Golpe de telefonia: como caso de influencer reflete as fraudes na prestação de serviços

A blogueira e estilista contou, em suas redes sociais, como quase foi vítima de uma fraude que envolvia vazamento de dados

Foto: Free Pik

Cair em um golpe após contratar o serviço de alguma empresa não é de fato uma novidade no Brasil. Infelizmente, são comuns as fraudes que envolvem dados dos clientes e acabam, de uma forma ou outra, favorecendo ações injustas com o consumidor. E qualquer pessoa — independente de idade, gênero ou classe social — está sujeita a ser vítima dessas situações. É o caso da blogueira e estilista Lela Brandão.

No dia 19 de janeiro, a estilista anunciava em seus stories do Instagram como foi quase vítima de um golpe que envolvia a provedora de telefonia e internet Claro Net e alertava seus seguidores para que também não fossem vítimas.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Entenda o caso da Lela Brandão

Ela conta que assim que mudou de apartamento, contratou a Claro Net para realizar a instalação da internet dentro do novo lar. As primeiras duas tentativas para agendar o procedimento não foram bem-sucedidas por uma questão de agenda do técnico. Algum tempo depois, na terceira tentativa, a estilista conseguiu marcar a instalação com a empresa, tudo definido com data e horário.

No dia em que a instalação ocorreria, entretanto, ela recebeu uma ligação — eletrônica e em nome da Claro Net. A mensagem dizia que a visita do técnico estava novamente cancelada e, em alguns minutos, um atendente da empresa entraria em contato com Lela para explicar o ocorrido. Cerca de uma hora após a ligação eletrônica, uma suposta atendente da Claro Net ligou e explicou, via telefone, que a instalação não aconteceria porque “não havia espaço na caixinha da rua para instalar a internet no apartamento e o tempo de espera era em torno de 3 a 6 meses”.

Desconfiada, Lela esperou mais um pouco antes de tomar outra providência. Alguns minutos depois, recebeu uma mensagem — via aplicativo oficial da Claro Net — que informava que o técnico da instalação estava a caminho para realizar a instalação. Sem entender o ocorrido, e confiando mais no aplicativo oficial, a estilista aguardou a chegada do profissional da Claro.

Nesse meio tempo de espera, uma outra empresa de telefonia telefonou para Lela. Estranhamente, oferecia um serviço “novo”, que atenderia a residência dela e não teria qualquer tempo de espera. Ao final da ligação, a estilista entendeu que quase havia sofrido uma espécie de golpe e esperou pelo técnico oficial da Claro Net — que chegou alguns minutos depois e instalou a internet conforme foi combinado.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Acesso aos dados da visita e a chance de golpe

Lela ressaltou em seus Stories que foi muito estranho que essa empresa que tentou dar o golpe tivesse acesso ao número de telefone dela, residência e dados, bem como o cronograma de agendamento do técnico da Claro Net. Na ligação, disse a blogueira via stories, todos os dados foram confirmados. Isso indica que, de alguma forma, houve um vazamento de dados — inclusive da agenda de técnicos profissionais da empresa.

A redação da Consumidor Moderno entrou em contato com a Claro Net para entender melhor o ocorrido. Em resposta,a empresa fez a seguinte declaração:

“A Claro investe constantemente em políticas e procedimentos de segurança, adotando medidas, de acordo com melhores práticas, para identificar fraudes e proteger seus clientes e seus dados.

Em caso de qualquer dúvida sobre ações suspeitas, a Claro recomenda que o cliente entre em contato com a central de relacionamento à disposição pelo telefone 10621. O funcionamento é 24h e a ligação, gratuita.

A Claro alerta que qualquer visita técnica feita em nome da operadora é previamente agendada, em acordo com o cliente. Os assinantes da empresa ainda podem checar e confirmar esse agendamento por meio do Minha Claro residencial, disponível para dispositivos Android e iOS. No aplicativo são disponibilizadas as informações do serviço agendado, além de opções para reagendamento ou cancelamento. E, no dia da visita, é possível acompanhar o deslocamento do técnico e confirmar sua identidade, conferindo o nome e a foto do profissional designado.

A Claro reforça que está à disposição do consumidor para auxiliá-lo no que for necessário.”

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Como se proteger em casos de golpes e fraudes com prestação de serviços, segundo o Procon-SP

Embora esses casos sejam comuns e este, em específico, esteja mais relacionado a um aproveitamento de dados para outras companhias de telefonia, é de suma importância se proteger contra possíveis tentativas de fraude. De acordo com Guilherme Farid, chefe de gabinete do Procon de São Paulo, em casos como esse, o principal é contactar os órgãos responsáveis e informar todas as evidências da tentativa de golpe.

“Há dois pontos a serem considerados. O primeiro é que a pessoa vítima do golpe pode fazer uma denúncia através do site do Procon-SP, informando exatamente os dados do que ocorreu na tentativa do golpe e todos os envolvidos — inclusive a Claro. Provavelmente vemos um caso aqui de interceptação de dados e isso é grave, precisa ser denunciado. Fazer essa denúncia em detalhes ao Procon, sempre trazendo o máximo de evidências possível, ajuda que a nossa equipe de fiscalização faça uma solução rápida do caso”, explica o chefe do gabinete.

“O outro ponto que também pode ser feito é abrir um boletim de ocorrência, porque além dos desdobramentos administrativos contra o consumidor, tem uma possibilidade de crime aí, configura uma espécie de estelionato. Então, fazer um boletim de ocorrência eletrônico, neste caso, também traria um reforço de natureza criminal contra os instrumentos administrativos igualmente eficazes para localizar quem interceptou os dados, quebrar esse sistema de fraudes. É uma atuação de caráter mais fiscalizatório nesse momento. E o consumidor, para se preservar em seus direitos, a orientação é de que ele faça a denúncia e abra o boletim de ocorrência”, conclui Farid.


+ Notícias

5 Personalidades que defendem uma regulação para as redes sociais

Imersão virtual e ilegal: será que teremos um deep metaverso?




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS