O Procon SP está de olho no mundial da FIFA?

O órgão de defesa do consumidor enviou uma notificação a Fifa sobre boatos que poderiam prejudicar os brasileiros que vão acompanhar o evento nos Emirados Árabes Unidos.

Foto: Cesar Greco / Palmeiras Oficial

Há poucos dias do início do Mundial de Clubes, o Procon São Paulo (Procon SP) notificou a FIFA, entidade máxima do futebol e organizadora do evento, para que explique a veracidade de boatos sobre uma possível redução no número de pessoas que poderão assistir os jogos nos estádios por causa da pandemia. Existe a preocupação do órgão de defesa do consumidor sobre um possível prejuízo contra torcedores do Palmeiras, time vencedor da última Libertadores da América e que vai em busca do seu primeiro mundial. Ou segundo, dependendo do ponto de vista.

A primeira preocupação Procon SP diz respeito à venda de ingressos da competição, que começa já no próximo dia 3 de fevereiro nos Emirados Árabes. De acordo com o comunicado do órgão, a FIFA deverá informar detalhes sobre a oferta e venda dos ingressos para o evento, tais como a jornada de aquisição, a quantidade de ingressos e também quantos já foram comercializados.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Redução de público e questionamentos do Procon SP

O motivo da preocupação está relacionado a um boato sobre uma possível redução do público que poderá assistir as partidas, o que ainda não foi confirmado pela FIFA.

O diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez, pediu que a FIFA confirme ou desminta a informação. Se for verdade, ele solicitou os critérios para a redução do público. “O Procon-SP quer saber quantos consumidores de São Paulo que adquiriram ingresso para o jogo poderão ser prejudicados pela redução e o que a FIFA pretende fazer para indenizá-los” afirma Capez. Ainda sobre a redução, Procon quer entender quais jogos serão atingidos, qual o número de consumidores afetados, quais os critérios para a escolha dos consumidores que poderão comparecer ao evento, se os parceiros comerciais que efetuam a venda de ingressos já foram informados quanto à redução e quantos ingressos ainda estão disponíveis.

Nos casos em que os consumidores forem afetados pela redução e não puderem comparecer ao evento, o Procon-SP pergunta se haverá devolução de valores ou apresentação de outras medidas conciliatórias. Além disso, a FIFA deverá informar sobre os canais de atendimento disponibilizados aos consumidores que tiverem dúvidas sobre a situação.

O Procon-SP pede que os esclarecimentos sejam prestados até o dia 3 de fevereiro. Até o fechamento dessa reportagem a FIFA ainda não se pronunciou sobre o assunto.


+ Notícias

Proteção ao Consumidor Digital: como aumentar a resolutividade no e-commerce?
5 mitos sobre o direito do consumidor




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS