de Eric Siegel. Rio de Janeiro, Alta Book, 2017. R$ 50,08; na Amazon

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a experiência do cliente

*Por Tania Zahar Mine, diretora da Trade Design e professora de Pós-Graduação na ESPM e na FIA.


+ Notícias

2022: tendências de consumo que vem por aí

Abismo digital e a conexão desigual no Brasil




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS