Ter um artista como sócio de um negócio não garante sucesso

Sem dúvida o fato de ter um artista como sócio ajuda a trazer mídia para um negócio, mas existem outros pontos a serem levados em consideração

Foto: Shutterstock

Ultimamente temos observado com bastante frequência a adesão de um artista e personalidades, como youtubers, por exemplo, entrando para o mundo dos negócios – em especial, no mercado de franquias. Isso porque franquias com sócios famosos chamam bastante atenção. Afinal, quem não quer ter a chance de empreender com aquela personalidade que tanto admira?

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Sem dúvida o fato de ter uma pessoa conhecida do grande público ajuda a trazer mídia para um negócio, mas existem outros pontos a serem levados em consideração, ao passo que apenas ‘nome’ não é a garantia de um negócio de sucesso.

É importante destacar que a minha intenção, em nenhum momento, é desqualificar franquias que possuem famosos envolvidos em seus processos, mas sim desmistificar algumas ideias rasas e alertar que para gerir uma franquia, assim como qualquer outra empresa, é preciso uma série de habilidades que exigem profissionalismo e estudo.

Certamente a associação da imagem de um famoso ao negócio pode potencializar vendas e gerar credibilidade, o que pode fazer os olhos de muitos empreendedores e investidores brilharem, mas o ponto chave para o sucesso de qualquer empreendimento, seja ele uma franquia ou não, é olhar para o negócio em si e não somente para o artista, para não acabar em frustração e com um prejuízo sem precedentes. Afinal, o tempo mínimo de contrato para uma franquia é de cinco anos, então é preciso embarcar em um projeto de forma racional e não apenas na emoção.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Principais pontos que devem ser avaliados por quem está interessado em investir no franchising

1. Avalie a situação do mercado de interesse

É preciso analisar a situação do setor e verificar se ela faz sentido na região escolhida. Afinal, não é porque uma determinada franquia teve sucesso em uma região, que terá a mesma aceitação em outra. Além de escolher a franquia, é essencial saber optar pelo produto ideal e a melhor localização para instalação da marca.

2. Pesquise!

O ponto-chave do processo de investir em uma franquia é pesquisar. Descubra o setor que mais tem a ver com seu estilo e faça uma boa análise sobre ele. Existem muitas oportunidades de franquias no mercado, mas é importante escolher um produto ou serviço que tenha a ver com você. Além disso, cheque as práticas administrativas do franqueador. A pesquisa é fundamental para agrupar o máximo de informações e possíveis dificuldades a respeito da franquia em questão. Isso vai fazer com que você se sinta mais seguro em fechar o negócio.

3. Analise a proposta

É importante analisar a proposta do franqueador antes de assinar a papelada. Você não vai querer ter surpresas desagradáveis, então conheça todos os detalhes do acordo para garantir que o seu investimento tenha retorno.

4. Converse com franqueados e ex-franqueados

Quer conhecer bem o negócio? Visite unidades existentes e converse com franqueados e ex-franqueados do produto ou serviço. Assim, você vai descobrir os principais desafios e como funciona o suporte do franqueador, entre outras especificidades.

5. Procure ajuda especializada

Para investidores que estão entrando agora no mercado de franchising, é fundamental contratar profissionais especializados que tenham know how sobre o setor. O Grupo BITTENCOURT, por exemplo, atua desde 1985 em Consultoria Empresarial nas áreas de Desenvolvimento, Estratégia, Gestão, Educação, Comunicação e Expansão de Redes de Franquias e Negócios, tendo inúmeros projetos desenvolvidos no mercado, abrangendo empresas de todos os portes.

*Por Lyana Bittencourt, CEO do Grupo BITTENCOURT.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

A nova face do varejo

Consolidação do setor e produção nacional: a nova dinâmica do varejo de vestuário

 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS